Fechar
Publicidade

Domingo, 20 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Inhotim demite 84 funcionários e planeja reabertura



11/08/2020 | 15:33


O Instituto Inhotim, principal museu a céu aberto do Brasil, demitiu 84 pessoas entre maio e junho em decorrência da paralisação de suas atividades provocada pela pandemia de covid-19. Apesar das demissões, o Instituto ainda planeja sua reabertura e conta atualmente com 351 funcionários.

Por meio da assessoria de imprensa, o Instituto afirmou que "a reabertura está condicionada unicamente a um consenso entre os órgãos oficiais de saúde e turismo, que determinará quando for seguro para funcionários, visitantes e moradores de Brumadinho." O museu informa ainda que, "mesmo sem ter ainda data definida, o Inhotim já está trabalhando em um plano de reabertura, que será divulgado em breve".

Ainda de acordo com o Instituto, 74,5% do seu quadro de funcionários é composto por moradores de Brumadinho e 75,6% por pessoas em situação vulnerável e o museu teria priorizado a manutenção desses colaboradores. "É com eles nosso compromisso maior, e é pelo bem-estar deles que Inhotim zela para passar pelo cenário de pandemia gerando o menor prejuízo possível

Do total de funcionários ativos no museu, 212 estão em trabalho remoto e 139, necessários para a manutenção do parque e das galerias, estão trabalhando em um esquema especial de rodízio de acordo com normas estipuladas pelos órgãos de saúde. Nenhum funcionário do Inhotim foi diagnosticado com covid-19.

A reportagem tentou contato com o Senalba-MG, sindicato que representa, entre outros, os funcionários do Inhotim, mas até o momento da publicação desta matéria, não obteve resposta.

Crises sucessivas no Inhotim

O instituto, localizado no município de Brumadinho, em Minas Gerais, já vinha de outras crises, depois que o rompimento da barragem de Córrego do Feijão, da Vale, provocou 259 mortes em janeiro de 2019. As dependências do museu em si não chegaram a ser afetadas, mas metade dos funcionários à época foram atingidos pela tragédia e o instituto viu o número de visitantes cair bruscamente após o ocorrido.

Ainda em 2017, o idealizador do Inhotim, Bernardo Paz, havia sido condenado a 9 anos e três meses de prisão em regime fechado por lavagem de dinheiro, mas foi inocentado em segunda instância em fevereiro deste ano.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Inhotim demite 84 funcionários e planeja reabertura


11/08/2020 | 15:33


O Instituto Inhotim, principal museu a céu aberto do Brasil, demitiu 84 pessoas entre maio e junho em decorrência da paralisação de suas atividades provocada pela pandemia de covid-19. Apesar das demissões, o Instituto ainda planeja sua reabertura e conta atualmente com 351 funcionários.

Por meio da assessoria de imprensa, o Instituto afirmou que "a reabertura está condicionada unicamente a um consenso entre os órgãos oficiais de saúde e turismo, que determinará quando for seguro para funcionários, visitantes e moradores de Brumadinho." O museu informa ainda que, "mesmo sem ter ainda data definida, o Inhotim já está trabalhando em um plano de reabertura, que será divulgado em breve".

Ainda de acordo com o Instituto, 74,5% do seu quadro de funcionários é composto por moradores de Brumadinho e 75,6% por pessoas em situação vulnerável e o museu teria priorizado a manutenção desses colaboradores. "É com eles nosso compromisso maior, e é pelo bem-estar deles que Inhotim zela para passar pelo cenário de pandemia gerando o menor prejuízo possível

Do total de funcionários ativos no museu, 212 estão em trabalho remoto e 139, necessários para a manutenção do parque e das galerias, estão trabalhando em um esquema especial de rodízio de acordo com normas estipuladas pelos órgãos de saúde. Nenhum funcionário do Inhotim foi diagnosticado com covid-19.

A reportagem tentou contato com o Senalba-MG, sindicato que representa, entre outros, os funcionários do Inhotim, mas até o momento da publicação desta matéria, não obteve resposta.

Crises sucessivas no Inhotim

O instituto, localizado no município de Brumadinho, em Minas Gerais, já vinha de outras crises, depois que o rompimento da barragem de Córrego do Feijão, da Vale, provocou 259 mortes em janeiro de 2019. As dependências do museu em si não chegaram a ser afetadas, mas metade dos funcionários à época foram atingidos pela tragédia e o instituto viu o número de visitantes cair bruscamente após o ocorrido.

Ainda em 2017, o idealizador do Inhotim, Bernardo Paz, havia sido condenado a 9 anos e três meses de prisão em regime fechado por lavagem de dinheiro, mas foi inocentado em segunda instância em fevereiro deste ano.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;