Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 10 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Bolsas de NY fecham em alta, com Nasdaq em novo recorde histórico

Pixabay Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


06/07/2020 | 18:00


As bolsas de Nova York fecharam com ganhos nesta segunda-feira, 6. Uma jornada forte no mercado acionário da China ajudou o humor desde o início do dia, apoiado também por uma compra de ativos da Berkshire Hathaway, do bilionário Warren Buffett, e por sinais de retomada econômica. Com isso, ficou em segundo plano a disseminação da covid-19 em vários Estados americanos.

O índice Dow Jones fechou em alta de 1,78%, em 26.287,03 pontos, o Nasdaq subiu 2,21%, a 10.433,65 pontos, em nova máxima histórica de fechamento, e o S&P 500 teve ganho de 1,59%, a 3.179,72 pontos.

A notícia de que a empresa de Buffett comprou ativos da Dominion Energy por US$ 9,7 bilhões agradou, já que foi a primeira aquisição de peso do megainvestidor desde o início da pandemia.

Entre ações em foco, Amazon subiu 5,77%, com o papel superando a marca de US$ 3 mil hoje. A ação sobe mais de 65% em 2020, com a avaliação de que a empresa tem um modelo de sucesso para lidar com esse quadro de pandemia. Uber avançou 6,00%, após comprar o serviço de delivery Postmates por US$ 2,65 bilhões.

Entre algumas ações de peso, Apple subiu 2,68%, Alphabet ganhou 2,02% e Microsoft, 2,15%. Boeing fechou em alta de 3,93% e Caterpillar, de 1,34%. Entre os bancos, Citigroup subiu 2,81% e Bank of America, 1,59%. Entre os setores, serviços de comunicação, finanças e tecnologia puxaram as altas.

O NateWest destaca em relatório que, além da força da China, ajudou o índice de atividade de serviços dos EUA medido pelo Instituto para Gestão da Oferta (ISM, na sigla em inglês), que subiu de 45,4 em maio a 57,1 em junho, acima da previsão de 50,1 dos analistas.

O banco cita também declaração do líder republicano no Senado, Mitch McConnell, segundo a qual deve ser aprovado novo pacote de estímulos no Congresso americano.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Bolsas de NY fecham em alta, com Nasdaq em novo recorde histórico


06/07/2020 | 18:00


As bolsas de Nova York fecharam com ganhos nesta segunda-feira, 6. Uma jornada forte no mercado acionário da China ajudou o humor desde o início do dia, apoiado também por uma compra de ativos da Berkshire Hathaway, do bilionário Warren Buffett, e por sinais de retomada econômica. Com isso, ficou em segundo plano a disseminação da covid-19 em vários Estados americanos.

O índice Dow Jones fechou em alta de 1,78%, em 26.287,03 pontos, o Nasdaq subiu 2,21%, a 10.433,65 pontos, em nova máxima histórica de fechamento, e o S&P 500 teve ganho de 1,59%, a 3.179,72 pontos.

A notícia de que a empresa de Buffett comprou ativos da Dominion Energy por US$ 9,7 bilhões agradou, já que foi a primeira aquisição de peso do megainvestidor desde o início da pandemia.

Entre ações em foco, Amazon subiu 5,77%, com o papel superando a marca de US$ 3 mil hoje. A ação sobe mais de 65% em 2020, com a avaliação de que a empresa tem um modelo de sucesso para lidar com esse quadro de pandemia. Uber avançou 6,00%, após comprar o serviço de delivery Postmates por US$ 2,65 bilhões.

Entre algumas ações de peso, Apple subiu 2,68%, Alphabet ganhou 2,02% e Microsoft, 2,15%. Boeing fechou em alta de 3,93% e Caterpillar, de 1,34%. Entre os bancos, Citigroup subiu 2,81% e Bank of America, 1,59%. Entre os setores, serviços de comunicação, finanças e tecnologia puxaram as altas.

O NateWest destaca em relatório que, além da força da China, ajudou o índice de atividade de serviços dos EUA medido pelo Instituto para Gestão da Oferta (ISM, na sigla em inglês), que subiu de 45,4 em maio a 57,1 em junho, acima da previsão de 50,1 dos analistas.

O banco cita também declaração do líder republicano no Senado, Mitch McConnell, segundo a qual deve ser aprovado novo pacote de estímulos no Congresso americano.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;