Fechar
Publicidade

Sábado, 15 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Platini é formalmente acusado pela Justiça da Suíça por pagamento da Fifa em 2011

Reprodução Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Ex-capitão da seleção francesa, Platini, que na época era presidente da Uefa, é suspeito de ser cúmplice de má gestão criminal, apropriação indébita e falsificação, segundo documentos revelados por investigadores suíços



26/06/2020 | 12:35


Michel Platini está sendo acusado formalmente pela Justiça da Suíça por ter recebido um pagamento de US$ 2 milhões (cerca de 10,8 milhões) da Fifa, em 2011, durante a gestão do presidente Joseph Blatter.

Ex-capitão da seleção francesa, Platini, que na época era presidente da Uefa, é suspeito de ser cúmplice de má gestão criminal, apropriação indébita e falsificação, segundo documentos revelados por investigadores suíços.

Platini, de 65 anos, enviou faturas à Fifa em janeiro de 2011 para receber pagamento por um salário não contratado, ao trabalhar como consultor presidencial no primeiro mandato de Blatter, de 1998 a 2002.

Cinco tribunais, incluindo o comitê de ética da Fifa, o Tribunal de Arbitragem do Esporte e o Tribunal Europeu de Direitos Humanos, foram contra Platini desde que os promotores suíços revelaram a alegação em setembro de 2015. Platini e Blatter foram banidos pela Fifa.

Platini deixou a presidência da UEFA em maio de 2016, depois de o CAS (Corte Arbitral do Esporte, na sigla em inglês) ter decidido o seu afastamento por quatro anos de todas as atividades ligadas ao futebol. Ficou livre da punição em outubro passado e tem plano de retornar ao futebol.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Platini é formalmente acusado pela Justiça da Suíça por pagamento da Fifa em 2011

Ex-capitão da seleção francesa, Platini, que na época era presidente da Uefa, é suspeito de ser cúmplice de má gestão criminal, apropriação indébita e falsificação, segundo documentos revelados por investigadores suíços


26/06/2020 | 12:35


Michel Platini está sendo acusado formalmente pela Justiça da Suíça por ter recebido um pagamento de US$ 2 milhões (cerca de 10,8 milhões) da Fifa, em 2011, durante a gestão do presidente Joseph Blatter.

Ex-capitão da seleção francesa, Platini, que na época era presidente da Uefa, é suspeito de ser cúmplice de má gestão criminal, apropriação indébita e falsificação, segundo documentos revelados por investigadores suíços.

Platini, de 65 anos, enviou faturas à Fifa em janeiro de 2011 para receber pagamento por um salário não contratado, ao trabalhar como consultor presidencial no primeiro mandato de Blatter, de 1998 a 2002.

Cinco tribunais, incluindo o comitê de ética da Fifa, o Tribunal de Arbitragem do Esporte e o Tribunal Europeu de Direitos Humanos, foram contra Platini desde que os promotores suíços revelaram a alegação em setembro de 2015. Platini e Blatter foram banidos pela Fifa.

Platini deixou a presidência da UEFA em maio de 2016, depois de o CAS (Corte Arbitral do Esporte, na sigla em inglês) ter decidido o seu afastamento por quatro anos de todas as atividades ligadas ao futebol. Ficou livre da punição em outubro passado e tem plano de retornar ao futebol.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;