Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 29 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Investimentos recuam 1,3% em junho contra maio e 15,6%, aponta Ipea



06/08/2020 | 16:17


O Indicador Ipea de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) aponta um recuo de 1,3% dos investimentos entre junho e maio de 2020, na série com ajuste sazonal. Com isso, o segundo trimestre de 2020 fechou com uma queda de 24,5%, também na série dessazonalizada, reflexo do isolamento social implementado na economia brasileira em virtude da pandemia da covid-19, informou nesta quinta-feira, 6, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Nas comparações com os mesmos períodos de 2019, enquanto junho registrou uma queda de 15,6%, o segundo trimestre encerrou com uma retração de 23,1%. No acumulado em doze meses, os investimentos caíram 4,1%.

O consumo aparente de máquinas e equipamentos - cujo valor corresponde à sua produção nacional destinada ao mercado interno acrescida às importações - apresentou retração de 13,9% em junho (após alta de 64,6% em maio), encerrando o segundo trimestre com baixa de 33,1%.

A produção nacional de máquinas e equipamentos teve a segunda alta seguida em junho, de 8,2%. Já a importação caiu 56,9% no mesmo período.

"Este resultado refletiu a alta base de comparação em maio, quando ocorreu um forte aumento associado à importação de plataformas de petróleo", informou o Ipea.

O indicador de construção civil, por sua vez, avançou 6,5% em junho, na série dessazonalizada. O resultado sucedeu alta de 14,6% no mês de maio. Ainda assim, o segmento registrou um recuo de 13,9% na passagem entre o primeiro e segundo trimestres de 2020.

Na comparação com o mesmo período do ano anterior, todos os segmentos registraram queda em junho. O destaque negativo ficou por conta do componente máquinas e equipamentos, que recuou para um nível 27,2% inferior a junho de 2019. Na comparação trimestral, o resultado foi similar.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Investimentos recuam 1,3% em junho contra maio e 15,6%, aponta Ipea


06/08/2020 | 16:17


O Indicador Ipea de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) aponta um recuo de 1,3% dos investimentos entre junho e maio de 2020, na série com ajuste sazonal. Com isso, o segundo trimestre de 2020 fechou com uma queda de 24,5%, também na série dessazonalizada, reflexo do isolamento social implementado na economia brasileira em virtude da pandemia da covid-19, informou nesta quinta-feira, 6, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Nas comparações com os mesmos períodos de 2019, enquanto junho registrou uma queda de 15,6%, o segundo trimestre encerrou com uma retração de 23,1%. No acumulado em doze meses, os investimentos caíram 4,1%.

O consumo aparente de máquinas e equipamentos - cujo valor corresponde à sua produção nacional destinada ao mercado interno acrescida às importações - apresentou retração de 13,9% em junho (após alta de 64,6% em maio), encerrando o segundo trimestre com baixa de 33,1%.

A produção nacional de máquinas e equipamentos teve a segunda alta seguida em junho, de 8,2%. Já a importação caiu 56,9% no mesmo período.

"Este resultado refletiu a alta base de comparação em maio, quando ocorreu um forte aumento associado à importação de plataformas de petróleo", informou o Ipea.

O indicador de construção civil, por sua vez, avançou 6,5% em junho, na série dessazonalizada. O resultado sucedeu alta de 14,6% no mês de maio. Ainda assim, o segmento registrou um recuo de 13,9% na passagem entre o primeiro e segundo trimestres de 2020.

Na comparação com o mesmo período do ano anterior, todos os segmentos registraram queda em junho. O destaque negativo ficou por conta do componente máquinas e equipamentos, que recuou para um nível 27,2% inferior a junho de 2019. Na comparação trimestral, o resultado foi similar.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;