Fechar
Publicidade

Sábado, 11 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Estado libera vacina para todas faixas etárias

Marcello Casal Jr/Agência Brasil Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Doses estarão disponíveis até o dia 24 ou enquanto durarem os estoques dos postos


Da Diário do Grande ABC

01/07/2020 | 00:01


Com baixa cobertura em alguns dos públicos-alvos, como gestantes, puérperas (mulheres em pós-parto) e crianças de 6 meses a 6 anos, o governo do Estado resolveu ampliar a campanha de vacinação contra a Influenza (gripe) para todas as faixas etárias a partir de hoje. A imunização, que terminaria ontem, foi prorrogada até o dia 24 de julho ou enquanto durarem os estoques de doses nos postos de saúdes.

A medida foi tomada visando à proteção da população do Estado contra o vírus Influenza, reduzindo o número de pacientes com sintomas respiratórios, que muitas vezes podem ser confundidos com as reações causadas pelo novo coronavírus, que ocasiona a Covid-19. Os especialistas garantem que a vacina é segura, eficaz e protege contra as complicações da gripe, como pneumonias.

Embora a imunização não esteja mais restrita aos grupos prioritários, a Secretaria de Estado da Saúde faz apelo especial para a importância de ampliar a cobertura vacinal entre crianças com idade de 6 meses a menores de 6 anos, gestantes e puérperas, pois os índices nestes públicos ainda são inferiores a 60%. “É muito importante que pessoas que se enquadram nestes grupos vulneráveis busquem a unidade de saúde mais próxima de sua residência. A vacina protege contra as complicações da gripe e não causa a doença”, aponta a diretora de imunização da secretaria, Nubia Araújo.

Até a última semana, mais de 14,2 milhões de doses da vacina contra o vírus Influenza foram aplicadas em São Paulo, com 86,1% de cobertura entre os grupos prioritários.

A meta de alcançar 90% da população-alvo foi atingida entre alguns públicos, alcançando 5,8 milhões de idosos (100%); 1,5 milhão de profissionais da saúde (100%); e 6.700 mil indígenas (100%).

CORONAVÍRUS
A vacina contra a gripe não imuniza contra o novo coronavírus, mas a campanha é fundamental para reduzir o número de pessoas com sintomas respiratórios nos próximos meses. “Além de proteger a população contra a Influenza, precisamos minimizar o impacto sobre os serviços de saúde em meio à pandemia da Covid-19, já que os sintomas destas doenças são semelhantes”, comenta o secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann. 

A orientação aos profissionais que trabalham na campanha é para que haja organização da fila e do ambiente. Além disso, é importante realizar triagem com identificação de sintomático respiratório – presença de febre, tosse, coriza e falta de ar. Se a pessoa apresentar febre ou mau estado geral, deve ser colocada máscara no paciente e adiada a vacina, com recomendação para seguir o isolamento domiciliar.

As equipes devem anotar as doses aplicadas, com mesas e distanciamento de pelo menos 1 metro entre o anotador e paciente. Cada profissional tem a recomendação de usar caneta própria e álcool gel deverá ficar disponível para uso. O vacinador deve seguir as normas de higienização.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Estado libera vacina para todas faixas etárias

Doses estarão disponíveis até o dia 24 ou enquanto durarem os estoques dos postos

Da Diário do Grande ABC

01/07/2020 | 00:01


Com baixa cobertura em alguns dos públicos-alvos, como gestantes, puérperas (mulheres em pós-parto) e crianças de 6 meses a 6 anos, o governo do Estado resolveu ampliar a campanha de vacinação contra a Influenza (gripe) para todas as faixas etárias a partir de hoje. A imunização, que terminaria ontem, foi prorrogada até o dia 24 de julho ou enquanto durarem os estoques de doses nos postos de saúdes.

A medida foi tomada visando à proteção da população do Estado contra o vírus Influenza, reduzindo o número de pacientes com sintomas respiratórios, que muitas vezes podem ser confundidos com as reações causadas pelo novo coronavírus, que ocasiona a Covid-19. Os especialistas garantem que a vacina é segura, eficaz e protege contra as complicações da gripe, como pneumonias.

Embora a imunização não esteja mais restrita aos grupos prioritários, a Secretaria de Estado da Saúde faz apelo especial para a importância de ampliar a cobertura vacinal entre crianças com idade de 6 meses a menores de 6 anos, gestantes e puérperas, pois os índices nestes públicos ainda são inferiores a 60%. “É muito importante que pessoas que se enquadram nestes grupos vulneráveis busquem a unidade de saúde mais próxima de sua residência. A vacina protege contra as complicações da gripe e não causa a doença”, aponta a diretora de imunização da secretaria, Nubia Araújo.

Até a última semana, mais de 14,2 milhões de doses da vacina contra o vírus Influenza foram aplicadas em São Paulo, com 86,1% de cobertura entre os grupos prioritários.

A meta de alcançar 90% da população-alvo foi atingida entre alguns públicos, alcançando 5,8 milhões de idosos (100%); 1,5 milhão de profissionais da saúde (100%); e 6.700 mil indígenas (100%).

CORONAVÍRUS
A vacina contra a gripe não imuniza contra o novo coronavírus, mas a campanha é fundamental para reduzir o número de pessoas com sintomas respiratórios nos próximos meses. “Além de proteger a população contra a Influenza, precisamos minimizar o impacto sobre os serviços de saúde em meio à pandemia da Covid-19, já que os sintomas destas doenças são semelhantes”, comenta o secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann. 

A orientação aos profissionais que trabalham na campanha é para que haja organização da fila e do ambiente. Além disso, é importante realizar triagem com identificação de sintomático respiratório – presença de febre, tosse, coriza e falta de ar. Se a pessoa apresentar febre ou mau estado geral, deve ser colocada máscara no paciente e adiada a vacina, com recomendação para seguir o isolamento domiciliar.

As equipes devem anotar as doses aplicadas, com mesas e distanciamento de pelo menos 1 metro entre o anotador e paciente. Cada profissional tem a recomendação de usar caneta própria e álcool gel deverá ficar disponível para uso. O vacinador deve seguir as normas de higienização.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;