Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 23 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Atividade no Sudeste cai 6,6% no trimestre até maio, diz boletim do BC



14/08/2020 | 11:09


A atividade econômica no Sudeste recuou 6,6% no trimestre encerrado em maio ante o período finalizado em fevereiro, quando já havia caído 0,1%, segundo dados dessazonalizados. Os números constam no Boletim Regional do Banco Central, publicado nesta sexta-feira, 14.

O BC destaca que a trajetória dos principais indicadores econômicos confirmou, até o trimestre terminado em maio, o impacto significativo que a pandemia do novo coronavírus sobre a economia da região desde meados de março, quando começou o isolamento social. Mas pondera que os dados dessazonalizados de maio já mostram recuperação de 2,2% frente a abril.

Além disso, a evolução de dados mais tempestivos, como de consumo de energia elétrica e vendas de cartão de débito, sugere que a economia continuou o processo de recuperação em junho e início de julho. Contudo, a autoridade monetária pondera que a retomada ainda está sujeita a incertezas e sua sustentação depende de fatores sanitários e econômicos.

As vendas do comércio ampliado caíram 18,8% no Sudeste, no trimestre encerrado em maio em relação ao período até fevereiro, com ajuste sazonal. O indicador de serviços, por sua vez, caiu 14,7%, e a produção industrial recuou 14,5%, deixando o mesmo porcentual de herança estatística para 2020.

Em maio, porém, o varejo ampliado na região cresceu 21,4% na margem, com ajuste, após queda de 30,5% em março e abril. A indústria avançou 8,0% depois de redução acumulada de 22,7% nos dois meses anteriores. Os serviços, por sua vez, continuaram recuando em maio, 0,7%, seguindo retrações de 7,3% e 11,6% nos meses anteriores.

Para os próximos meses, o BC cita que dados de vendas de cartão de débito da Câmara Interbancária de Pagamentos - Sistema de Liquidação de Cartões (CIP/SLC) evidenciaram elevação de 11,4% nos valores nominais recebidos pelas empresas de comércio e serviços do período de 29 de junho a 13 de julho ante as quatro semanas anteriores. O consumo de energia, continua, também sinaliza continuidade do crescimento da produção industrial em junho e início de julho no Sudeste.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Atividade no Sudeste cai 6,6% no trimestre até maio, diz boletim do BC


14/08/2020 | 11:09


A atividade econômica no Sudeste recuou 6,6% no trimestre encerrado em maio ante o período finalizado em fevereiro, quando já havia caído 0,1%, segundo dados dessazonalizados. Os números constam no Boletim Regional do Banco Central, publicado nesta sexta-feira, 14.

O BC destaca que a trajetória dos principais indicadores econômicos confirmou, até o trimestre terminado em maio, o impacto significativo que a pandemia do novo coronavírus sobre a economia da região desde meados de março, quando começou o isolamento social. Mas pondera que os dados dessazonalizados de maio já mostram recuperação de 2,2% frente a abril.

Além disso, a evolução de dados mais tempestivos, como de consumo de energia elétrica e vendas de cartão de débito, sugere que a economia continuou o processo de recuperação em junho e início de julho. Contudo, a autoridade monetária pondera que a retomada ainda está sujeita a incertezas e sua sustentação depende de fatores sanitários e econômicos.

As vendas do comércio ampliado caíram 18,8% no Sudeste, no trimestre encerrado em maio em relação ao período até fevereiro, com ajuste sazonal. O indicador de serviços, por sua vez, caiu 14,7%, e a produção industrial recuou 14,5%, deixando o mesmo porcentual de herança estatística para 2020.

Em maio, porém, o varejo ampliado na região cresceu 21,4% na margem, com ajuste, após queda de 30,5% em março e abril. A indústria avançou 8,0% depois de redução acumulada de 22,7% nos dois meses anteriores. Os serviços, por sua vez, continuaram recuando em maio, 0,7%, seguindo retrações de 7,3% e 11,6% nos meses anteriores.

Para os próximos meses, o BC cita que dados de vendas de cartão de débito da Câmara Interbancária de Pagamentos - Sistema de Liquidação de Cartões (CIP/SLC) evidenciaram elevação de 11,4% nos valores nominais recebidos pelas empresas de comércio e serviços do período de 29 de junho a 13 de julho ante as quatro semanas anteriores. O consumo de energia, continua, também sinaliza continuidade do crescimento da produção industrial em junho e início de julho no Sudeste.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;