Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 29 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Maioria das Bolsas da Ásia fecha em alta após dados chineses



10/08/2020 | 07:14


As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta segunda-feira, 10, após dados chineses reforçarem esperanças de que a segunda maior economia do mundo está se recuperando da crise do coronavírus.

Nos negócios da China continental, o índice Xangai Composto subiu 0,75%, a 3.379,25 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 0,21%, a 2.277,42 pontos.

Dados oficiais mostraram que a taxa anual de deflação ao produtor da China desacelerou de 3% em junho para 2,4% em julho, ficando abaixo da previsão de analistas, de 2,6%. O indicador sinaliza que o gigante asiático se mantém na trajetória de recuperação, após sofrer o violento choque da pandemia de covid-19. Já a inflação anual ao consumidor chinês ganhou força no mesmo período, de 2,5% para 2,7%, como se previa.

Em outras partes da Ásia, o sul-coreano Kospi encerrou o pregão desta segunda em Seul em alta de 1,48%, a 2.386,38 pontos, atingindo o maior nível em 26 meses, enquanto o Taiex subiu 0,51% em Taiwan, a 12.894,00 pontos. A bolsa japonesa, por sua vez, não operou devido a um feriado nacional.

O mercado de Hong Kong foi exceção, com queda de 0,63% do Hang Seng, a 24.377,43 pontos. Na semana passada, os EUA anunciaram sanções a várias autoridades de Hong Kong, incluindo a chefe do executivo, Carrie Lam, por seu papel na repressão a dissidentes políticos.

Tensões entre Washington e Pequim também continuam no radar, após o presidente americano, Donald Trump, emitir decretos executivos na última quinta-feira, 6, que pretendem banir os aplicativos chineses TikTok e WeChat nos EUA a partir de meados de setembro.

Por outro lado, Trump também assinou decretos no fim de semana estendendo estímulos econômicos nos EUA, após republicanos e democratas fracassarem em negociações para o lançamento de um novo pacote fiscal em resposta aos efeitos da pandemia.

Na Oceania, a bolsa australiana ficou no azul nesta segunda, impulsionada principalmente por ações de grandes bancos domésticos. O S&P/ASX 200 avançou 1,76% em Sydney, a 6.110,20 pontos.

*Com informações da Dow Jones Newswires



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Maioria das Bolsas da Ásia fecha em alta após dados chineses


10/08/2020 | 07:14


As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta segunda-feira, 10, após dados chineses reforçarem esperanças de que a segunda maior economia do mundo está se recuperando da crise do coronavírus.

Nos negócios da China continental, o índice Xangai Composto subiu 0,75%, a 3.379,25 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 0,21%, a 2.277,42 pontos.

Dados oficiais mostraram que a taxa anual de deflação ao produtor da China desacelerou de 3% em junho para 2,4% em julho, ficando abaixo da previsão de analistas, de 2,6%. O indicador sinaliza que o gigante asiático se mantém na trajetória de recuperação, após sofrer o violento choque da pandemia de covid-19. Já a inflação anual ao consumidor chinês ganhou força no mesmo período, de 2,5% para 2,7%, como se previa.

Em outras partes da Ásia, o sul-coreano Kospi encerrou o pregão desta segunda em Seul em alta de 1,48%, a 2.386,38 pontos, atingindo o maior nível em 26 meses, enquanto o Taiex subiu 0,51% em Taiwan, a 12.894,00 pontos. A bolsa japonesa, por sua vez, não operou devido a um feriado nacional.

O mercado de Hong Kong foi exceção, com queda de 0,63% do Hang Seng, a 24.377,43 pontos. Na semana passada, os EUA anunciaram sanções a várias autoridades de Hong Kong, incluindo a chefe do executivo, Carrie Lam, por seu papel na repressão a dissidentes políticos.

Tensões entre Washington e Pequim também continuam no radar, após o presidente americano, Donald Trump, emitir decretos executivos na última quinta-feira, 6, que pretendem banir os aplicativos chineses TikTok e WeChat nos EUA a partir de meados de setembro.

Por outro lado, Trump também assinou decretos no fim de semana estendendo estímulos econômicos nos EUA, após republicanos e democratas fracassarem em negociações para o lançamento de um novo pacote fiscal em resposta aos efeitos da pandemia.

Na Oceania, a bolsa australiana ficou no azul nesta segunda, impulsionada principalmente por ações de grandes bancos domésticos. O S&P/ASX 200 avançou 1,76% em Sydney, a 6.110,20 pontos.

*Com informações da Dow Jones Newswires

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;