Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 25 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Bolsas de NY fecham em alta, em pregão volátil, com novo recorde do Nasdaq



04/08/2020 | 18:23


As bolsas de Nova York fecharam com ganhos nesta terça, 4, após ficarem sem sinal único durante boa parte do pregão. Um dado da indústria americana apoiou os índices acionários, com papéis do setor de energia liderando ganhos, mas investidores também monitoravam as dificuldades para aprovar um novo pacote de ajuda econômica nos Estados Unidos. Apesar de recuar boa parte do dia, o Nasdaq se fortaleceu e atingiu novo recorde histórico de fechamento.

O índice Dow Jones terminou em alta de 0,62%, em 26.828,47 pontos, o S&P 500 ganhou 0,36%, a 3.306,51 pontos, e o Nasdaq avançou 0,35%, a 10.941,17 pontos.

O mercado acionário abriu sem direção única, devolvendo parte dos ganhos da sessão anterior. O impasse até agora nas negociações em Washington por um novo pacote de estímulos tem chamado a atenção, já que pode dificultar a retomada nos EUA. Ainda pela manhã, porém, o dado mais forte do que o esperado de encomendas à indústria americana apoiou as ações.

Mais adiante, os índices acionários voltaram a piorar, mostrando volatilidade. Entre os setores, o de tecnologia caiu boa parte do dia, contudo terminou em alta. Entre algumas ações importantes, Apple subiu 0,67%, mas Microsoft recuou 1,50%.

Boeing, por sua vez, avançou 1,73%, ajudando o Dow Jones. O setor bancário, por outro lado, caiu, com JPMorgan em baixa de 0,57% e Citigroup, de 0,50%, mas houve alta de 1,13% no papel do Goldman Sachs. O setor de energia se destacou, em dia de alta no petróleo. ExxonMobil fechou com ganho de 2,89% e ConocoPhillips, de 2,53%.

Entre os dirigentes do Fed, Mary Daly (São Francisco) afirmou que podem ser necessários mais estímulos do que o avaliado anteriormente, diante de novos surtos do novo coronavírus em alguns Estados americanos. O NatWest destaca, em relatório, o dado melhor que o esperado e as declarações de Daly como influências no dia de hoje.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Bolsas de NY fecham em alta, em pregão volátil, com novo recorde do Nasdaq


04/08/2020 | 18:23


As bolsas de Nova York fecharam com ganhos nesta terça, 4, após ficarem sem sinal único durante boa parte do pregão. Um dado da indústria americana apoiou os índices acionários, com papéis do setor de energia liderando ganhos, mas investidores também monitoravam as dificuldades para aprovar um novo pacote de ajuda econômica nos Estados Unidos. Apesar de recuar boa parte do dia, o Nasdaq se fortaleceu e atingiu novo recorde histórico de fechamento.

O índice Dow Jones terminou em alta de 0,62%, em 26.828,47 pontos, o S&P 500 ganhou 0,36%, a 3.306,51 pontos, e o Nasdaq avançou 0,35%, a 10.941,17 pontos.

O mercado acionário abriu sem direção única, devolvendo parte dos ganhos da sessão anterior. O impasse até agora nas negociações em Washington por um novo pacote de estímulos tem chamado a atenção, já que pode dificultar a retomada nos EUA. Ainda pela manhã, porém, o dado mais forte do que o esperado de encomendas à indústria americana apoiou as ações.

Mais adiante, os índices acionários voltaram a piorar, mostrando volatilidade. Entre os setores, o de tecnologia caiu boa parte do dia, contudo terminou em alta. Entre algumas ações importantes, Apple subiu 0,67%, mas Microsoft recuou 1,50%.

Boeing, por sua vez, avançou 1,73%, ajudando o Dow Jones. O setor bancário, por outro lado, caiu, com JPMorgan em baixa de 0,57% e Citigroup, de 0,50%, mas houve alta de 1,13% no papel do Goldman Sachs. O setor de energia se destacou, em dia de alta no petróleo. ExxonMobil fechou com ganho de 2,89% e ConocoPhillips, de 2,53%.

Entre os dirigentes do Fed, Mary Daly (São Francisco) afirmou que podem ser necessários mais estímulos do que o avaliado anteriormente, diante de novos surtos do novo coronavírus em alguns Estados americanos. O NatWest destaca, em relatório, o dado melhor que o esperado e as declarações de Daly como influências no dia de hoje.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;