Fechar
Publicidade

Domingo, 27 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

UTIs do Brasil têm dado conta, mas pode haver pressão com alta nos casos, diz OMS

Pixabay Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


19/06/2020 | 14:08


Diretor executivo da Organização Mundial de Saúde (OMS), Michael Ryan afirmou que as Unidades de Terapia Intensiva do Brasil "continuam a dar conta" dos casos da covid-19. Ele alertou, porém, que elas podem ficar pressionadas, diante do avanço da doença em território nacional. "No geral, elas continuam a dar conta, mas é difícil para qualquer sistema suportar uma contínua alta nos casos, a pressão persistente sobre o sistema", afirmou ele, durante entrevista coletiva da entidade.

Ryan disse que o cenário requer que o governo e a sociedade civil trabalhem juntos para conter a disseminação do vírus. Além disso, pediu que todos os níveis de governo também mostrem união diante da pandemia. Ele lembrou que houve nas últimas 24 horas no Brasil mais de 20 mil casos confirmados da doença, com mais de 1.200 mortes.

Ao mesmo tempo, o diretor executivo da OMS lembrou que a situação no País não é homogênea, comentando que essa é uma questão importante nas grandes nações. "Temos visto achatamento dos casos em algumas regiões, mas um contínuo aumento em outras" do Brasil, afirmou.

Ryan ainda elogiou o trabalho dos profissionais de saúde do Brasil, que estão "bravamente na linha de frente". Ele disse que mais de 12% dos casos da doença do País ocorreram em profissionais de saúde, o que dá uma mostra da "coragem e profissionalismo" desse grupo. Além disso, garantiu que a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), braço regional da OMS, tem trabalhado de perto com o País no nível federal e nas esferas estaduais no combate à pandemia, o que continuará a ser feito.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

UTIs do Brasil têm dado conta, mas pode haver pressão com alta nos casos, diz OMS


19/06/2020 | 14:08


Diretor executivo da Organização Mundial de Saúde (OMS), Michael Ryan afirmou que as Unidades de Terapia Intensiva do Brasil "continuam a dar conta" dos casos da covid-19. Ele alertou, porém, que elas podem ficar pressionadas, diante do avanço da doença em território nacional. "No geral, elas continuam a dar conta, mas é difícil para qualquer sistema suportar uma contínua alta nos casos, a pressão persistente sobre o sistema", afirmou ele, durante entrevista coletiva da entidade.

Ryan disse que o cenário requer que o governo e a sociedade civil trabalhem juntos para conter a disseminação do vírus. Além disso, pediu que todos os níveis de governo também mostrem união diante da pandemia. Ele lembrou que houve nas últimas 24 horas no Brasil mais de 20 mil casos confirmados da doença, com mais de 1.200 mortes.

Ao mesmo tempo, o diretor executivo da OMS lembrou que a situação no País não é homogênea, comentando que essa é uma questão importante nas grandes nações. "Temos visto achatamento dos casos em algumas regiões, mas um contínuo aumento em outras" do Brasil, afirmou.

Ryan ainda elogiou o trabalho dos profissionais de saúde do Brasil, que estão "bravamente na linha de frente". Ele disse que mais de 12% dos casos da doença do País ocorreram em profissionais de saúde, o que dá uma mostra da "coragem e profissionalismo" desse grupo. Além disso, garantiu que a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), braço regional da OMS, tem trabalhado de perto com o País no nível federal e nas esferas estaduais no combate à pandemia, o que continuará a ser feito.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;