Fechar
Publicidade

Domingo, 25 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Clássico mostra quem é quem no duelo do Morumbi

Fernando Nonato/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Nelson Cilo
Com Agências

26/05/2010 | 07:00


Além da tradicional rivalidade, São Paulo e Palmeiras assumem outros bons pretextos para vencer o duelo de hoje, às 20h30, no Morumbi. O Tricolor perdeu os últimos clássicos disputados em casa. No total, foram cinco. O primeiro conselho de Ricardo Gomes aos jogadores é soltar o breque. Agora, a ordem é pisar fundo no acelerador. Segundo ele, a trégua na Copa Libertadores pode servir como desbloqueio para que o Tricolor embale no Brasileirão. "Jogos que antecedem compromissos internacionais geralmente têm resultados negativos. Isso é histórico e também acontece nas competições europeias", exemplifica o comandante.

No Estadual, o São Paulo tropeçou no Palmeiras e Corinthians, além das três vezes no Santos (duas pela semifinal). "As circunstâncias mudaram. O atual cenário é bem diferente", acredita.

No Palmeiras, todos procuram respeitar o momento ascendente do São Paulo. "Não vamos achar que a vitória sobre o Grêmio resolveu nossos problemas. O Parraga (interino) precisa de mais tempo. Ele apenas iniciou o trabalho. É necessário que tenha retaguarda para seguir na luta. É na raça e na coragem que podemos evoluir", sugere o goleiro Marcos, atento à evolução da equipe.

O meia Cleiton Xavier concorda e aprova o discurso de Marcos. Segundo ele, o retrospecto estimula o Palmeiras a resgatar o rumo dos títulos "A história mostra que somos de briga. Viram contra o Grêmio? Só que ainda falta muito", reconhece Cleiton Xavier, todo confiante.

Maurício Ramos - autor de um gol sobre o Grêmio - não se ilude. O zagueiro prevê obstáculos no torneio nacional. "A disputa é muito equilibrada. O entrosamento virá aos poucos", admite Maurício, que destaca o jeito amigável do substituto de Zago. "Ele (Parraga) é brincalhão e gente boa. É o tipo do comportamento que descontrai o nosso ambiente. Ele tem tudo para seguir no cargo. É o mesmo fenômeno do Jorginho no ano passado", compara o xerife.

Jorge Parraga terá pelo menos três desfalques: os volantes Pierre e Marcos Assunção (suspensos), além do lateral-esquerdo Armero (na seleção colombiana para amistosos internacionais). O meia Lincoln, liberado pelo departamento médico, reaparece.

Enquanto isso, Ricardo Gomes espanta o favoritismo atribuído ao São Paulo. "É só ver o nível de cada um", alerta. " Clássico é clássico", lembra Xandão, ex- Barueri, confirmado na vaga de Miranda.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Clássico mostra quem é quem no duelo do Morumbi

Nelson Cilo
Com Agências

26/05/2010 | 07:00


Além da tradicional rivalidade, São Paulo e Palmeiras assumem outros bons pretextos para vencer o duelo de hoje, às 20h30, no Morumbi. O Tricolor perdeu os últimos clássicos disputados em casa. No total, foram cinco. O primeiro conselho de Ricardo Gomes aos jogadores é soltar o breque. Agora, a ordem é pisar fundo no acelerador. Segundo ele, a trégua na Copa Libertadores pode servir como desbloqueio para que o Tricolor embale no Brasileirão. "Jogos que antecedem compromissos internacionais geralmente têm resultados negativos. Isso é histórico e também acontece nas competições europeias", exemplifica o comandante.

No Estadual, o São Paulo tropeçou no Palmeiras e Corinthians, além das três vezes no Santos (duas pela semifinal). "As circunstâncias mudaram. O atual cenário é bem diferente", acredita.

No Palmeiras, todos procuram respeitar o momento ascendente do São Paulo. "Não vamos achar que a vitória sobre o Grêmio resolveu nossos problemas. O Parraga (interino) precisa de mais tempo. Ele apenas iniciou o trabalho. É necessário que tenha retaguarda para seguir na luta. É na raça e na coragem que podemos evoluir", sugere o goleiro Marcos, atento à evolução da equipe.

O meia Cleiton Xavier concorda e aprova o discurso de Marcos. Segundo ele, o retrospecto estimula o Palmeiras a resgatar o rumo dos títulos "A história mostra que somos de briga. Viram contra o Grêmio? Só que ainda falta muito", reconhece Cleiton Xavier, todo confiante.

Maurício Ramos - autor de um gol sobre o Grêmio - não se ilude. O zagueiro prevê obstáculos no torneio nacional. "A disputa é muito equilibrada. O entrosamento virá aos poucos", admite Maurício, que destaca o jeito amigável do substituto de Zago. "Ele (Parraga) é brincalhão e gente boa. É o tipo do comportamento que descontrai o nosso ambiente. Ele tem tudo para seguir no cargo. É o mesmo fenômeno do Jorginho no ano passado", compara o xerife.

Jorge Parraga terá pelo menos três desfalques: os volantes Pierre e Marcos Assunção (suspensos), além do lateral-esquerdo Armero (na seleção colombiana para amistosos internacionais). O meia Lincoln, liberado pelo departamento médico, reaparece.

Enquanto isso, Ricardo Gomes espanta o favoritismo atribuído ao São Paulo. "É só ver o nível de cada um", alerta. " Clássico é clássico", lembra Xandão, ex- Barueri, confirmado na vaga de Miranda.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;