Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 12 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Polícia prende suspeito de matar jovem no litoral de São Paulo



11/07/2020 | 14:10


A polícia prendeu no final da tarde desta sexta-feira, 10, em Ilhabela, um homem de 37 anos suspeito de matar a jovem Julia Rosenberg. Ele foi detido após tentar agredir uma mulher de 23 anos. O namorado da vítima chamou a polícia ao flagrar o homem tentando agarrar a jovem e ele foi detido por importunação sexual.

Com o homem, foram encontrados um celular e uma peça de roupa feminina. Durante o depoimento, ele afirmou ter estado em Maresias no dia em que o assassinato de Julia aconteceu. Na delegacia foram recolhidas amostras de tecido para a perícia realizar a comparação com o material apreendido no local onde o corpo de Julia foi encontrado, em São Sebastião.

Segundo a polícia, a importunação sexual cometida em Ilhabela e a relação dele com a cidade de Maresias levantaram a suspeita do suposto envolvimento dele no assassinato de Julia. O caso segue em investigação pelo 2º DP de São Sebastião.

A morte de Julia

O corpo de Júlia Rosenberg, de 21 anos, foi encontrado pelo Corpo de Bombeiros na segunda-feira, 6, em uma trilha em São Sebastião, no litoral norte de São Paulo.

A jovem havia desaparecido na manhã de domingo, 5, após realizar uma trilha entre as praias de Paúba e Maresias. Segundo a Polícia Civil, o corpo foi encontrado parcialmente enterrado, com folhas cobrindo a cabeça e sinais de estrangulamento.

Segundo a perícia, o celular, o par de tênis e uma pochete que Júlia usava durante a trilha não foram encontrados junto ao corpo. A cinta da pochete, porém, foi usada para asfixiá-la e também foi encontrada uma máscara dentro da boca da jovem. O crime foi tipificado pela Polícia Civil como latrocínio, ou seja, roubo seguido de morte. Julia morava no Jardim Paulista, na capital, mas estava passando a quarentena com os pais em São Sebastião.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Polícia prende suspeito de matar jovem no litoral de São Paulo


11/07/2020 | 14:10


A polícia prendeu no final da tarde desta sexta-feira, 10, em Ilhabela, um homem de 37 anos suspeito de matar a jovem Julia Rosenberg. Ele foi detido após tentar agredir uma mulher de 23 anos. O namorado da vítima chamou a polícia ao flagrar o homem tentando agarrar a jovem e ele foi detido por importunação sexual.

Com o homem, foram encontrados um celular e uma peça de roupa feminina. Durante o depoimento, ele afirmou ter estado em Maresias no dia em que o assassinato de Julia aconteceu. Na delegacia foram recolhidas amostras de tecido para a perícia realizar a comparação com o material apreendido no local onde o corpo de Julia foi encontrado, em São Sebastião.

Segundo a polícia, a importunação sexual cometida em Ilhabela e a relação dele com a cidade de Maresias levantaram a suspeita do suposto envolvimento dele no assassinato de Julia. O caso segue em investigação pelo 2º DP de São Sebastião.

A morte de Julia

O corpo de Júlia Rosenberg, de 21 anos, foi encontrado pelo Corpo de Bombeiros na segunda-feira, 6, em uma trilha em São Sebastião, no litoral norte de São Paulo.

A jovem havia desaparecido na manhã de domingo, 5, após realizar uma trilha entre as praias de Paúba e Maresias. Segundo a Polícia Civil, o corpo foi encontrado parcialmente enterrado, com folhas cobrindo a cabeça e sinais de estrangulamento.

Segundo a perícia, o celular, o par de tênis e uma pochete que Júlia usava durante a trilha não foram encontrados junto ao corpo. A cinta da pochete, porém, foi usada para asfixiá-la e também foi encontrada uma máscara dentro da boca da jovem. O crime foi tipificado pela Polícia Civil como latrocínio, ou seja, roubo seguido de morte. Julia morava no Jardim Paulista, na capital, mas estava passando a quarentena com os pais em São Sebastião.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;