Fechar
Publicidade

Domingo, 20 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Fim de prazo faz prefeitos correrem

Prefeitos estão em uma verdadeira maratona nos últimos dias. Diante do encerramento de prazo eleitoral para participar de inaugurações


Raphael Rocha

14/08/2020 | 00:14


Prefeitos estão em uma verdadeira maratona nos últimos dias. Diante do encerramento de prazo eleitoral para participar de inaugurações, fazer eventos públicos relacionados à administração e até mesmo postar, na internet, feitos do governo, os chefes de Executivo estão correndo para as últimas entregas. A agenda está extensa, com série de inaugurações e autorizações de obra. Tudo para que esses passos sejam devidamente registrados antes da proibição eleitoral. Pela legislação, nenhum candidato pode participar desse tipo de atividade três meses antes da eleição – neste ano acontecerá dia 15 de novembro. Hoje também é o prazo para que assessores comissionados deixem as administrações caso queiram ser candidatos neste ano. A partir disso, os políticos se preparam para as partes burocráticas antes de ingressar devidamente no processo eleitoral. Será preciso realizar convenções, que homologarão os postulantes às prefeituras e às câmaras, abertura de contas bancárias específicas de campanha.

Predileto
Nem bem começou a campanha e já há estremecimento no Cidadania de São Bernardo. O partido foi protagonista nas últimas eleições municipais, mas, diante da iminente aliança do deputado federal Alex Manente (Cidadania) com o prefeito Orlando Morando (PSDB), o foco da sigla será por composição na Câmara. E é crescente o volume de reclamações de possível favorecimento dentro da chapa. Com reduto eleitoral no Rudge Ramos, o feirante Toninho Reis algumas vezes tentou ser vereador – quando não era ele, era sua mulher, Roseli. A crítica é a de que Alex quer porque quer elegê-lo e não está disfarçando. No domingo, Alex fez homenagem ao pai, o ex-vereador Otávio Manente (morto em 2011), em celebração ao Dia dos Pais. Uma das fotos escolhidas foi uma de campanha na qual Alex está abraçado de Otávio – com Toninho Reis ao fundo.

Multa em Mauá
Nesta semana, o corpo jurídico da pré-campanha do ex-juiz João Veríssimo (PSD), pré-candidato a prefeito de Mauá, celebrou decisão do TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo) em absolvição de processo movido pelo partido Patriota contra a instalação de outdoors na cidade. Porém, sofreu revés em outra ação. A mesma sigla ingressou com processo contra o pessedista pelo fato de ele ter espalhado faixas em homenagem ao Dia das Mães. O TRE-SP analisou o caso e condenou Veríssimo ao pagamento de multa de R$ 5.000.

Multa em Mauá – 2
Para o relator, desembargador Paulo Galizia, “há sem dúvida um viés eleitoral. Além da frase do Dias das Mães, as faixas trazem o slogan do pré-candidato (João Veríssimo) e identificam inúmeros prováveis pré-candidatos a vereadores com bairros específicos, razão pela qual a felicitação fica em segundo plano. Há um nítido caráter eleitoral e em meio proibido”. Ele pode recorrer ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Relação estremecida
A situação de união do Republicanos com o PTB em Mauá caminha para o rompimento. Depois do aumento da crise envolvendo a diretora da Fama (Faculdade de Mauá), Eliana Villeide (Republicanos), até então indicada como vice na chapa de pré-candidatura a prefeito do ex-deputado Wagner Rubinelli (PTB), a tendência é de distanciamento. O rompimento foi falado em recente reunião da executiva do Republicanos. O fim da parceria está próximo e pode ser anunciado antes do período de convenções.

Bens bloqueados
Ex-presidente da Aciscs (Associação Comercial e Industrial de São Caetano), o advogado Walter Estevam Junior (Republicanos) anunciou em grupos de WhatsApp que está vendendo um Celta, ano 2006. Mas chamou atenção um fato. Estevam foi denunciado à Justiça, pela Prefeitura de São Caetano, por suposta fraude no convênio do Natal Iluminado de 2016, quando presidia a entidade. A administração entende que ele, juntamente com outras figuras do governo de Paulo Pinheiro (DEM), praticaram delitos no contrato e cobra ressarcimento. Pediu até bloqueio de bens, o que foi concedido pelo Judiciário. Como, então, ele coloca à venda um de seus bens? 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Fim de prazo faz prefeitos correrem

Prefeitos estão em uma verdadeira maratona nos últimos dias. Diante do encerramento de prazo eleitoral para participar de inaugurações

Raphael Rocha

14/08/2020 | 00:14


Prefeitos estão em uma verdadeira maratona nos últimos dias. Diante do encerramento de prazo eleitoral para participar de inaugurações, fazer eventos públicos relacionados à administração e até mesmo postar, na internet, feitos do governo, os chefes de Executivo estão correndo para as últimas entregas. A agenda está extensa, com série de inaugurações e autorizações de obra. Tudo para que esses passos sejam devidamente registrados antes da proibição eleitoral. Pela legislação, nenhum candidato pode participar desse tipo de atividade três meses antes da eleição – neste ano acontecerá dia 15 de novembro. Hoje também é o prazo para que assessores comissionados deixem as administrações caso queiram ser candidatos neste ano. A partir disso, os políticos se preparam para as partes burocráticas antes de ingressar devidamente no processo eleitoral. Será preciso realizar convenções, que homologarão os postulantes às prefeituras e às câmaras, abertura de contas bancárias específicas de campanha.

Predileto
Nem bem começou a campanha e já há estremecimento no Cidadania de São Bernardo. O partido foi protagonista nas últimas eleições municipais, mas, diante da iminente aliança do deputado federal Alex Manente (Cidadania) com o prefeito Orlando Morando (PSDB), o foco da sigla será por composição na Câmara. E é crescente o volume de reclamações de possível favorecimento dentro da chapa. Com reduto eleitoral no Rudge Ramos, o feirante Toninho Reis algumas vezes tentou ser vereador – quando não era ele, era sua mulher, Roseli. A crítica é a de que Alex quer porque quer elegê-lo e não está disfarçando. No domingo, Alex fez homenagem ao pai, o ex-vereador Otávio Manente (morto em 2011), em celebração ao Dia dos Pais. Uma das fotos escolhidas foi uma de campanha na qual Alex está abraçado de Otávio – com Toninho Reis ao fundo.

Multa em Mauá
Nesta semana, o corpo jurídico da pré-campanha do ex-juiz João Veríssimo (PSD), pré-candidato a prefeito de Mauá, celebrou decisão do TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo) em absolvição de processo movido pelo partido Patriota contra a instalação de outdoors na cidade. Porém, sofreu revés em outra ação. A mesma sigla ingressou com processo contra o pessedista pelo fato de ele ter espalhado faixas em homenagem ao Dia das Mães. O TRE-SP analisou o caso e condenou Veríssimo ao pagamento de multa de R$ 5.000.

Multa em Mauá – 2
Para o relator, desembargador Paulo Galizia, “há sem dúvida um viés eleitoral. Além da frase do Dias das Mães, as faixas trazem o slogan do pré-candidato (João Veríssimo) e identificam inúmeros prováveis pré-candidatos a vereadores com bairros específicos, razão pela qual a felicitação fica em segundo plano. Há um nítido caráter eleitoral e em meio proibido”. Ele pode recorrer ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Relação estremecida
A situação de união do Republicanos com o PTB em Mauá caminha para o rompimento. Depois do aumento da crise envolvendo a diretora da Fama (Faculdade de Mauá), Eliana Villeide (Republicanos), até então indicada como vice na chapa de pré-candidatura a prefeito do ex-deputado Wagner Rubinelli (PTB), a tendência é de distanciamento. O rompimento foi falado em recente reunião da executiva do Republicanos. O fim da parceria está próximo e pode ser anunciado antes do período de convenções.

Bens bloqueados
Ex-presidente da Aciscs (Associação Comercial e Industrial de São Caetano), o advogado Walter Estevam Junior (Republicanos) anunciou em grupos de WhatsApp que está vendendo um Celta, ano 2006. Mas chamou atenção um fato. Estevam foi denunciado à Justiça, pela Prefeitura de São Caetano, por suposta fraude no convênio do Natal Iluminado de 2016, quando presidia a entidade. A administração entende que ele, juntamente com outras figuras do governo de Paulo Pinheiro (DEM), praticaram delitos no contrato e cobra ressarcimento. Pediu até bloqueio de bens, o que foi concedido pelo Judiciário. Como, então, ele coloca à venda um de seus bens? 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;