Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 5 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Tempo para recuperar


Do Diário do Grande ABC

07/07/2020 | 23:59


Assim como a luta em defesa de trazer o Metrô para fazer a ligação do Grande ABC à Capital, a revitalização da Avenida dos Estados é bandeira histórica deste Diário, que desde pelo menos a década de 1980 cobra com insistência ações mais efetivas do poder público para sanar problemas que atormentam a vida de motoristas que diariamente utilizam a via, considerada um dos principais corredores para o desenvolvimento da região. Afinal, pela artéria que margeia o Rio Tamanduateí e corta São Caetano, Santo André e Mauá trafegam cargas que ajudam a impulsionar a economia das sete cidades.

A grita do jornal deu resultado, e a via, que um dia foi de paralelepípedos, ganhou asfalto e outras melhorias. Mas a ação do tempo e a intensa circulação de veículos de passeio e de cargas causou estragos, muitos dos quais têm sido apenas maquiados com um reparo aqui, outro ali.

Mas é preciso mais, muito mais cuidados para evitar que viagens que poderiam gerar riquezas acabem em prejuízos. Assim, é de se louvar o esforço do prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), em cobrar insistentemente o auxílio financeiro do governo do Estado – que fica com a maior parcela das receitas geradas em tributos – para levar a cabo a revitalização da via.

Como prega o ditado, ‘água mole em pedra dura tanto bate até que fura’ que o prefeito, enfim, fechou acordo com o Palácio dos Bandeirantes e prevê que ainda neste mês dará o pontapé inicial na tão sonhada revitalização da Avenida dos Estados, mas tão somente no trecho de 17 quilômetros entre as divisas com São Caetano e Mauá.

Não é o sonho de consumo de quem depende da via e se vê às voltas com buracos, desníveis e reparos que fazem das faixas de rolamento perigo constante. Sem contar outros tantos problemas, como iluminação precária em praticamente toda a extensão. Mas é um alento saber que, mesmo em meio à crise causada pelo novo coranavírus, existe também a preocupação em recuperar o que existe enquanto é tempo. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Tempo para recuperar

Do Diário do Grande ABC

07/07/2020 | 23:59


Assim como a luta em defesa de trazer o Metrô para fazer a ligação do Grande ABC à Capital, a revitalização da Avenida dos Estados é bandeira histórica deste Diário, que desde pelo menos a década de 1980 cobra com insistência ações mais efetivas do poder público para sanar problemas que atormentam a vida de motoristas que diariamente utilizam a via, considerada um dos principais corredores para o desenvolvimento da região. Afinal, pela artéria que margeia o Rio Tamanduateí e corta São Caetano, Santo André e Mauá trafegam cargas que ajudam a impulsionar a economia das sete cidades.

A grita do jornal deu resultado, e a via, que um dia foi de paralelepípedos, ganhou asfalto e outras melhorias. Mas a ação do tempo e a intensa circulação de veículos de passeio e de cargas causou estragos, muitos dos quais têm sido apenas maquiados com um reparo aqui, outro ali.

Mas é preciso mais, muito mais cuidados para evitar que viagens que poderiam gerar riquezas acabem em prejuízos. Assim, é de se louvar o esforço do prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), em cobrar insistentemente o auxílio financeiro do governo do Estado – que fica com a maior parcela das receitas geradas em tributos – para levar a cabo a revitalização da via.

Como prega o ditado, ‘água mole em pedra dura tanto bate até que fura’ que o prefeito, enfim, fechou acordo com o Palácio dos Bandeirantes e prevê que ainda neste mês dará o pontapé inicial na tão sonhada revitalização da Avenida dos Estados, mas tão somente no trecho de 17 quilômetros entre as divisas com São Caetano e Mauá.

Não é o sonho de consumo de quem depende da via e se vê às voltas com buracos, desníveis e reparos que fazem das faixas de rolamento perigo constante. Sem contar outros tantos problemas, como iluminação precária em praticamente toda a extensão. Mas é um alento saber que, mesmo em meio à crise causada pelo novo coranavírus, existe também a preocupação em recuperar o que existe enquanto é tempo. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;