Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 23 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Vaticano emite documento defendendo o conceito de 'ecologia integral'

Reprodução/Instagram Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


19/06/2020 | 16:14


O Vaticano publicou na quinta-feira, 18, o documento interdicasterial "A caminho dos cuidados da casa comum", no qual coloca como questão central para a Igreja Católica o conceito de "ecologia integral". "Não há crises separadas, mas uma única e complexa crise sócio-ambiental que requer uma verdadeira conversão ecológica", afirma o papa Francisco no texto, que serve de orientação para as ações dos católicos.

A publicação foi escrita antes da pandemia do novo coronavírus, como celebração do quinto aniversário da Encíclica Laudato si, a 298ª emitida na história da Igreja Católica e publicada em 18 de junho de 2015. O texto foi redigido pela Mesa Interdicasterial da Santa Sé sobre ecologia integral, da qual fazem parte instituições ligadas à Santa Sé, algumas Conferências Episcopais e organismos católicos.

Ao longo de mais de 200 recomendações, o pontificado sugere medidas práticas a serem tomadas pelos cristãos no combate ao aquecimento global e afirma que "não se pode defender a natureza se não se defende todo ser humano". A recomendação dialoga com o conceito de "pecado contra a vida humana" que o papa Francisco defende desde o final do ano passado.

Ainda de acordo com o texto, a família católica teria papel central na disseminação desses valores. No documento, a instituição familiar seria "um lugar educativo privilegiado onde se aprende a respeitar o ser humano e a Criação" e, por isso, o governos deveriam "promover políticas inteligentes para o desenvolvimento familiar".

A Mesa Interdicasterial da Santa Sé também atenta para o desperdício de alimentos, a preservação da água, a promoção da saúde, a preocupação com sustentabilidade e outras diretrizes para evitar a degradação do planeta Terra, chamado de "casa comum". "O compromisso com o cuidado da casa comum é parte integrante da vida cristã", afirma.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Vaticano emite documento defendendo o conceito de 'ecologia integral'


19/06/2020 | 16:14


O Vaticano publicou na quinta-feira, 18, o documento interdicasterial "A caminho dos cuidados da casa comum", no qual coloca como questão central para a Igreja Católica o conceito de "ecologia integral". "Não há crises separadas, mas uma única e complexa crise sócio-ambiental que requer uma verdadeira conversão ecológica", afirma o papa Francisco no texto, que serve de orientação para as ações dos católicos.

A publicação foi escrita antes da pandemia do novo coronavírus, como celebração do quinto aniversário da Encíclica Laudato si, a 298ª emitida na história da Igreja Católica e publicada em 18 de junho de 2015. O texto foi redigido pela Mesa Interdicasterial da Santa Sé sobre ecologia integral, da qual fazem parte instituições ligadas à Santa Sé, algumas Conferências Episcopais e organismos católicos.

Ao longo de mais de 200 recomendações, o pontificado sugere medidas práticas a serem tomadas pelos cristãos no combate ao aquecimento global e afirma que "não se pode defender a natureza se não se defende todo ser humano". A recomendação dialoga com o conceito de "pecado contra a vida humana" que o papa Francisco defende desde o final do ano passado.

Ainda de acordo com o texto, a família católica teria papel central na disseminação desses valores. No documento, a instituição familiar seria "um lugar educativo privilegiado onde se aprende a respeitar o ser humano e a Criação" e, por isso, o governos deveriam "promover políticas inteligentes para o desenvolvimento familiar".

A Mesa Interdicasterial da Santa Sé também atenta para o desperdício de alimentos, a preservação da água, a promoção da saúde, a preocupação com sustentabilidade e outras diretrizes para evitar a degradação do planeta Terra, chamado de "casa comum". "O compromisso com o cuidado da casa comum é parte integrante da vida cristã", afirma.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;