Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 4 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Polícia do Rio indicia Ronnie Lessa por tráfico internacional de armas



13/07/2020 | 12:50


A Polícia Civil do Rio de Janeiro indiciou o policial militar (PM) reformado Ronnie Lessa - que está preso acusado de participação nas mortes da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes - pelo crime de tráfico internacional de armas. Uma filha de Lessa também foi indiciada.

Segundo o delegado Marcus Amim, titular da Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme), Ronnie Lessa e sua filha traficaram peças de armas da China para serem montadas no Brasil. As transações teriam ocorrido a partir de 2014.

As investigações apontam que o PM reformado comprava as peças no país asiático pela internet. Após isso, ele encaminhava o material para os Estados Unidos, onde sua filha morava. Ela, então, ficava responsável por trocar as embalagens originais, colocando em outras com o título "peças de metal" para enganar a fiscalização aeroportuária e facilitar a entrada das peças no Brasil.

Ainda de acordo com o delegado, quando as peças chegavam ao País, Ronnie Lessa montava as armas e as vendia para narcotraficantes e milicianos.

Defesa

A reportagem tenta contato com a defesa de Ronnie Lessa. O espaço está aberto para manifestações.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Polícia do Rio indicia Ronnie Lessa por tráfico internacional de armas


13/07/2020 | 12:50


A Polícia Civil do Rio de Janeiro indiciou o policial militar (PM) reformado Ronnie Lessa - que está preso acusado de participação nas mortes da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes - pelo crime de tráfico internacional de armas. Uma filha de Lessa também foi indiciada.

Segundo o delegado Marcus Amim, titular da Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme), Ronnie Lessa e sua filha traficaram peças de armas da China para serem montadas no Brasil. As transações teriam ocorrido a partir de 2014.

As investigações apontam que o PM reformado comprava as peças no país asiático pela internet. Após isso, ele encaminhava o material para os Estados Unidos, onde sua filha morava. Ela, então, ficava responsável por trocar as embalagens originais, colocando em outras com o título "peças de metal" para enganar a fiscalização aeroportuária e facilitar a entrada das peças no Brasil.

Ainda de acordo com o delegado, quando as peças chegavam ao País, Ronnie Lessa montava as armas e as vendia para narcotraficantes e milicianos.

Defesa

A reportagem tenta contato com a defesa de Ronnie Lessa. O espaço está aberto para manifestações.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;