Fechar
Publicidade

Sábado, 11 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Em meio a reclamações de clientes, Enel reajusta tarifa

Claudinei Plaza/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Consumidores relatam aumento abusivo na conta de luz; empresa argumenta que consumo estava represado


Anderson Fattori
Do Diário do Grande ABC

01/07/2020 | 00:01


Em meio a centenas de reclamações de preços abusivos na conta de luz emitida em junho, a Enel, empresa responsável pelo fornecimento de energia elétrica no Estado, vai reajustar a tarifa vigente em 4,23% – para consumidores conectados à alta-tensão, o aumento será de 6%, e, para a baixa-tensão, a alta será de 3,58%. Os novos valores entram em vigor sábado.

Desde o dia 20, consumidores do Grande ABC e de várias partes do Estado reclamam que a conta de luz de junho foi emitida com valor desproporcional à média mensal. Em alguns casos o preço veio triplicado. Além disso, leitores procuraram o Diário relatando que não receberam a fatura como nos últimos meses e que tiveram dificuldade para conseguir emitir a segunda via – a opção era por meio do aplicativo.

Segundo a Enel, o aumento sentido no bolso pelo consumidor aconteceu porque, por medidas de segurança, a empresa tirou os funcionários que faziam a leitura dos relógios das ruas no início da pandemia. Com isso, as cobranças relativas a abril e maio aconteceram pela média de consumo. Segundo a responsável pela experiência do cliente da Enel, Danusa Correa, o consumo maior ocasionado pelo fato de as famílias estarem em confinamento em casa acabou represado e foi cobrado tudo de uma vez só em junho, quando os relógios voltaram a ser lidos.

A justificativa não agradou os clientes, tanto que, até segunda-feira, os procons do Grande ABC já haviam recebido 531 reclamações de consumidores em relação ao valor cobrado na conta de luz de junho. Diadema lidera a lista, com 330 denúncias, seguida de Santo André (70), São Bernardo (45), São Caetano (30), Ribeirão Pires (23), Rio Grande da Serra (21) e Mauá (12).

O grande número de queixas fez o Consórcio Intermunicipal do Grande ABC criar canal prioritário para o atendimento de consumidores das sete cidades em casos de reclamações sobre o aumento nas contas da Enel. A iniciativa, que estará disponível nos próximos dias, acontece em parceria entre o Procon-SP e as unidades do procon na região.

Conforme acordo já estabelecido, contas com aumento acima de 30% vão ser auditadas e a Enel será notificada para que esclareça os cálculos e informe como chegou ao valor final. Constatado erro no faturamento, a empresa deverá retificar a fatura e enviar os valores corretos, sem cobrança de multa ou juros. As irregularidades verificadas serão encaminhadas para a fiscalização e poderão gerar multa para a Enel.

Para tentar minimizar o peso do aumento na conta, já que 46% das famílias da região tiveram rendimentos prejudicados na pandemia, Danuza explica que a Enel oferece duas possibilidade de parcelamento do valor. “O cliente que estiver com a conta em mãos e não conseguir pagar o valor, pode acessar os canais virtuais da Enel e fazer o parcelamento da fatura, que pode ser de 12 vezes sem juros no cartão de crédito ou oito vezes dissolvido nas próximas contas de energia”, explicou. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Em meio a reclamações de clientes, Enel reajusta tarifa

Consumidores relatam aumento abusivo na conta de luz; empresa argumenta que consumo estava represado

Anderson Fattori
Do Diário do Grande ABC

01/07/2020 | 00:01


Em meio a centenas de reclamações de preços abusivos na conta de luz emitida em junho, a Enel, empresa responsável pelo fornecimento de energia elétrica no Estado, vai reajustar a tarifa vigente em 4,23% – para consumidores conectados à alta-tensão, o aumento será de 6%, e, para a baixa-tensão, a alta será de 3,58%. Os novos valores entram em vigor sábado.

Desde o dia 20, consumidores do Grande ABC e de várias partes do Estado reclamam que a conta de luz de junho foi emitida com valor desproporcional à média mensal. Em alguns casos o preço veio triplicado. Além disso, leitores procuraram o Diário relatando que não receberam a fatura como nos últimos meses e que tiveram dificuldade para conseguir emitir a segunda via – a opção era por meio do aplicativo.

Segundo a Enel, o aumento sentido no bolso pelo consumidor aconteceu porque, por medidas de segurança, a empresa tirou os funcionários que faziam a leitura dos relógios das ruas no início da pandemia. Com isso, as cobranças relativas a abril e maio aconteceram pela média de consumo. Segundo a responsável pela experiência do cliente da Enel, Danusa Correa, o consumo maior ocasionado pelo fato de as famílias estarem em confinamento em casa acabou represado e foi cobrado tudo de uma vez só em junho, quando os relógios voltaram a ser lidos.

A justificativa não agradou os clientes, tanto que, até segunda-feira, os procons do Grande ABC já haviam recebido 531 reclamações de consumidores em relação ao valor cobrado na conta de luz de junho. Diadema lidera a lista, com 330 denúncias, seguida de Santo André (70), São Bernardo (45), São Caetano (30), Ribeirão Pires (23), Rio Grande da Serra (21) e Mauá (12).

O grande número de queixas fez o Consórcio Intermunicipal do Grande ABC criar canal prioritário para o atendimento de consumidores das sete cidades em casos de reclamações sobre o aumento nas contas da Enel. A iniciativa, que estará disponível nos próximos dias, acontece em parceria entre o Procon-SP e as unidades do procon na região.

Conforme acordo já estabelecido, contas com aumento acima de 30% vão ser auditadas e a Enel será notificada para que esclareça os cálculos e informe como chegou ao valor final. Constatado erro no faturamento, a empresa deverá retificar a fatura e enviar os valores corretos, sem cobrança de multa ou juros. As irregularidades verificadas serão encaminhadas para a fiscalização e poderão gerar multa para a Enel.

Para tentar minimizar o peso do aumento na conta, já que 46% das famílias da região tiveram rendimentos prejudicados na pandemia, Danuza explica que a Enel oferece duas possibilidade de parcelamento do valor. “O cliente que estiver com a conta em mãos e não conseguir pagar o valor, pode acessar os canais virtuais da Enel e fazer o parcelamento da fatura, que pode ser de 12 vezes sem juros no cartão de crédito ou oito vezes dissolvido nas próximas contas de energia”, explicou. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;