Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 26 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Dívida líquida de 60,2% do PIB em julho é a maior desde outubro de 2002, diz BC

Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

No melhor momento da série, em dezembro de 2013, a dívida bruta chegou a 51,5% do PIB



31/08/2020 | 11:44


O chefe do Departamento de Estatísticas do Banco Central, Fernando Rocha, destacou nesta segunda-feira, 31, que a Dívida Líquida do Setor Público (DLSP) de 60,2% do Produto Interno Bruto (PIB) em julho é a maior desde outubro de 2002. A dívida líquida passou de 58,0% para 60,2% do PIB em julho, atingindo R$ 4,323 trilhões.

"O principal fator para alta da dívida líquida em julho foi o déficit nominal no mês. Os fluxos fiscais são muito deficitários, o implica no aumento da dívida líquida. Além disso, a apreciação cambial de 5% alavancou o crescimento da dívida líquida no mês passado", detalhou Rocha.

Já a Dívida Bruta do Governo Geral (DBGG) fechou julho aos R$ 6,210 trilhões, o que representa 86,5% do Produto Interno Bruto (PIB). O porcentual, divulgado nesta segunda, é o maior da série histórica, iniciada em 2006. No melhor momento da série, em dezembro de 2013, a dívida bruta chegou a 51,5% do PIB.

"O crescimento da dívida bruta em julho se deve à sua necessidade de financiamento, ou seja, às emissões líquidas de títulos do Tesouro Nacional", completou Rocha.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Dívida líquida de 60,2% do PIB em julho é a maior desde outubro de 2002, diz BC

No melhor momento da série, em dezembro de 2013, a dívida bruta chegou a 51,5% do PIB


31/08/2020 | 11:44


O chefe do Departamento de Estatísticas do Banco Central, Fernando Rocha, destacou nesta segunda-feira, 31, que a Dívida Líquida do Setor Público (DLSP) de 60,2% do Produto Interno Bruto (PIB) em julho é a maior desde outubro de 2002. A dívida líquida passou de 58,0% para 60,2% do PIB em julho, atingindo R$ 4,323 trilhões.

"O principal fator para alta da dívida líquida em julho foi o déficit nominal no mês. Os fluxos fiscais são muito deficitários, o implica no aumento da dívida líquida. Além disso, a apreciação cambial de 5% alavancou o crescimento da dívida líquida no mês passado", detalhou Rocha.

Já a Dívida Bruta do Governo Geral (DBGG) fechou julho aos R$ 6,210 trilhões, o que representa 86,5% do Produto Interno Bruto (PIB). O porcentual, divulgado nesta segunda, é o maior da série histórica, iniciada em 2006. No melhor momento da série, em dezembro de 2013, a dívida bruta chegou a 51,5% do PIB.

"O crescimento da dívida bruta em julho se deve à sua necessidade de financiamento, ou seja, às emissões líquidas de títulos do Tesouro Nacional", completou Rocha.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;