Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 8 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Expoaqua recua e vai reassumir Cidade da Criança em São Bernardo

Grupo havia largado contrato na semana passada; em ofício de ontem, diz que manterá funcionários


Aline Melo
Do Diário do Grande ABC

02/09/2020 | 00:56


O grupo Expoaqua, que administrava a Cidade da Criança, em São Bernardo, recuou da sua decisão anunciada na semana passada de abandonar a administração do parque e comunicou ontem a Prefeitura que vai se manter à frente do equipamento. A reconsideração ocorreu por meio de ofício.

A empresa afirmou que vai assegurar os 150 empregos diretos e 50 indiretos que estavam ameaçados. O grupo declarou que a decisão “atende a milhares de manifestações, sobretudo em redes sociais, e principalmente em zelar pelos 150 empregos diretos e outros 50 indiretos de funcionários que honraram, ao longo de tantos anos, a manutenção do espaço”.

No dia 25 de agosto, o grupo anunciou o fim da parceria com a Prefeitura sob alegação de que a gestão municipal impediu a reabertura do local, fechado desde março devido à pandemia de Covid-19, inviabilizando a operação financeira. A permissão de uso era a título precário, via decretos. Como esses decretos não haviam sido revogados, a parceria é restabelecida.

O governo do prefeito Orlando Morando (PSDB) argumentou que a Fase 3 (amarela) do Plano São Paulo, de retomada da economia paulista, não permite abertura de parques temáticos, como a Cidade da Criança. Houve protesto de funcionários no dia seguinte ao comunicado da Expoaqua. Morando havia assegurado que o parque não seria fechado e que outra empresa havia manifestado interesse em administrar o local. Antes da pandemia, estava em curso processo de privatização do espaço, com concessão à iniciativa privada por até 20 anos.

A Cidade da Criança foi fundada em outubro de 1968. Está situada em terreno de 37,7 mil metros quadrados e é tombada pelo Conselho Municipal de Patrimônio Histórico e Cultural. A Expoaqua assumiu a gestão do parque, por meio de decreto e contrato a título precário, em 2010.

Em nota, o governo Morando confirmou o recebimento do ofício de reconsideração. “A empresa reafirma seu compromisso em garantir o pleno funcionamento das atividades do parque – somente após as devidas autorizações previstas no Plano São Paulo, do governo do Estado. A empresa também se comprometeu a manter os atuais funcionários do espaço e a cumprir todos os protocolos sanitários necessários. Os serviços internos no local (neste momento, sem atendimento ao público) retornarão assim que a permissão de uso for retomada.” 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;