Fechar
Publicidade

Domingo, 20 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Maioria das Bolsas da Ásia fecha em alta, de olho em estímulos fiscais nos EUA



05/08/2020 | 07:27


As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta quarta-feira, 5, sugerindo que investidores estão confiantes de que os Estados Unidos irão eventualmente aprovar um novo pacote de estímulos fiscais para combater os efeitos da pandemia de coronavírus, apesar de recentes entraves em negociações no Congresso americano.

Na China continental, o índice Xangai Composto subiu 0,17% nesta quarta, a 3.377,56 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 0,80%, a 2.318,92 pontos.

Em outras partes da Ásia, o Hang Seng se valorizou 0,62% em Hong Kong, a 25.102,54 pontos, o sul-coreano Kospi teve alta de 1,40% em Seul, a 2.311,86 pontos, atingindo o maior patamar em 22 meses, e o Taiex registrou ganho de 0,73% em Taiwan, a 12.802,30 pontos.

Exceção, a bolsa japonesa ficou no vermelho, pressionada por ações de empresas aéreas e de concessionárias de serviços públicos. O Nikkei recuou 0,26% em Tóquio, a 22.514,84 pontos.

O secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, disse na terça que republicanos e democratas pretendem fechar um acordo sobre o próximo pacote fiscal até o final da semana, de forma que o assunto possa ser votado na semana que vem.

Antes disso, Mnuchin afirmou que o governo americano está disposto a implementar medidas de estímulos fiscais por meio de decretos executivos, caso líderes do Congresso não consigam superar suas divergências sobre o pacote.

Com as atenções voltadas para os EUA, uma queda no índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor de serviços chinês ficou em segundo plano. O indicador caiu de 58,4 em julho - que foi o maior em quase uma década - para 54,1 em julho, mas permaneceu acima da barreira de 50 que indica expansão do setor.

Na Oceania, a bolsa australiana encerrou o pregão desta quarta em baixa em meio ao pessimismo com a perspectiva econômica após a adoção de medidas de isolamento destinadas a conter a propagação da covid-19 em Melbourne, segunda maior cidade do país. O S&P/ASX 200 caiu 0,60% em Sydney, a 6.001,30 pontos.

*Com informações da Dow Jones Newswires



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Maioria das Bolsas da Ásia fecha em alta, de olho em estímulos fiscais nos EUA


05/08/2020 | 07:27


As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta quarta-feira, 5, sugerindo que investidores estão confiantes de que os Estados Unidos irão eventualmente aprovar um novo pacote de estímulos fiscais para combater os efeitos da pandemia de coronavírus, apesar de recentes entraves em negociações no Congresso americano.

Na China continental, o índice Xangai Composto subiu 0,17% nesta quarta, a 3.377,56 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 0,80%, a 2.318,92 pontos.

Em outras partes da Ásia, o Hang Seng se valorizou 0,62% em Hong Kong, a 25.102,54 pontos, o sul-coreano Kospi teve alta de 1,40% em Seul, a 2.311,86 pontos, atingindo o maior patamar em 22 meses, e o Taiex registrou ganho de 0,73% em Taiwan, a 12.802,30 pontos.

Exceção, a bolsa japonesa ficou no vermelho, pressionada por ações de empresas aéreas e de concessionárias de serviços públicos. O Nikkei recuou 0,26% em Tóquio, a 22.514,84 pontos.

O secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, disse na terça que republicanos e democratas pretendem fechar um acordo sobre o próximo pacote fiscal até o final da semana, de forma que o assunto possa ser votado na semana que vem.

Antes disso, Mnuchin afirmou que o governo americano está disposto a implementar medidas de estímulos fiscais por meio de decretos executivos, caso líderes do Congresso não consigam superar suas divergências sobre o pacote.

Com as atenções voltadas para os EUA, uma queda no índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor de serviços chinês ficou em segundo plano. O indicador caiu de 58,4 em julho - que foi o maior em quase uma década - para 54,1 em julho, mas permaneceu acima da barreira de 50 que indica expansão do setor.

Na Oceania, a bolsa australiana encerrou o pregão desta quarta em baixa em meio ao pessimismo com a perspectiva econômica após a adoção de medidas de isolamento destinadas a conter a propagação da covid-19 em Melbourne, segunda maior cidade do país. O S&P/ASX 200 caiu 0,60% em Sydney, a 6.001,30 pontos.

*Com informações da Dow Jones Newswires

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;