Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 5 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Estado sinaliza que não bancará hospital de campanha de Diadema

Governo paulista diz que já auxiliou município e que ‘há condições de atender pacientes’


Junior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

12/07/2020 | 00:30


O governo do Estado indicou, ao Diário, que não deve instalar hospital de campanha em Diadema, como espera o governo do prefeito Lauro Michels (PV) há três meses para atender pacientes de Covid-19. Em suma, o Palácio dos Bandeirantes afirmou que a atual estrutura, sem o hospital de campanha, tem “condições de assistir os pacientes”.

A instalação de hospital de campanha em espaço ocioso no segundo andar do Quarteirão da Saúde, no Centro, foi prometida por Lauro ainda em abril. O projeto do verde, porém, era pleitear o custeio da unidade ao governo do Estado. Quando a ideia completou dois meses sem avanço, o Paço conseguiu sinalização positiva do governo João Doria (PSDB) e agendou visita do secretário estadual Marco Vinholi (PSDB, Desenvolvimento Regional) ao espaço onde seriam instalados os leitos.

A vinda do representante do Estado, porém, foi desmarcada e a gestão Lauro passou a esperar pela instalação de um número de leitos bem menor do que foi projetado: apenas 20 das 103 vagas idealizadas. Nesta semana, o Paço diademense informou que “aguarda a assinatura do convênio e repasse do governo do Estado para implementação de 25 novos leitos prometidos para a região, sendo 20 em Diadema”.

Porém, por meio de nota, o Estado voltou a afirmar que já tem auxiliado Diadema no enfrentamento da pandemia provocada pelo coronavírus. “Para as prefeituras do Grande ABC, no total, foram destinados mais de R$ 32 milhões. Diadema, por exemplo, recebeu R$ 4,2 milhões. Além disso, foram destinados 20 respiradores a serviços de saúde localizados em Diadema para ativação de leitos de UTI, sendo dez para o Hospital Estadual (no Serraria) e outros dez para o município. A Secretaria de Estado da Saúde também auxiliou no processo de habilitação de 20 leitos de UTI no Hospital Municipal de Diadema, já liberados pelo Ministério da Saúde. A pasta também pleiteou ao governo federal o aval de outros dez leitos do tipo ativados no Hospital Estadual. A taxa de ocupação de leitos de UTI da região até ontem (a nota foi enviada na quarta-feira) foi de 64%. Portanto, há condições de assistir os pacientes”, disse a pasta. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Estado sinaliza que não bancará hospital de campanha de Diadema

Governo paulista diz que já auxiliou município e que ‘há condições de atender pacientes’

Junior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

12/07/2020 | 00:30


O governo do Estado indicou, ao Diário, que não deve instalar hospital de campanha em Diadema, como espera o governo do prefeito Lauro Michels (PV) há três meses para atender pacientes de Covid-19. Em suma, o Palácio dos Bandeirantes afirmou que a atual estrutura, sem o hospital de campanha, tem “condições de assistir os pacientes”.

A instalação de hospital de campanha em espaço ocioso no segundo andar do Quarteirão da Saúde, no Centro, foi prometida por Lauro ainda em abril. O projeto do verde, porém, era pleitear o custeio da unidade ao governo do Estado. Quando a ideia completou dois meses sem avanço, o Paço conseguiu sinalização positiva do governo João Doria (PSDB) e agendou visita do secretário estadual Marco Vinholi (PSDB, Desenvolvimento Regional) ao espaço onde seriam instalados os leitos.

A vinda do representante do Estado, porém, foi desmarcada e a gestão Lauro passou a esperar pela instalação de um número de leitos bem menor do que foi projetado: apenas 20 das 103 vagas idealizadas. Nesta semana, o Paço diademense informou que “aguarda a assinatura do convênio e repasse do governo do Estado para implementação de 25 novos leitos prometidos para a região, sendo 20 em Diadema”.

Porém, por meio de nota, o Estado voltou a afirmar que já tem auxiliado Diadema no enfrentamento da pandemia provocada pelo coronavírus. “Para as prefeituras do Grande ABC, no total, foram destinados mais de R$ 32 milhões. Diadema, por exemplo, recebeu R$ 4,2 milhões. Além disso, foram destinados 20 respiradores a serviços de saúde localizados em Diadema para ativação de leitos de UTI, sendo dez para o Hospital Estadual (no Serraria) e outros dez para o município. A Secretaria de Estado da Saúde também auxiliou no processo de habilitação de 20 leitos de UTI no Hospital Municipal de Diadema, já liberados pelo Ministério da Saúde. A pasta também pleiteou ao governo federal o aval de outros dez leitos do tipo ativados no Hospital Estadual. A taxa de ocupação de leitos de UTI da região até ontem (a nota foi enviada na quarta-feira) foi de 64%. Portanto, há condições de assistir os pacientes”, disse a pasta. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;