Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 5 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Câmara de Ribeirão adia projeto de manutenção dos salários da classe política

Pixabay Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Após emenda que sugere redução de 20% nos vencimentos, casa opta por postergar debate; há duas semanas, Legislativo sugeriu aumentar em 26% os contracheques de prefeito, vice e vereadores


Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

20/08/2020 | 16:33


Os vereadores de Ribeirão Pires adiaram por duas semanas o projeto que prevê a manutenção dos salários da classe política da cidade, em movimento que abre a possibilidade de debate de proposta para redução dos vencimentos de prefeito, vice, secretários e vereadores na ordem de 20% para a próxima legislatura.

Na quarta-feira, o vereador Amigão D''''Orto (PSB), pré-candidato a vice na chapa encabeçada pelo ex-prefeito Clóvis Volpi (PL), protocolou emenda para forçar o corte do contracheque. Pela sugestão, prefeito teria reduzido os vencimentos de R$ 20.042,34 para R$ 16.033,87. O vice, secretários e vereadores, que recebem R$ 10.021,17, teriam de R$ 8.016,93 de salários.

“Entendemos que os próximos anos serão difíceis, precisarão de grande ajuda na luta pela retomada econômica, não só no Brasil, mas em Ribeirão Pires. Vemos que essa redução de 20% nos atuais subsídios para próximo biênio será de grande ajuda nessa retomada. Com a mencionada redução dos subsídios iremos ter economizado, a fim da próxima legislatura, R$ 2.212.699,02”, sustenta a emenda do vereador.

Amigão citou que teve a ideia de pedir a redução salarial após movimento do presidente da Câmara, Rato Teixeira (PTB), para acrescer os vencimentos da classe política local. Na semana passada, o petebista, sobrinho do prefeito Adler Kiko Teixeira (PSDB), enviou questionário aos parlamentares para saber se os vereadores eram favoráveis à majoração dos movimentos. Os colegas de Rato, entretanto, desaprovaram a medida. Dias depois, em movimento de recuo, o mandatário do Legislativo disse que protocolaria projeto que fixava os atuais salários sem qualquer tipo de aumento.

“Conversei com os vereadores e alguns se interessaram na proposta (de redução). Então eles sugeriram que eu retirasse o projeto do setor jurídico e protocolasse outro no nome de todos os vereadores da casa. Acredito que desta forma eu consiga ter as assinaturas necessárias para que o projeto seja acolhido”, alegou Amigão. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Câmara de Ribeirão adia projeto de manutenção dos salários da classe política

Após emenda que sugere redução de 20% nos vencimentos, casa opta por postergar debate; há duas semanas, Legislativo sugeriu aumentar em 26% os contracheques de prefeito, vice e vereadores

Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

20/08/2020 | 16:33


Os vereadores de Ribeirão Pires adiaram por duas semanas o projeto que prevê a manutenção dos salários da classe política da cidade, em movimento que abre a possibilidade de debate de proposta para redução dos vencimentos de prefeito, vice, secretários e vereadores na ordem de 20% para a próxima legislatura.

Na quarta-feira, o vereador Amigão D''''Orto (PSB), pré-candidato a vice na chapa encabeçada pelo ex-prefeito Clóvis Volpi (PL), protocolou emenda para forçar o corte do contracheque. Pela sugestão, prefeito teria reduzido os vencimentos de R$ 20.042,34 para R$ 16.033,87. O vice, secretários e vereadores, que recebem R$ 10.021,17, teriam de R$ 8.016,93 de salários.

“Entendemos que os próximos anos serão difíceis, precisarão de grande ajuda na luta pela retomada econômica, não só no Brasil, mas em Ribeirão Pires. Vemos que essa redução de 20% nos atuais subsídios para próximo biênio será de grande ajuda nessa retomada. Com a mencionada redução dos subsídios iremos ter economizado, a fim da próxima legislatura, R$ 2.212.699,02”, sustenta a emenda do vereador.

Amigão citou que teve a ideia de pedir a redução salarial após movimento do presidente da Câmara, Rato Teixeira (PTB), para acrescer os vencimentos da classe política local. Na semana passada, o petebista, sobrinho do prefeito Adler Kiko Teixeira (PSDB), enviou questionário aos parlamentares para saber se os vereadores eram favoráveis à majoração dos movimentos. Os colegas de Rato, entretanto, desaprovaram a medida. Dias depois, em movimento de recuo, o mandatário do Legislativo disse que protocolaria projeto que fixava os atuais salários sem qualquer tipo de aumento.

“Conversei com os vereadores e alguns se interessaram na proposta (de redução). Então eles sugeriram que eu retirasse o projeto do setor jurídico e protocolasse outro no nome de todos os vereadores da casa. Acredito que desta forma eu consiga ter as assinaturas necessárias para que o projeto seja acolhido”, alegou Amigão. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;