Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 30 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Paris Saint-Germain passa do RB Leipzig e vai para final inédita

PSG/Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Equipe francesa, de Neymar, Di María, Mbappé e companhia, não encontra dificuldade para despachar alemães ao vencer por 3 a 0


Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

18/08/2020 | 23:59


O Paris Saint-Germain está pela primeira vez na final da Liga dos Campeões. O investimento bilionário realizado na última década, enfim, dá à equipe francesa a oportunidade de levantar o troféu de campeão da maior competição de clubes do mundo. Ontem, no Estádio da Luz, em Lisboa, o time parisiense venceu o Red Bull Leipzig, da Alemanha, por 3 a 0, com gols de Marquinhos, Di María e Bernat. A facilidade com a qual os franceses construíram o resultado favorável foi até surpreendente – ainda mais porque os alemães haviam eliminado Tottenham e Atlético de Madrid antes de chegar às semifinais.

Diferentemente da partida pelas quartas de final, contra a Atalanta, quando foi protagonista – sobretudo por não ter durante todo o tempo seus principais colegas –, desta vez Neymar teve mais opções ao lado para dividir a árdua missão de classificar o PSG. De volta ao time após cumprir suspensão, o argentino Di María teve grande atuação, a exemplo do francês Mbappé, que iniciou como titular depois de estar 100% recuperado de lesão no tornozelo direito.

Foi dos pés do argentino que saiu a cobrança de falta perfeita para Marquinhos, livre, desviar de cabeça para o fundo das redes. Pressionando a saída de bola do Red Bull Leipzig – jogada característica e que, geralmente, funciona – o PSG conseguiu recuperar algumas posses e, em uma delas, Neymar serviu (de letra) para Di María, que dominou e bateu no canto: 2 a 0.

Neymar e Mbappé perseguiam na tentativa de deixar suas marcas. Cada um teve pelo menos duas chances claras, mas desperdiçaram. Na segunda etapa, porém, quem encontrou as redes foi Bernat, empurrando ao gol passe de Di María (que depois seria eleito o melhor em campo), definindo o placar e a classificação do PSG, celebrada com muita festa pelos jogadores ainda no gramado, em um grande misto de alegria e emoção.

Um dos mais felizes era o zagueiro e capitão Thiago Silva, que no domingo vai disputar sua última partida pelo clube – seu contrato não foi renovado. “Espero que seja de uma maneira vitoriosa. Foram anos que passei aqui de batalha, momentos felizes, mas também conturbados. Derrotas que caíram nas nossas costas, por eu ser o capitão. Mas estou aqui para botar a cara e espero que esse último jogo possa coroar”, declarou o defensor. “A gente vinha correndo atrás (de chegar à final) desde a minha chegada aqui, em 2012. E todo ano tinha alguns contratempos, algumas coisas que a gente não podia avançar, ficava o peso dos últimos anos das (eliminações nas) oitavas de final”, emendou o brasileiro.

Já Mbappé, quando questionado sobre a possibilidade de Neymar ser eleito o melhor jogador da temporada, foi categórico. “Se a gente ganhar a Champions League, com certeza ele vai estar em condição de ganhar o prêmio. Naturalmente, ele está destinado a ganhar esse tipo de troféu.”

OUTRA SEMIFINAL
Bayern de Munique e Lyon decidem hoje quem encara o PSG na final de domingo. A partir das 16h, alemães e franceses medem forças em Lisboa com resultados surpreendentes na fase anterior: enquanto os bávaros eliminaram o Barcelona goleando por incríveis 8 a 2, o time da França demonstrou eficiência para despachar o Manchester City (3 a 1).  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Paris Saint-Germain passa do RB Leipzig e vai para final inédita

Equipe francesa, de Neymar, Di María, Mbappé e companhia, não encontra dificuldade para despachar alemães ao vencer por 3 a 0

Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

18/08/2020 | 23:59


O Paris Saint-Germain está pela primeira vez na final da Liga dos Campeões. O investimento bilionário realizado na última década, enfim, dá à equipe francesa a oportunidade de levantar o troféu de campeão da maior competição de clubes do mundo. Ontem, no Estádio da Luz, em Lisboa, o time parisiense venceu o Red Bull Leipzig, da Alemanha, por 3 a 0, com gols de Marquinhos, Di María e Bernat. A facilidade com a qual os franceses construíram o resultado favorável foi até surpreendente – ainda mais porque os alemães haviam eliminado Tottenham e Atlético de Madrid antes de chegar às semifinais.

Diferentemente da partida pelas quartas de final, contra a Atalanta, quando foi protagonista – sobretudo por não ter durante todo o tempo seus principais colegas –, desta vez Neymar teve mais opções ao lado para dividir a árdua missão de classificar o PSG. De volta ao time após cumprir suspensão, o argentino Di María teve grande atuação, a exemplo do francês Mbappé, que iniciou como titular depois de estar 100% recuperado de lesão no tornozelo direito.

Foi dos pés do argentino que saiu a cobrança de falta perfeita para Marquinhos, livre, desviar de cabeça para o fundo das redes. Pressionando a saída de bola do Red Bull Leipzig – jogada característica e que, geralmente, funciona – o PSG conseguiu recuperar algumas posses e, em uma delas, Neymar serviu (de letra) para Di María, que dominou e bateu no canto: 2 a 0.

Neymar e Mbappé perseguiam na tentativa de deixar suas marcas. Cada um teve pelo menos duas chances claras, mas desperdiçaram. Na segunda etapa, porém, quem encontrou as redes foi Bernat, empurrando ao gol passe de Di María (que depois seria eleito o melhor em campo), definindo o placar e a classificação do PSG, celebrada com muita festa pelos jogadores ainda no gramado, em um grande misto de alegria e emoção.

Um dos mais felizes era o zagueiro e capitão Thiago Silva, que no domingo vai disputar sua última partida pelo clube – seu contrato não foi renovado. “Espero que seja de uma maneira vitoriosa. Foram anos que passei aqui de batalha, momentos felizes, mas também conturbados. Derrotas que caíram nas nossas costas, por eu ser o capitão. Mas estou aqui para botar a cara e espero que esse último jogo possa coroar”, declarou o defensor. “A gente vinha correndo atrás (de chegar à final) desde a minha chegada aqui, em 2012. E todo ano tinha alguns contratempos, algumas coisas que a gente não podia avançar, ficava o peso dos últimos anos das (eliminações nas) oitavas de final”, emendou o brasileiro.

Já Mbappé, quando questionado sobre a possibilidade de Neymar ser eleito o melhor jogador da temporada, foi categórico. “Se a gente ganhar a Champions League, com certeza ele vai estar em condição de ganhar o prêmio. Naturalmente, ele está destinado a ganhar esse tipo de troféu.”

OUTRA SEMIFINAL
Bayern de Munique e Lyon decidem hoje quem encara o PSG na final de domingo. A partir das 16h, alemães e franceses medem forças em Lisboa com resultados surpreendentes na fase anterior: enquanto os bávaros eliminaram o Barcelona goleando por incríveis 8 a 2, o time da França demonstrou eficiência para despachar o Manchester City (3 a 1).  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;