Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 28 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

'Os Oito Primeiros' reverencia Tarantino

Reprodução Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


11/08/2020 | 07:05


Em 2004, Quentin Tarantino presidia o júri de Cannes que atribuiu a Palma de Ouro ao Michael Moore de 11 de Setembro. Tarantino e o documentário não têm nada a ver. Nos filmes recentes, ele usa a ficção mais delirante para reescrever a história - matou Hitler num atentado em Bastardos Inglórios, impediu que Sharon Tate fosse assassinada em Era Uma Vez em Hollywood.

Além de fazer documentários na primeira pessoa, Moore tem fama de manipulador. No caso específico de 11 de Setembro, o objetivo era político - impedir a (re)eleição de George W. Bush. Vale lembrar tudo isso porque nesta terça, 11, Tarantino é duplamente destaque no Telecine Cult. Às 20h10, passa Os Oito Primeiros, de Tara Wood, que será seguido, às 22h, por Bastardos. Com Os Oito Primeiros pegando carona em Os Oito Odiados e considerando os dois volumes de Kill Bill um só filme, Tara Wood investiga a carreira de Tarantino. A história começa em 1992, com Cães de Aluguel, prossegue com a Palma de Ouro para Pulp Fiction dois anos depois.

Tarantino fez sua formação nas videolocadoras. Assimilou tudo - clássicos noir, blaxploitation movies, filmes de sabre, artes marciais, spaghetti westerns, etc. Construiu sua estética com base em diálogos afiados e a desmontagem dos clichês de gêneros.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

'Os Oito Primeiros' reverencia Tarantino


11/08/2020 | 07:05


Em 2004, Quentin Tarantino presidia o júri de Cannes que atribuiu a Palma de Ouro ao Michael Moore de 11 de Setembro. Tarantino e o documentário não têm nada a ver. Nos filmes recentes, ele usa a ficção mais delirante para reescrever a história - matou Hitler num atentado em Bastardos Inglórios, impediu que Sharon Tate fosse assassinada em Era Uma Vez em Hollywood.

Além de fazer documentários na primeira pessoa, Moore tem fama de manipulador. No caso específico de 11 de Setembro, o objetivo era político - impedir a (re)eleição de George W. Bush. Vale lembrar tudo isso porque nesta terça, 11, Tarantino é duplamente destaque no Telecine Cult. Às 20h10, passa Os Oito Primeiros, de Tara Wood, que será seguido, às 22h, por Bastardos. Com Os Oito Primeiros pegando carona em Os Oito Odiados e considerando os dois volumes de Kill Bill um só filme, Tara Wood investiga a carreira de Tarantino. A história começa em 1992, com Cães de Aluguel, prossegue com a Palma de Ouro para Pulp Fiction dois anos depois.

Tarantino fez sua formação nas videolocadoras. Assimilou tudo - clássicos noir, blaxploitation movies, filmes de sabre, artes marciais, spaghetti westerns, etc. Construiu sua estética com base em diálogos afiados e a desmontagem dos clichês de gêneros.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;