Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 25 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Tecnologia

tecnologia@dgabc.com.br | 4435-8301

Banco Central suspende transferências monetárias via WhatsApp

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Bianca Bellucci
Do 33Giga

24/06/2020 | 12:48


O Banco Central (BC) e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) suspenderam nesta terça-feira (23) o uso da função de pagamentos e transferências por meio do WhatsApp. O recurso estava disponível no aplicativo desde 15 de junho, sendo que o Brasil foi o primeiro país a receber a novidade. Em caso de descumprimento da ordem, a empresa pagará multa diária de R$ 500 mil.

Leia mais:
Android: 5 aplicativos para controlar finanças
Perfil no Instagram dá dicas de como economizar dinheiro
5 canais no YouTube para aprender sobre finanças e investimentos

O problema com a função é que a criação de novos serviços de pagamentos depende da autorização do Banco Central. E mais: é necessário que uma bandeira de cartão crie o arranjo de pagamentos. Uma vez que o BC não foi consultado previamente, as duas bandeiras que trabalham com o WhatsApp (Visa e Mastercard) foram notificadas. Caso descumpram a ordem, as empresas serão multadas e um processo será aberto.

A suspensão dos pagamentos via WhatsApp, no entanto, é temporária. Neste meio tempo, o Banco Central vai avaliar riscos envolvidos e garantir que o funcionamento seja adequado ao Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB). Já o Cade vê potenciais riscos para a concorrência. A paralisação também quer garantir que a função do app não fira a privacidade de dados.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Banco Central suspende transferências monetárias via WhatsApp

Bianca Bellucci
Do 33Giga

24/06/2020 | 12:48


O Banco Central (BC) e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) suspenderam nesta terça-feira (23) o uso da função de pagamentos e transferências por meio do WhatsApp. O recurso estava disponível no aplicativo desde 15 de junho, sendo que o Brasil foi o primeiro país a receber a novidade. Em caso de descumprimento da ordem, a empresa pagará multa diária de R$ 500 mil.

Leia mais:
Android: 5 aplicativos para controlar finanças
Perfil no Instagram dá dicas de como economizar dinheiro
5 canais no YouTube para aprender sobre finanças e investimentos

O problema com a função é que a criação de novos serviços de pagamentos depende da autorização do Banco Central. E mais: é necessário que uma bandeira de cartão crie o arranjo de pagamentos. Uma vez que o BC não foi consultado previamente, as duas bandeiras que trabalham com o WhatsApp (Visa e Mastercard) foram notificadas. Caso descumpram a ordem, as empresas serão multadas e um processo será aberto.

A suspensão dos pagamentos via WhatsApp, no entanto, é temporária. Neste meio tempo, o Banco Central vai avaliar riscos envolvidos e garantir que o funcionamento seja adequado ao Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB). Já o Cade vê potenciais riscos para a concorrência. A paralisação também quer garantir que a função do app não fira a privacidade de dados.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;