Fechar
Publicidade

Domingo, 20 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Dia dos Pais reacende chama em restaurantes

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Estabelecimentos da região esperam aumento de até 40% no fluxo de clientes amanhã


Tauana Marin
Diário do Grande ABC

07/08/2020 | 23:59


A terceira principal data para os restaurantes, depois de Dia das Mães e dos Namorados, o Dia dos Pais, comemorado amanhã, deve ajudar na retomada das refeições servidas nos salões dos estabelecimentos, que, até então, vêm sobrevivendo basicamente de delivery e pratos retirados no balcão. Mas agora, com autorização para receber os clientes, a expectativa é que os atendimentos dentro dos estabelecimentos cresçam até 40%, na comparação com domingos anteriores, quando o funcionamento ainda estava restrito, segundo estimativa do presidente licenciado do Sehal (Sindicato das Empresas de Hospedagem e Alimentação do Grande ABC), Beto Moreira.
 

“Neste ano não temos base de comparação, porque nas demais datas os restaurantes estavam fechados para atendimento no local, até então. Mesmo com horários reduzidos, até as 22h, acredito que muitos irão almoçar e jantar fora, até porque, os estabelecimentos estão obedecendo todas as normas de segurança”, avalia o dirigente.
 

Instalado no bairro Jardim, em Santo André, o Parrilla Del Carmem, conhecido pelos pratos com carne, estima atender amanhã cerca de 56 pessoas dispostas entre as 14 mesas. “Antes da pandemia tínhamos 35 mesas e nossa base de atendimento era de 140 pessoas. Por isso, esperamos, no mínimo, 40% de aumento no fluxo de clientes em relação aos demais domingos, até porque, o movimento tem melhorado”, aposta o sócio Victor Alexandre Sterci.
 

Responsável pelo Praça Itália, em São Bernardo, Marcelo Magro Chile acredita que o público no estabelecimento pode crescer 50% na comparação com os dias normais. “De 20 mesas antes da pandemia, agora vamos trabalhar com 11 para que todos possam ficar seguros. Estamos apostando as fichas no Dia dos Pais.”
 

No local, durante a semana bolinhos e comidas de boteco são carro-chefe, no sábado a feijoada rouba a cena, mas no domingo é a vez da parmegiana, do prato chamado espetaculoso (filé-mignon grelhado com molho à base de gorgonzola) e do nhoque caseiro ao molho de camarão. “O que tem nos mantido são, sem dúvida, o delivery por aplicativo e as comidas no drive-thru, quando os clientes vêm retirar. Acreditamos muito nessas duas ferramentas neste Dia dos Pais. Até porque, esse sistema de vendas corresponde a 80% do faturamento real que tínhamos antes do isolamento.” Para alavancar as vendas, muitos pratos para retirada ganharam descontos e promoções.
 

Os irmãos proprietários do Santo Antônio, restaurante instalado há 58 anos em São Bernardo, Odair e Ladislau Battistini, estão preparados para atender 300 mesas, das 900 que antes da pandemia recheavam o salão. “No começo da reabertura o movimento estava bem devagar, mas houve melhora acentuada, tanto durante a semana quanto no fim de semana. Acreditamos que teremos um atendimento domingo (amanhã) que representará 30% do que tivemos nos anos anteriores, mas, mediante a situação, não é um índice ruim”, conta Odair.
 

A clientela fiel também tem optado por retirar o famoso frango com polenta e as massas artesanais no balcão. “Tivemos que nos reinventar. E esse tipo de negócio está indo muito bem.” Em relação ao tíquete médio, Battistini conta que passou de R$ 200 para R$ 140. “As pessoas estão economizando mais.”
 

Vale lembrar que para amanhã, em especial, os restaurantes, em sua maioria, estão trabalhando com reserva, retirada no balcão e/ou aplicativos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Dia dos Pais reacende chama em restaurantes

Estabelecimentos da região esperam aumento de até 40% no fluxo de clientes amanhã

Tauana Marin
Diário do Grande ABC

07/08/2020 | 23:59


A terceira principal data para os restaurantes, depois de Dia das Mães e dos Namorados, o Dia dos Pais, comemorado amanhã, deve ajudar na retomada das refeições servidas nos salões dos estabelecimentos, que, até então, vêm sobrevivendo basicamente de delivery e pratos retirados no balcão. Mas agora, com autorização para receber os clientes, a expectativa é que os atendimentos dentro dos estabelecimentos cresçam até 40%, na comparação com domingos anteriores, quando o funcionamento ainda estava restrito, segundo estimativa do presidente licenciado do Sehal (Sindicato das Empresas de Hospedagem e Alimentação do Grande ABC), Beto Moreira.
 

“Neste ano não temos base de comparação, porque nas demais datas os restaurantes estavam fechados para atendimento no local, até então. Mesmo com horários reduzidos, até as 22h, acredito que muitos irão almoçar e jantar fora, até porque, os estabelecimentos estão obedecendo todas as normas de segurança”, avalia o dirigente.
 

Instalado no bairro Jardim, em Santo André, o Parrilla Del Carmem, conhecido pelos pratos com carne, estima atender amanhã cerca de 56 pessoas dispostas entre as 14 mesas. “Antes da pandemia tínhamos 35 mesas e nossa base de atendimento era de 140 pessoas. Por isso, esperamos, no mínimo, 40% de aumento no fluxo de clientes em relação aos demais domingos, até porque, o movimento tem melhorado”, aposta o sócio Victor Alexandre Sterci.
 

Responsável pelo Praça Itália, em São Bernardo, Marcelo Magro Chile acredita que o público no estabelecimento pode crescer 50% na comparação com os dias normais. “De 20 mesas antes da pandemia, agora vamos trabalhar com 11 para que todos possam ficar seguros. Estamos apostando as fichas no Dia dos Pais.”
 

No local, durante a semana bolinhos e comidas de boteco são carro-chefe, no sábado a feijoada rouba a cena, mas no domingo é a vez da parmegiana, do prato chamado espetaculoso (filé-mignon grelhado com molho à base de gorgonzola) e do nhoque caseiro ao molho de camarão. “O que tem nos mantido são, sem dúvida, o delivery por aplicativo e as comidas no drive-thru, quando os clientes vêm retirar. Acreditamos muito nessas duas ferramentas neste Dia dos Pais. Até porque, esse sistema de vendas corresponde a 80% do faturamento real que tínhamos antes do isolamento.” Para alavancar as vendas, muitos pratos para retirada ganharam descontos e promoções.
 

Os irmãos proprietários do Santo Antônio, restaurante instalado há 58 anos em São Bernardo, Odair e Ladislau Battistini, estão preparados para atender 300 mesas, das 900 que antes da pandemia recheavam o salão. “No começo da reabertura o movimento estava bem devagar, mas houve melhora acentuada, tanto durante a semana quanto no fim de semana. Acreditamos que teremos um atendimento domingo (amanhã) que representará 30% do que tivemos nos anos anteriores, mas, mediante a situação, não é um índice ruim”, conta Odair.
 

A clientela fiel também tem optado por retirar o famoso frango com polenta e as massas artesanais no balcão. “Tivemos que nos reinventar. E esse tipo de negócio está indo muito bem.” Em relação ao tíquete médio, Battistini conta que passou de R$ 200 para R$ 140. “As pessoas estão economizando mais.”
 

Vale lembrar que para amanhã, em especial, os restaurantes, em sua maioria, estão trabalhando com reserva, retirada no balcão e/ou aplicativos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;