Fechar
Publicidade

Domingo, 27 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Em Sto.André, PRTB vive crise após decisão contra Ferrão

Caso de desentendimento interno entre correligionários tende a parar na Justiça


Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

16/09/2020 | 21:21


Partido do vice-presidente da República, Hamilton Mourão, e abrigo da maioria dos adeptos do Aliança pelo Brasil – movimento político que busca se viabilizar como legenda -, o PRTB vivencia crise interna diante da decisão de impedir a pré-candidatura ao Paço de Santo André do policial federal Dennis Ferrão, e o caso tende a parar na Justiça. A direção da sigla aponta afronta ao estatuto por parte do grupo de Ferrão e encaminhou deliberação de lançar apenas chapa proporcional ao pleito municipal, enquanto que o pré-prefeiturável realizou convenção para emplacar projeto próprio.

Coordenador regional do PRTB, Marcos Thomazini alegou que Ferrão “é insubordinado, não sabe cumprir regras”. “Feriu diversos artigos do estatuto, usurpou a função que compete ao presidente municipal (Acácio de Moraes), difamou integrantes do diretório. Promoveu convenção sem maioria absoluta, como reza o estatuto, além de ameaçar o dirigente municipal. E ainda comete calúnia, injúria e difamação contra o Acácio e contra mim”, disse, referindo-se à acusação de pagamento de valores para evitar o registro de sua candidatura. “Comete dano moral ao partido, que já está preparando ação na Justiça.”

Thomazini pontuou que Ferrão “já era insubordinado” quando estava na polícia federal, “tanto que aposentou para não ser expulso”. O coordenador assegurou que foi formalizado pedido de abertura de comissão de ética para apurar a conduta do correligionário. O processo interno pode levar à expulsão de Ferrão das fileiras do PRTB.

Postulante a vice em 2016, então pelo PMDB, Ferrão, por outro lado, pontuou que, mesmo frente a essa situação adversa, tem se pautado para manter a validade da convenção partidária. “Estamos estudando qual juízo competente para entrar com a ação judicial. Ocorreu tudo dentro da legalidade, temos comprovado, isso independentemente de interesses partidários, o que não vem ao caso neste momento. O que queremos é manter oficializado o nosso ato, no qual cumprimos legislação e estatuto”, disse o pré-candidato, ao acrescentar que notificou a municipal, estadual e nacional a respeito da convocação. “Fizemos publicação.” Sugeriu ainda eventual acordo, nos bastidores, para retirá-lo da disputa majoritária. “Sabemos que há laços.”



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Em Sto.André, PRTB vive crise após decisão contra Ferrão

Caso de desentendimento interno entre correligionários tende a parar na Justiça

Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

16/09/2020 | 21:21


Partido do vice-presidente da República, Hamilton Mourão, e abrigo da maioria dos adeptos do Aliança pelo Brasil – movimento político que busca se viabilizar como legenda -, o PRTB vivencia crise interna diante da decisão de impedir a pré-candidatura ao Paço de Santo André do policial federal Dennis Ferrão, e o caso tende a parar na Justiça. A direção da sigla aponta afronta ao estatuto por parte do grupo de Ferrão e encaminhou deliberação de lançar apenas chapa proporcional ao pleito municipal, enquanto que o pré-prefeiturável realizou convenção para emplacar projeto próprio.

Coordenador regional do PRTB, Marcos Thomazini alegou que Ferrão “é insubordinado, não sabe cumprir regras”. “Feriu diversos artigos do estatuto, usurpou a função que compete ao presidente municipal (Acácio de Moraes), difamou integrantes do diretório. Promoveu convenção sem maioria absoluta, como reza o estatuto, além de ameaçar o dirigente municipal. E ainda comete calúnia, injúria e difamação contra o Acácio e contra mim”, disse, referindo-se à acusação de pagamento de valores para evitar o registro de sua candidatura. “Comete dano moral ao partido, que já está preparando ação na Justiça.”

Thomazini pontuou que Ferrão “já era insubordinado” quando estava na polícia federal, “tanto que aposentou para não ser expulso”. O coordenador assegurou que foi formalizado pedido de abertura de comissão de ética para apurar a conduta do correligionário. O processo interno pode levar à expulsão de Ferrão das fileiras do PRTB.

Postulante a vice em 2016, então pelo PMDB, Ferrão, por outro lado, pontuou que, mesmo frente a essa situação adversa, tem se pautado para manter a validade da convenção partidária. “Estamos estudando qual juízo competente para entrar com a ação judicial. Ocorreu tudo dentro da legalidade, temos comprovado, isso independentemente de interesses partidários, o que não vem ao caso neste momento. O que queremos é manter oficializado o nosso ato, no qual cumprimos legislação e estatuto”, disse o pré-candidato, ao acrescentar que notificou a municipal, estadual e nacional a respeito da convocação. “Fizemos publicação.” Sugeriu ainda eventual acordo, nos bastidores, para retirá-lo da disputa majoritária. “Sabemos que há laços.”

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;