Fechar
Publicidade

Sábado, 11 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Governador do Mississippi sanciona lei para substituir bandeira do Estado



30/06/2020 | 20:42


O governador do Mississippi, Tate Reeves, assinou nesta terça-feira, 30, um projeto de lei para substituir a atual bandeira do Estado americano que inclui o símbolo dos confederados, um gesto desencadeado pela campanha em todo os Estados Unidos para se desmantelar símbolos de escravidão e racismo.

A remoção da bandeira, uma fonte de controvérsia há muito tempo em um dos Estados separatistas do sul que lutaram na Guerra Civil americana de 1860, ocorre após o caso de George Floyd, um negro morto sob custódia policial em Minnesota.

A morte de Floyd provocou protestos em todo o país contra a injustiça racial e a brutalidade policial, e reavivou as demandas pela remoção de estátuas dos líderes confederados, de Cristóvão Colombo e outras personalidades consideradas símbolos do racismo e da opressão colonial.

"Entendo a necessidade de ligar a bandeira de 1894 com a história e encontrar uma bandeira que seja um emblema melhor para todo o Mississippi", disse Reeves em um discurso televisionado. "Devemos entender que todos os que querem mudanças não estão tentando apagar a história."

A medida assinada pelo governador republicano em seu primeiro-mandato também criou uma comissão para projetar uma nova bandeira do Estado. Os eleitores terão a oportunidade de aprovar o projeto em novembro, de acordo com um comunicado do gabinete de Reeves.

A bandeira do Estado, que tem como destaque a chamada bandeira de batalha confederada, esteve hasteada sobre o edifício do Capitólio, em Jackson, por 126 anos.

Ela foi retirada no fim de semana depois que os legisladores estaduais aprovaram o projeto, de acordo com a mídia local.

No século 19, os Estados do sul, diante da perspectiva de desistir da escravidão, formaram a Confederação e se separaram do restante dos Estados Unidos, o que levou a uma Guerra Civil entre 1861 e 1865.

Os símbolos da rebelião fracassada foram erguidos em todo o sul durante os anos de segregação racial e violência conhecida como era de Jim Crow. Apesar de anos de progresso e direitos civis para os negros americanos, muitos Estados resistiram a remover esses símbolos.

Com um longo passado segregacionista, o Mississippi é o último Estado americano a adotar estes símbolos em sua bandeira, depois que a Geórgia os eliminou de seu panteão em 2003. (Com agências internacionais)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Governador do Mississippi sanciona lei para substituir bandeira do Estado


30/06/2020 | 20:42


O governador do Mississippi, Tate Reeves, assinou nesta terça-feira, 30, um projeto de lei para substituir a atual bandeira do Estado americano que inclui o símbolo dos confederados, um gesto desencadeado pela campanha em todo os Estados Unidos para se desmantelar símbolos de escravidão e racismo.

A remoção da bandeira, uma fonte de controvérsia há muito tempo em um dos Estados separatistas do sul que lutaram na Guerra Civil americana de 1860, ocorre após o caso de George Floyd, um negro morto sob custódia policial em Minnesota.

A morte de Floyd provocou protestos em todo o país contra a injustiça racial e a brutalidade policial, e reavivou as demandas pela remoção de estátuas dos líderes confederados, de Cristóvão Colombo e outras personalidades consideradas símbolos do racismo e da opressão colonial.

"Entendo a necessidade de ligar a bandeira de 1894 com a história e encontrar uma bandeira que seja um emblema melhor para todo o Mississippi", disse Reeves em um discurso televisionado. "Devemos entender que todos os que querem mudanças não estão tentando apagar a história."

A medida assinada pelo governador republicano em seu primeiro-mandato também criou uma comissão para projetar uma nova bandeira do Estado. Os eleitores terão a oportunidade de aprovar o projeto em novembro, de acordo com um comunicado do gabinete de Reeves.

A bandeira do Estado, que tem como destaque a chamada bandeira de batalha confederada, esteve hasteada sobre o edifício do Capitólio, em Jackson, por 126 anos.

Ela foi retirada no fim de semana depois que os legisladores estaduais aprovaram o projeto, de acordo com a mídia local.

No século 19, os Estados do sul, diante da perspectiva de desistir da escravidão, formaram a Confederação e se separaram do restante dos Estados Unidos, o que levou a uma Guerra Civil entre 1861 e 1865.

Os símbolos da rebelião fracassada foram erguidos em todo o sul durante os anos de segregação racial e violência conhecida como era de Jim Crow. Apesar de anos de progresso e direitos civis para os negros americanos, muitos Estados resistiram a remover esses símbolos.

Com um longo passado segregacionista, o Mississippi é o último Estado americano a adotar estes símbolos em sua bandeira, depois que a Geórgia os eliminou de seu panteão em 2003. (Com agências internacionais)

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;