Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 29 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Indicador Antecedente sobe 1,9% em julho, dizem FGV e Conference Board



12/08/2020 | 11:32


O Indicador Antecedente da Economia Brasileira (IACE) subiu 1,9% em julho, para 111,5 pontos. A informação foi publicada nesta quarta-feira, 12, pela Fundação Getulio Vargas (FGV) em parceria com The Conference Board.

Seis das oito séries que compõem o IACE contribuíram para alta do indicador. A maior pressão para cima partiu dos índices de Expectativas da indústria e dos consumidores.

Na outra ponta, o Indicador Coincidente Composto da Economia Brasileira (ICCE), que mensura as condições atuais, subiu 0,5%, para 98,1 pontos, no período.

"A sinalização dada pelos resultados do IACE em maio e junho está refletida no crescimento do ICCE em julho, indicando que o pior efeito da pandemia sobre o nível de atividade econômica ficou concentrado no primeiro semestre", avalia o pesquisador da FGV Paulo Picchetti.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Indicador Antecedente sobe 1,9% em julho, dizem FGV e Conference Board


12/08/2020 | 11:32


O Indicador Antecedente da Economia Brasileira (IACE) subiu 1,9% em julho, para 111,5 pontos. A informação foi publicada nesta quarta-feira, 12, pela Fundação Getulio Vargas (FGV) em parceria com The Conference Board.

Seis das oito séries que compõem o IACE contribuíram para alta do indicador. A maior pressão para cima partiu dos índices de Expectativas da indústria e dos consumidores.

Na outra ponta, o Indicador Coincidente Composto da Economia Brasileira (ICCE), que mensura as condições atuais, subiu 0,5%, para 98,1 pontos, no período.

"A sinalização dada pelos resultados do IACE em maio e junho está refletida no crescimento do ICCE em julho, indicando que o pior efeito da pandemia sobre o nível de atividade econômica ficou concentrado no primeiro semestre", avalia o pesquisador da FGV Paulo Picchetti.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;