Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 12 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Povo merece resposta


Do Diário do Grande ABC

08/07/2020 | 23:59


Eleitos como representantes do povo, ou seja, com a missão de serem os olhos e a voz da população, vereadores têm como uma de suas principais atribuições fiscalizar os atos do prefeito no que diz respeito ao cumprimento das leis e à aplicação correta e honesta dos recursos públicos. Infelizmente, não é isso que ocorre no dia a dia da imensa maioria das mais de 5.000 câmaras municipais do País, encobertas por névoas e bastidores de negociações nem sempre republicanas, e cujos resultados podem ser nefastos aos destinos dos municípios e de seus moradores.

E não precisa ir muito longe nem muito distante no tempo para se deparar com vereadores que, ao que parece, preferem fingir que malfeitos do Executivo são contos de fadas, ou, para ficar nos tempos modernos, fake news lançadas ao vento para prejudicar a administração ou o alcaíde de plantão. Assim tem sido o tratamento dado a denúncias que pesam contra o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB).

Por enquanto, o que veio à tona são contratos suspeitos da merenda escolar e alimentação para a rede de saúde, venda de área pública e autorização para supressão de vegetação para construção de supermercado na região central. Sem contar as cerca de 950 cestas básicas cuja validade expirou em galpão da Prefeitura. Repassadas pelo Estado, eram destinadas a socorrer famílias de baixa renda nestes tempos de pandemia do novo coronavírus.

Para os nobres vereadores da oposição, principalmente, são assuntos com os quais não se deve perder tempo, ainda mais em ano de eleição. Por ironia, o maior bloco de parlamentares que está no campo contrário ao prefeito é o do PT, o mesmo partido que desde sua fundação se colocou como o paladino da ética na política. Estranhamente, porém, não se tem notícia de que tenham movido sequer uma palha até agora.

Não por acaso, Orlando Morando até agora nada de braçada de olho na reeleição. Coube ao vereador Rafael Demarchi dar o primeiro passo para fiscalizar os atos do prefeito, ao anunciar que buscará apoio dos pares para criar uma CPI. Se possível, que abarque todas as denúncias e que tenha o aval maciço da Câmara, inclusive dos parlamentares alinhados ao prefeito. Afinal, quem não deve, não teme. E o povo merece resposta. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Povo merece resposta

Do Diário do Grande ABC

08/07/2020 | 23:59


Eleitos como representantes do povo, ou seja, com a missão de serem os olhos e a voz da população, vereadores têm como uma de suas principais atribuições fiscalizar os atos do prefeito no que diz respeito ao cumprimento das leis e à aplicação correta e honesta dos recursos públicos. Infelizmente, não é isso que ocorre no dia a dia da imensa maioria das mais de 5.000 câmaras municipais do País, encobertas por névoas e bastidores de negociações nem sempre republicanas, e cujos resultados podem ser nefastos aos destinos dos municípios e de seus moradores.

E não precisa ir muito longe nem muito distante no tempo para se deparar com vereadores que, ao que parece, preferem fingir que malfeitos do Executivo são contos de fadas, ou, para ficar nos tempos modernos, fake news lançadas ao vento para prejudicar a administração ou o alcaíde de plantão. Assim tem sido o tratamento dado a denúncias que pesam contra o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB).

Por enquanto, o que veio à tona são contratos suspeitos da merenda escolar e alimentação para a rede de saúde, venda de área pública e autorização para supressão de vegetação para construção de supermercado na região central. Sem contar as cerca de 950 cestas básicas cuja validade expirou em galpão da Prefeitura. Repassadas pelo Estado, eram destinadas a socorrer famílias de baixa renda nestes tempos de pandemia do novo coronavírus.

Para os nobres vereadores da oposição, principalmente, são assuntos com os quais não se deve perder tempo, ainda mais em ano de eleição. Por ironia, o maior bloco de parlamentares que está no campo contrário ao prefeito é o do PT, o mesmo partido que desde sua fundação se colocou como o paladino da ética na política. Estranhamente, porém, não se tem notícia de que tenham movido sequer uma palha até agora.

Não por acaso, Orlando Morando até agora nada de braçada de olho na reeleição. Coube ao vereador Rafael Demarchi dar o primeiro passo para fiscalizar os atos do prefeito, ao anunciar que buscará apoio dos pares para criar uma CPI. Se possível, que abarque todas as denúncias e que tenha o aval maciço da Câmara, inclusive dos parlamentares alinhados ao prefeito. Afinal, quem não deve, não teme. E o povo merece resposta. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;