Fechar
Publicidade

Domingo, 17 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Após 3 semanas, promessa de Demarchi de acionar MP sobre Rodoanel emperra

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

21/08/2020 | 00:02


Passadas quase três semanas da promessa de ingressar junto ao Ministério Público para pedir apuração sobre descarte de compensações do Estado sobre a construção do Trecho Sul do Rodoanel em São Bernardo, o pré-candidato do PSL à Prefeitura, vereador Rafael Demarchi (PSL), segue sem se movimentar oficialmente.

No dia 1º de agosto, o Diário mostrou que, em 2017, o governo do prefeito Orlando Morando (PSDB) abriu mão de uma alternativa para efetivar reparação ambiental que tinha sido engavetada pelo Palácio dos Bandeirantes – o Estado havia prometido construir um parque às margens da Represa Billings, não cumpriu, e a proposta era que áreas remanescentes de desapropriações da obra viária virassem patrimônio do município, o que também não se efetivou.

No dia 4 de agosto, ao Diário, Demarchi se comprometeu a agir. “Fiquei perplexo ao ler no Diário. É algo que o Ministério Público precisa apurar, por isso vamos ingressar com esse pedido. São Bernardo não pode ser lesada por interesses que não sejam públicos, por isso é preciso investigar se alguém saiu ganhando com essa situação”, disse, à época.

Questionado ontem novamente sobre o caso e sobre os motivos pelos quais ainda não acionou a promotoria, Demarchi argumentou que a pré-campanha ao Paço tomou seu tempo. “Ainda não consegui parar por causa da pré-campanha, que exige muito. Mas a ideia é conseguiu levar a representação amanhã (hoje) ou no início da semana que vem ao MP.”

Demarchj busca ser terceira via no pleito deste ano, como oposição a Morando e com críticas ao PT. Porém, efetivamente, seu trabalho como oposicionista é visto com desconfiança no ambiente político ao qual pertence: a Câmara.

Diante das denúncias de fraude na merenda escolar no governo Morando – apontadas pela PF (Polícia Federal) e MPF (Ministério Público Federal) –, Demarchi prometeu mobilizar uma CPI.

Os vereadores, entretanto, argumentam que nunca foram consultados por Demarchi acerca da comissão investigativa e que ficaram sabendo das intenções do parlamentar exclusivamente pela imprensa. O pedido formal de CPI, aliás, sequer foi protocolado – recentemente a casa instaurou duas CPIs governistas para que nenhum bloco investigativo indigesto a Morando avançasse. As CPIs da Transpetro e da OAS têm duração de 180 dias, o que inviabiliza qualquer apuração do Legislativo sobre os contratos suspeitos da merenda antes da eleição. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Após 3 semanas, promessa de Demarchi de acionar MP sobre Rodoanel emperra

Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

21/08/2020 | 00:02


Passadas quase três semanas da promessa de ingressar junto ao Ministério Público para pedir apuração sobre descarte de compensações do Estado sobre a construção do Trecho Sul do Rodoanel em São Bernardo, o pré-candidato do PSL à Prefeitura, vereador Rafael Demarchi (PSL), segue sem se movimentar oficialmente.

No dia 1º de agosto, o Diário mostrou que, em 2017, o governo do prefeito Orlando Morando (PSDB) abriu mão de uma alternativa para efetivar reparação ambiental que tinha sido engavetada pelo Palácio dos Bandeirantes – o Estado havia prometido construir um parque às margens da Represa Billings, não cumpriu, e a proposta era que áreas remanescentes de desapropriações da obra viária virassem patrimônio do município, o que também não se efetivou.

No dia 4 de agosto, ao Diário, Demarchi se comprometeu a agir. “Fiquei perplexo ao ler no Diário. É algo que o Ministério Público precisa apurar, por isso vamos ingressar com esse pedido. São Bernardo não pode ser lesada por interesses que não sejam públicos, por isso é preciso investigar se alguém saiu ganhando com essa situação”, disse, à época.

Questionado ontem novamente sobre o caso e sobre os motivos pelos quais ainda não acionou a promotoria, Demarchi argumentou que a pré-campanha ao Paço tomou seu tempo. “Ainda não consegui parar por causa da pré-campanha, que exige muito. Mas a ideia é conseguiu levar a representação amanhã (hoje) ou no início da semana que vem ao MP.”

Demarchj busca ser terceira via no pleito deste ano, como oposição a Morando e com críticas ao PT. Porém, efetivamente, seu trabalho como oposicionista é visto com desconfiança no ambiente político ao qual pertence: a Câmara.

Diante das denúncias de fraude na merenda escolar no governo Morando – apontadas pela PF (Polícia Federal) e MPF (Ministério Público Federal) –, Demarchi prometeu mobilizar uma CPI.

Os vereadores, entretanto, argumentam que nunca foram consultados por Demarchi acerca da comissão investigativa e que ficaram sabendo das intenções do parlamentar exclusivamente pela imprensa. O pedido formal de CPI, aliás, sequer foi protocolado – recentemente a casa instaurou duas CPIs governistas para que nenhum bloco investigativo indigesto a Morando avançasse. As CPIs da Transpetro e da OAS têm duração de 180 dias, o que inviabiliza qualquer apuração do Legislativo sobre os contratos suspeitos da merenda antes da eleição. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;