Fechar
Publicidade

Domingo, 20 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Produção industrial cresce em 14 dos 15 locais pesquisados em junho ante maio

Arquivo/Agência Brasil Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


11/08/2020 | 09:41


A produção industrial cresceu em 14 dos 15 locais pesquisados na passagem de maio para junho, segundo os dados da Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo o IBGE, o desempenho positivo reflete a ampliação do movimento de retorno à produção de unidades produtivas que estavam paralisadas por conta dos efeitos causados pela pandemia da Covid-19.

Em São Paulo, maior parque industrial do País, houve um avanço de 10,2%. Os demais aumentos ocorreram no Amazonas (65,7%), Ceará (39,2%), Rio Grande do Sul (12,6%), Santa Catarina (9,1%), Região Nordeste (8,0%), Minas Gerais (5,8%), Paraná (5,2%), Pernambuco (3,5%), Pará (2,8%), Goiás (0,7%), Rio de Janeiro (0,7%), Bahia (0,6%) e Espírito Santo (0,4%).

O único recuo foi registrado pelo Mato Grosso (-0,4%).

Na média global, a indústria nacional avançou 8,9% em junho ante maio.

Comparação com junho de 2019

A produção industrial encolheu em 12 dos 15 locais pesquisados em junho de 2020 ante junho de 2019, segundo o IBGE.

O resultado foi amenizado pelo efeito-calendário positivo, porque junho de 2020 teve dois dias úteis a mais do que igual mês de 2019.

No entanto, o IBGE ressalta que "permanece o movimento de menor intensidade no ritmo da produção industrial, ainda influenciada pelos efeitos do isolamento social e que afetou o processo de produção de várias unidades produtivas no país".

As perdas ocorreram no Espírito Santo (-32,4%), Ceará (-22,1%), Bahia (-14,4%), Região Nordeste (-13,0%), Santa Catarina (-12,6%), Rio Grande do Sul (-12,2%), São Paulo (-11,8%), Amazonas (-10,4%), Pará (-8,0%), Paraná (-6,8%), Minas Gerais (-6,0%) e Rio de Janeiro (-0,4%).

Na direção oposta, houve crescimento em Goiás (5,4%), Pernambuco (2,8%) e Mato Grosso (1,6%).

Na média global, a indústria nacional recuou 9,0% em junho de 2020 ante junho de 2019.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Produção industrial cresce em 14 dos 15 locais pesquisados em junho ante maio


11/08/2020 | 09:41


A produção industrial cresceu em 14 dos 15 locais pesquisados na passagem de maio para junho, segundo os dados da Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo o IBGE, o desempenho positivo reflete a ampliação do movimento de retorno à produção de unidades produtivas que estavam paralisadas por conta dos efeitos causados pela pandemia da Covid-19.

Em São Paulo, maior parque industrial do País, houve um avanço de 10,2%. Os demais aumentos ocorreram no Amazonas (65,7%), Ceará (39,2%), Rio Grande do Sul (12,6%), Santa Catarina (9,1%), Região Nordeste (8,0%), Minas Gerais (5,8%), Paraná (5,2%), Pernambuco (3,5%), Pará (2,8%), Goiás (0,7%), Rio de Janeiro (0,7%), Bahia (0,6%) e Espírito Santo (0,4%).

O único recuo foi registrado pelo Mato Grosso (-0,4%).

Na média global, a indústria nacional avançou 8,9% em junho ante maio.

Comparação com junho de 2019

A produção industrial encolheu em 12 dos 15 locais pesquisados em junho de 2020 ante junho de 2019, segundo o IBGE.

O resultado foi amenizado pelo efeito-calendário positivo, porque junho de 2020 teve dois dias úteis a mais do que igual mês de 2019.

No entanto, o IBGE ressalta que "permanece o movimento de menor intensidade no ritmo da produção industrial, ainda influenciada pelos efeitos do isolamento social e que afetou o processo de produção de várias unidades produtivas no país".

As perdas ocorreram no Espírito Santo (-32,4%), Ceará (-22,1%), Bahia (-14,4%), Região Nordeste (-13,0%), Santa Catarina (-12,6%), Rio Grande do Sul (-12,2%), São Paulo (-11,8%), Amazonas (-10,4%), Pará (-8,0%), Paraná (-6,8%), Minas Gerais (-6,0%) e Rio de Janeiro (-0,4%).

Na direção oposta, houve crescimento em Goiás (5,4%), Pernambuco (2,8%) e Mato Grosso (1,6%).

Na média global, a indústria nacional recuou 9,0% em junho de 2020 ante junho de 2019.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;