Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 26 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Aramaçan faz 90 anos e celebra sem festa

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Tradicional clube andreense comemora saúde financeira em dia mesmo diante da pandemia


Vinícius Castelli
Do Diário do Grande ABC

06/08/2020 | 00:01


Nada de bolo, baile de gala nem outras tantas atividades que estavam programadas para comemorar os 90 anos do Clube Atlético Aramaçan, tradicional espaço andreense cujo aniversário se completa hoje. A programação imaginada pela diretoria para a celebração da data era extensa, mas os planos tiveram de ser adiados por causa da pandemia da Covid-19.

Fundado em 1930, o local, situado na Vila Pires, soma 7.000 títulos, o que equivale a 20.321 pessoas habilitadas a frequentar o espaço. E é graças a estes associados que o Aramaçan está enfrentando a crise do novo coronavírus com saúde, como explica o andreense Sidenei Matrone, 75 anos, sócio desde 1959 e presidente da agremiação. “Nossa taxa de inadimplência é muito baixa. Podemos dizer que estamos em condição saudável. Demos descontos nas taxas de manutenção e conseguimos manter todas as contas. Precisamos fazer alguns desligamentos para manter tudo equilibrado, mas não temos nenhum atraso, graças aos associados, que não deixaram o clube desassistido”, explica.

É claro que a chegada da pandemia ao País fez com que a agenda do Aramaçan, muito conhecido também pela programação social que oferece, caísse por completo. Os clubes tiveram de fechar as portas no dia 17 de março e só voltaram a receber associados em 7 de julho, ainda assim com poucas atividades disponíveis aos sócios. Para reabrir, o Aramaçan, assim como todos os outros clubes, precisou se adequar às normas de higiene. É obrigatório usar máscara nas dependências e passar pelo aferimento de temperatura na entrada. Tapetes para higienização dos calçados foram colocados antes da entrada e totens e dispensers com álcool gel estão espalhados pelo clube.

De acordo com Matrone, com o fechamento do clube e a proibição de atividades sociais para não gerar aglomeração de pessoas, o Aramaçan teve de oito a dez contratos cancelados por mês, isso para shows, eventos de casamento, formatura etc. “É um prejuízo significativo”, explica. “Na área de esportes tinham os patrocínios dos campeonatos também”, frisa. O presidente explica que estas arrecadações extraordinárias são destinadas, exclusivamente, para investimentos.
Apesar de tudo, Matrone espera por dias melhores e segue ansioso para que, quando tudo passar, as pessoas possam usufruir de tudo o que o Aramaçan oferece. “Quando os sócios voltarem, vão ver que tudo foi muito bem cuidado”. Sobre as comemorações dos 90 anos, ele diz que nem tudo está perdido.  “Tínhamos uma vasta programação de eventos para o aniversário e não pudemos fazer nada. Seria algo legal para o associado, com muitas recordações. Mas vamos pensar em fazer para 2021”, projeta.

CURIOSIDADES
O Aramaçan foi fundado em 6 de agosto de 1930 por 22 pessoas, a maioria funcionário municipal em busca de alternativa de lazer, como explicou o jornalista Ademir Medici, na coluna Memória de 6 de agosto de 2010, quando o local completou 80 anos. A agremiação hoje gera 145 empregos diretos, conta com 80 mil metros quadrados de área total e tem como algumas das atrações mais antigas o atletismo e o campeonato interno de futebol, chamado Pé na Bola, criado em 1943. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Aramaçan faz 90 anos e celebra sem festa

Tradicional clube andreense comemora saúde financeira em dia mesmo diante da pandemia

Vinícius Castelli
Do Diário do Grande ABC

06/08/2020 | 00:01


Nada de bolo, baile de gala nem outras tantas atividades que estavam programadas para comemorar os 90 anos do Clube Atlético Aramaçan, tradicional espaço andreense cujo aniversário se completa hoje. A programação imaginada pela diretoria para a celebração da data era extensa, mas os planos tiveram de ser adiados por causa da pandemia da Covid-19.

Fundado em 1930, o local, situado na Vila Pires, soma 7.000 títulos, o que equivale a 20.321 pessoas habilitadas a frequentar o espaço. E é graças a estes associados que o Aramaçan está enfrentando a crise do novo coronavírus com saúde, como explica o andreense Sidenei Matrone, 75 anos, sócio desde 1959 e presidente da agremiação. “Nossa taxa de inadimplência é muito baixa. Podemos dizer que estamos em condição saudável. Demos descontos nas taxas de manutenção e conseguimos manter todas as contas. Precisamos fazer alguns desligamentos para manter tudo equilibrado, mas não temos nenhum atraso, graças aos associados, que não deixaram o clube desassistido”, explica.

É claro que a chegada da pandemia ao País fez com que a agenda do Aramaçan, muito conhecido também pela programação social que oferece, caísse por completo. Os clubes tiveram de fechar as portas no dia 17 de março e só voltaram a receber associados em 7 de julho, ainda assim com poucas atividades disponíveis aos sócios. Para reabrir, o Aramaçan, assim como todos os outros clubes, precisou se adequar às normas de higiene. É obrigatório usar máscara nas dependências e passar pelo aferimento de temperatura na entrada. Tapetes para higienização dos calçados foram colocados antes da entrada e totens e dispensers com álcool gel estão espalhados pelo clube.

De acordo com Matrone, com o fechamento do clube e a proibição de atividades sociais para não gerar aglomeração de pessoas, o Aramaçan teve de oito a dez contratos cancelados por mês, isso para shows, eventos de casamento, formatura etc. “É um prejuízo significativo”, explica. “Na área de esportes tinham os patrocínios dos campeonatos também”, frisa. O presidente explica que estas arrecadações extraordinárias são destinadas, exclusivamente, para investimentos.
Apesar de tudo, Matrone espera por dias melhores e segue ansioso para que, quando tudo passar, as pessoas possam usufruir de tudo o que o Aramaçan oferece. “Quando os sócios voltarem, vão ver que tudo foi muito bem cuidado”. Sobre as comemorações dos 90 anos, ele diz que nem tudo está perdido.  “Tínhamos uma vasta programação de eventos para o aniversário e não pudemos fazer nada. Seria algo legal para o associado, com muitas recordações. Mas vamos pensar em fazer para 2021”, projeta.

CURIOSIDADES
O Aramaçan foi fundado em 6 de agosto de 1930 por 22 pessoas, a maioria funcionário municipal em busca de alternativa de lazer, como explicou o jornalista Ademir Medici, na coluna Memória de 6 de agosto de 2010, quando o local completou 80 anos. A agremiação hoje gera 145 empregos diretos, conta com 80 mil metros quadrados de área total e tem como algumas das atrações mais antigas o atletismo e o campeonato interno de futebol, chamado Pé na Bola, criado em 1943. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;