Fechar
Publicidade

Domingo, 20 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Cobrança alta na fatura de energia elétrica leva dezenas de clientes às agências da Enel

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Consumidores chegam a esperar por até três horas para conseguir contestar os valores


Yasmin Assagra
Do Diário do Grande ABC

14/08/2020 | 00:01


Agências da Enel, responsável pela distribuição de energia no Estado, estão recebendo enormes filas nos últimos dias. Clientes estão insatisfeitos com o valor da conta, que subiu repentinamente durante a quarentena. A justificativa da empresa, de que a cobrança nos primeiros meses da pandemia foi feita pela média e o valor atual representa o consumo represado, não tem convencido os consumidores.

Na agência da Avenida Goiás, em São Caetano, a fila ocupava o lado externo da unidade. Segundo consumidores, a demora pelo atendimento foi de pelo menos três horas. Foi o caso da consultora Fátima Aparecida dos Santos, 46 anos, que chegou por lá às 9h30 e até as 12h ainda não tinha sido atendida. Fátima tentar negociar a fatura de julho, que chegou no valor de R$ 478 e, segundo ela, a média da casa era de R$ 200 – em agosto a conta veio em R$ 378. “Sei que eles vão me oferecer parcelamento, pois como não paguei as contas chegou uma única de R$ 900. O problema é que se eu aceitar vou concordar com essa atitude horrível da empresa e eu não quero, então vou fazer de tudo para negociar isso”, declara.

Já o autônomo Airton Vecchini, 61, observou outro problema na unidade de São Caetano. Conforme relatos do munícipe, a agência só autoriza oito pessoas a ficarem dentro da sede para atendimento com duas pessoas, o que agrava a aglomeração na fila. “Além disso, existem idosas que ficam na fila para o atendimento e precisam sentar, não dá para elas ficarem duas ou três horas nessa fila. É um absurdo”, lamenta Airton.

Questionada, a Enel informa que disponibiliza a partir de hoje atendimento com horário marcado nas lojas físicas, o que poderá ser realizado diretamente pelo site (>www.eneldistribuicaosp.com.br). “A companhia vem realizando melhorias no atendimento das lojas, reabertas no dia 3, cumprindo com determinação da agência reguladora e dos decretos estadual e municipal. A Enel-SP negociou com cada município a possibilidade de ampliação do horário de atendimento e conseguiu a liberação para iniciar as atividades às 7h, de segunda a sexta-feira, em algumas lojas”, destaca a nota. 

<EM>A companhia ainda explicou que o atendimento segue preferencial, “respeitando as leis vigentes e prioriza idosos e deficientes”. Com relação às unidades de atendimento presencial da região, as lojas de Santo André, São Bernardo, Diadema, Mauá e Rio Grande da Serra estão funcionando de segunda a sexta-feira, das 7h às 16h30. As lojas de Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema e Mauá também abrem aos sábados, das 9h às 15h.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Cobrança alta na fatura de energia elétrica leva dezenas de clientes às agências da Enel

Consumidores chegam a esperar por até três horas para conseguir contestar os valores

Yasmin Assagra
Do Diário do Grande ABC

14/08/2020 | 00:01


Agências da Enel, responsável pela distribuição de energia no Estado, estão recebendo enormes filas nos últimos dias. Clientes estão insatisfeitos com o valor da conta, que subiu repentinamente durante a quarentena. A justificativa da empresa, de que a cobrança nos primeiros meses da pandemia foi feita pela média e o valor atual representa o consumo represado, não tem convencido os consumidores.

Na agência da Avenida Goiás, em São Caetano, a fila ocupava o lado externo da unidade. Segundo consumidores, a demora pelo atendimento foi de pelo menos três horas. Foi o caso da consultora Fátima Aparecida dos Santos, 46 anos, que chegou por lá às 9h30 e até as 12h ainda não tinha sido atendida. Fátima tentar negociar a fatura de julho, que chegou no valor de R$ 478 e, segundo ela, a média da casa era de R$ 200 – em agosto a conta veio em R$ 378. “Sei que eles vão me oferecer parcelamento, pois como não paguei as contas chegou uma única de R$ 900. O problema é que se eu aceitar vou concordar com essa atitude horrível da empresa e eu não quero, então vou fazer de tudo para negociar isso”, declara.

Já o autônomo Airton Vecchini, 61, observou outro problema na unidade de São Caetano. Conforme relatos do munícipe, a agência só autoriza oito pessoas a ficarem dentro da sede para atendimento com duas pessoas, o que agrava a aglomeração na fila. “Além disso, existem idosas que ficam na fila para o atendimento e precisam sentar, não dá para elas ficarem duas ou três horas nessa fila. É um absurdo”, lamenta Airton.

Questionada, a Enel informa que disponibiliza a partir de hoje atendimento com horário marcado nas lojas físicas, o que poderá ser realizado diretamente pelo site (>www.eneldistribuicaosp.com.br). “A companhia vem realizando melhorias no atendimento das lojas, reabertas no dia 3, cumprindo com determinação da agência reguladora e dos decretos estadual e municipal. A Enel-SP negociou com cada município a possibilidade de ampliação do horário de atendimento e conseguiu a liberação para iniciar as atividades às 7h, de segunda a sexta-feira, em algumas lojas”, destaca a nota. 

<EM>A companhia ainda explicou que o atendimento segue preferencial, “respeitando as leis vigentes e prioriza idosos e deficientes”. Com relação às unidades de atendimento presencial da região, as lojas de Santo André, São Bernardo, Diadema, Mauá e Rio Grande da Serra estão funcionando de segunda a sexta-feira, das 7h às 16h30. As lojas de Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema e Mauá também abrem aos sábados, das 9h às 15h.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;