Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 10 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

A garra do comerciante brasileiro


Do Diário do Grande ABC

15/07/2020 | 23:59


Este 16 de julho, Dia do Comerciante, é atípico para a categoria, considerada sobrevivente perante tantas dificuldades neste 2020 em razão da crise provocada pela Covid 19. A disseminação da doença obrigou ao distanciamento físico e ao fechamento dos estabelecimentos. Nada pior para o setor, mas, como se diz, o remédio necessário. Já vivemos tempos controversos, mas, certamente, nunca como o que estamos passando neste período, que afetou o mundo todo, literalmente.

Dificuldades à parte, seguimos em frente, pois, claro, a pandemia passa, tudo passa! E continuamos a luta, firmes e fortes. Vale destacar que empresário e empreendedor brasileiros têm muita garra, criatividade e vontade de vencer. Por essa e muitas outras histórias fazemos questão de lembrar este dia. E, sim, comemorar. Por que não? Estamos aqui neste momento e em tantos outros, como sempre estivemos, para defender você, nosso associado, empresário e amigo. Continuemos nossa missão, a hora é de pensar à frente. A Acisbec coloca em sua história essa travessia de dificuldade neste ano, experiência amarga, mas que nos obriga a ter mais forças para continuar. Afinal, não vivemos apenas de notícias ruins.

Nosso Grande ABC – temos orgulho de compor essa região – abriga aproximadamente 2,7 milhões de habitantes. E continua a mostrar seus dados pujantes. Voltou neste ano ao posto de quarto maior polo consumidor do Brasil, de acordo com estudos da IPC Maps 2020 da IPC Marketing e Editora. Os números indicam que a participação do Grande ABC no consumo nacional ficou em 1,65% (ou seja, a cada R$ 100 gastos no País, R$ 1,65 é desembolsado pelos moradores das sete cidades). No ano passado esse valor era R$ 1,70. Considerando os números das sete cidades, a região fica atrás apenas das capitais São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

Dimensão desse potencial econômico local pode ser traduzida ainda em outros números, conforme a mesma pesquisa. A região tem 326 mil empresas, das quais 50 mil indústrias, 187 mil de serviços, 88 mil do setor do comércio e 363 de agribusiness. Números que são bem representativos. Pois então você, comerciante, tem importante papel em toda essa história. Parabéns pela garra, dinamismo e otimismo. A Acisbec não somente parabeniza, mas agradece a todo comerciante pela inegável importância no desenvolvimento econômico de São Bernardo.

O Dia do Comerciante no Brasil foi instituído em 1953 pelo então presidente do Senado, João Café Filho, em homenagem a José da Silva Lisboa, o Visconde de Cairu, nascido em 16 de julho de 1756. Figura histórica do Brasil colônia e reconhecido por sua visão econômica.

Valter Moura é presidente da Acisbec (Associação Comercial e Industrial de São Bernardo).


PALAVRA DO LEITOR

ECA
A falta de investimento na infância é tragédia no Brasil. Após 30 anos de vigência do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), o Brasil – governos federal, estadual e municipal – falhou em tratar infância como política prioritária e em proteger menores da violência, da falta de educação e saúde. O ECA – uma das legislações mais avançadas do mundo para defesa e promoção dos direitos das crianças e adolescentes – completou, dia 13, segunda-feira, 30 anos, em um dos países mais perigosos para crianças e adolescentes viverem. Segundo a Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), 32 crianças e adolescentes são assassinados todos os dias no Brasil. Vergonhosa estatística que os nossos governantes não enxergam, infelizmente.
José Lourenço Pechtoll
Santo André

Auxílio indevido – 1
Confesso que já estou ficando com a mente poluída de ver tantas notícias de corrupção nas mídias impressa e eletrônica. Nos últimos dias, por exemplo, este Diário publicou quase todos os dias reportagens de possíveis atos ilegais praticados pela administração do prefeito Orlando Morando, de São Bernardo (Política). Anteriormente já tinham desfilados pelas páginas deste respeitável periódico denúncias corruptivas de Mauá, Diadema e São Caetano. Agora deparo-me com manchete informando de que o governo paga auxílio emergencial para 1.210 servidores ilegalmente (dia 13). Esse número corresponde apenas aos sete municípios do Grande ABC, tendo Mauá no topo do ranking, com 296 servidores públicos (municipais, estaduais e federais) que ingressaram com pedidos para receber os R$ 600 de ajuda do governo federal. O texto da reportagem, com assinaturas dos jornalistas Fábio Martins e Raphael Rocha, foi elaborado com base em informações coletadas junto à CGU (Controladoria-Geral da União) e TCE (Tribunal de Contas do Estado), portanto, merece total credibilidade.
Arlindo Ligeirinho Ribeiro
Diadema

Auxílio indevido – 2
É de estarrecer saber que, até o momento, 391.290 funcionários públicos solicitaram e receberam auxílio emergencial liberado pelo governo federal para minimizar o sofrimento dos mais vulneráveis neste momento tão difícil que estamos atravessando (Política, dia 13). A fraude está em R$ 279 milhões. Quanta falta faz aos que não têm o que comer! Claro que alguns tiveram seus dados utilizados de forma fraudulenta, porém, é a minoria dos que tentaram ser espertalhões. A maioria foi por falsidade ideológica e má-fé mesmo. O cadastramento de 40 milhões de pessoas se deu em tempo recorde e deve haver falha que precisa ser corrigida urgentemente. O que não se admite é servidor público, concursado ou não, ter tal comportamento. Na iniciativa privada isso é roubo e causa ‘dispensa por justa causa’. Já que a máquina pública está demais inchada, é bom começo ir desinchando mandando embora maus servidores. Isso é crime de falsidade ideológica e de má-fé. A exclusão desses ‘pseudosservidores’ é maneira educativa de como não devem se comportar. É bom exemplo aos que estão e aos que pretendem entrar na carreira pública.
Mauri Fontes
Santo André

Repaginada
O Brasil carece de aperfeiçoamento político. Fazer repaginada radical em relação à situação atual. Tiro o chapéu para a proposta de Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva e José Dirceu, a de unir a esquerda para obter êxito. É perfeito e inteligente o raciocínio e precisa ser adotado em toda a política nacional e, para tal, é de simples solução: reduzir os mais de 30 partidos para apenas três. Três são suficientes para abrigar todas as tendências, esquerda, direita e centro, mantendo o espírito democrático. O grande benefício será facilitar a governabilidade.
Humberto Schuwartz Soares
Vila Velha (ES)

De novo
Prefeito Paulo Serra, a Avenida Portugal ficou bem bacana com o recapeamento (Setecidades, dia 14), mas tenho dúvida se precisava tanto quanto outras vias de Santo André, como a Queiroz dos Santos, que tem tráfego intenso, inclusive de ônibus. Agora, o que não consigo entender mesmo é por que foi paralisado o trabalho na Perimetral, que ainda tem trechos sem recapear. Pior mesmo é na Rua 24 de Fevereiro, no bairro Casa Branca, onde os serviços beiram o ridículo e são de total descaso com os moradores, principalmente. Afinal, tem trecho feito quase por inteiro (deixaram uma faixa ‘esquecida’ do lado esquerdo no sentido bairro) e noutro só fizeram em metade da via. Então pergunto: quando pretende terminar o recapeamento nesses locais?
Apolinário dos Anjos Costa
Santo André 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

A garra do comerciante brasileiro

Do Diário do Grande ABC

15/07/2020 | 23:59


Este 16 de julho, Dia do Comerciante, é atípico para a categoria, considerada sobrevivente perante tantas dificuldades neste 2020 em razão da crise provocada pela Covid 19. A disseminação da doença obrigou ao distanciamento físico e ao fechamento dos estabelecimentos. Nada pior para o setor, mas, como se diz, o remédio necessário. Já vivemos tempos controversos, mas, certamente, nunca como o que estamos passando neste período, que afetou o mundo todo, literalmente.

Dificuldades à parte, seguimos em frente, pois, claro, a pandemia passa, tudo passa! E continuamos a luta, firmes e fortes. Vale destacar que empresário e empreendedor brasileiros têm muita garra, criatividade e vontade de vencer. Por essa e muitas outras histórias fazemos questão de lembrar este dia. E, sim, comemorar. Por que não? Estamos aqui neste momento e em tantos outros, como sempre estivemos, para defender você, nosso associado, empresário e amigo. Continuemos nossa missão, a hora é de pensar à frente. A Acisbec coloca em sua história essa travessia de dificuldade neste ano, experiência amarga, mas que nos obriga a ter mais forças para continuar. Afinal, não vivemos apenas de notícias ruins.

Nosso Grande ABC – temos orgulho de compor essa região – abriga aproximadamente 2,7 milhões de habitantes. E continua a mostrar seus dados pujantes. Voltou neste ano ao posto de quarto maior polo consumidor do Brasil, de acordo com estudos da IPC Maps 2020 da IPC Marketing e Editora. Os números indicam que a participação do Grande ABC no consumo nacional ficou em 1,65% (ou seja, a cada R$ 100 gastos no País, R$ 1,65 é desembolsado pelos moradores das sete cidades). No ano passado esse valor era R$ 1,70. Considerando os números das sete cidades, a região fica atrás apenas das capitais São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

Dimensão desse potencial econômico local pode ser traduzida ainda em outros números, conforme a mesma pesquisa. A região tem 326 mil empresas, das quais 50 mil indústrias, 187 mil de serviços, 88 mil do setor do comércio e 363 de agribusiness. Números que são bem representativos. Pois então você, comerciante, tem importante papel em toda essa história. Parabéns pela garra, dinamismo e otimismo. A Acisbec não somente parabeniza, mas agradece a todo comerciante pela inegável importância no desenvolvimento econômico de São Bernardo.

O Dia do Comerciante no Brasil foi instituído em 1953 pelo então presidente do Senado, João Café Filho, em homenagem a José da Silva Lisboa, o Visconde de Cairu, nascido em 16 de julho de 1756. Figura histórica do Brasil colônia e reconhecido por sua visão econômica.

Valter Moura é presidente da Acisbec (Associação Comercial e Industrial de São Bernardo).


PALAVRA DO LEITOR

ECA
A falta de investimento na infância é tragédia no Brasil. Após 30 anos de vigência do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), o Brasil – governos federal, estadual e municipal – falhou em tratar infância como política prioritária e em proteger menores da violência, da falta de educação e saúde. O ECA – uma das legislações mais avançadas do mundo para defesa e promoção dos direitos das crianças e adolescentes – completou, dia 13, segunda-feira, 30 anos, em um dos países mais perigosos para crianças e adolescentes viverem. Segundo a Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), 32 crianças e adolescentes são assassinados todos os dias no Brasil. Vergonhosa estatística que os nossos governantes não enxergam, infelizmente.
José Lourenço Pechtoll
Santo André

Auxílio indevido – 1
Confesso que já estou ficando com a mente poluída de ver tantas notícias de corrupção nas mídias impressa e eletrônica. Nos últimos dias, por exemplo, este Diário publicou quase todos os dias reportagens de possíveis atos ilegais praticados pela administração do prefeito Orlando Morando, de São Bernardo (Política). Anteriormente já tinham desfilados pelas páginas deste respeitável periódico denúncias corruptivas de Mauá, Diadema e São Caetano. Agora deparo-me com manchete informando de que o governo paga auxílio emergencial para 1.210 servidores ilegalmente (dia 13). Esse número corresponde apenas aos sete municípios do Grande ABC, tendo Mauá no topo do ranking, com 296 servidores públicos (municipais, estaduais e federais) que ingressaram com pedidos para receber os R$ 600 de ajuda do governo federal. O texto da reportagem, com assinaturas dos jornalistas Fábio Martins e Raphael Rocha, foi elaborado com base em informações coletadas junto à CGU (Controladoria-Geral da União) e TCE (Tribunal de Contas do Estado), portanto, merece total credibilidade.
Arlindo Ligeirinho Ribeiro
Diadema

Auxílio indevido – 2
É de estarrecer saber que, até o momento, 391.290 funcionários públicos solicitaram e receberam auxílio emergencial liberado pelo governo federal para minimizar o sofrimento dos mais vulneráveis neste momento tão difícil que estamos atravessando (Política, dia 13). A fraude está em R$ 279 milhões. Quanta falta faz aos que não têm o que comer! Claro que alguns tiveram seus dados utilizados de forma fraudulenta, porém, é a minoria dos que tentaram ser espertalhões. A maioria foi por falsidade ideológica e má-fé mesmo. O cadastramento de 40 milhões de pessoas se deu em tempo recorde e deve haver falha que precisa ser corrigida urgentemente. O que não se admite é servidor público, concursado ou não, ter tal comportamento. Na iniciativa privada isso é roubo e causa ‘dispensa por justa causa’. Já que a máquina pública está demais inchada, é bom começo ir desinchando mandando embora maus servidores. Isso é crime de falsidade ideológica e de má-fé. A exclusão desses ‘pseudosservidores’ é maneira educativa de como não devem se comportar. É bom exemplo aos que estão e aos que pretendem entrar na carreira pública.
Mauri Fontes
Santo André

Repaginada
O Brasil carece de aperfeiçoamento político. Fazer repaginada radical em relação à situação atual. Tiro o chapéu para a proposta de Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva e José Dirceu, a de unir a esquerda para obter êxito. É perfeito e inteligente o raciocínio e precisa ser adotado em toda a política nacional e, para tal, é de simples solução: reduzir os mais de 30 partidos para apenas três. Três são suficientes para abrigar todas as tendências, esquerda, direita e centro, mantendo o espírito democrático. O grande benefício será facilitar a governabilidade.
Humberto Schuwartz Soares
Vila Velha (ES)

De novo
Prefeito Paulo Serra, a Avenida Portugal ficou bem bacana com o recapeamento (Setecidades, dia 14), mas tenho dúvida se precisava tanto quanto outras vias de Santo André, como a Queiroz dos Santos, que tem tráfego intenso, inclusive de ônibus. Agora, o que não consigo entender mesmo é por que foi paralisado o trabalho na Perimetral, que ainda tem trechos sem recapear. Pior mesmo é na Rua 24 de Fevereiro, no bairro Casa Branca, onde os serviços beiram o ridículo e são de total descaso com os moradores, principalmente. Afinal, tem trecho feito quase por inteiro (deixaram uma faixa ‘esquecida’ do lado esquerdo no sentido bairro) e noutro só fizeram em metade da via. Então pergunto: quando pretende terminar o recapeamento nesses locais?
Apolinário dos Anjos Costa
Santo André 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;