Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 6 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Festa de Santo Antônio adota sistema drive-thru para bênçãos

Claudinei Plaza/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Tradicional celebração da igreja se adapta aos tempos de pandemia


Aline Melo
Do Diário do Grande ABC

13/06/2020 | 00:01


A Diocese de Santo André, responsável por todas as igrejas católicas do Grande ABC, realiza hoje a Festa de Santo Antonio. Nas quatro paróquias da região dedicadas ao padroeiro dos pobres e conhecido popularmente também como santo casamenteiro, haverá bênçãos, a tradicional venda de bolos e entrega dos pães. Devido à pandemia da Covid-19, neste ano será adotado também o modelo drive-thru, para que as pessoas possam participar sem sair do carro nas paróquias de Santo André . Para quem fizer questão de entrar na igreja, o acesso dos fiéis será controlado para evitar aglomerações.

Estão programadas missas que serão transmitidas pelas páginas do Facebook de cada igreja. O frei Claudio Moraes Messias será o responsável por conduzir a imagem de Santo Antônio pelas ruas do bairro e explicou que a Paróquia Santo Antonio de Santo André (Largo São Francisco, 113, Vila Alpina) vai estar aberta das 8h às 18h. Além da venda de bolos, também haverá a venda do tradicional lanche de pernil. Foram encomendados 512 quilos de bolo, que renderá cerca de 4.000 pedaços. Em Santo André, a imagem sai para bênção nas ruas às 10h e as 15h ocorre o levantamento do mastro. Haverá transmissão de missa 19h30 pelo Facebook (facebook.com/pqstoantonio). Durante o evento haverá arrecadação de alimentos e agasalhos.

O projetista aposentado Osiris Segalla, 79 anos, faz parte da comunidade paroquial da Vila Alpina há mais de 50 anos e lamenta ter que reduzir o tamanho da festa por conta da pandemia. “Ano passado fizemos mais de 30 pernis, este ano serão só seis. É triste, mas é como tem que ser”, afirmou. Para Segalla, devoto de Santo Antonio, a ansiedade é grande para o retorno das missas presenciais. “A gente sente muita falta. Estar aqui é tudo para mim, é Deus e Santo Antonio que me dão saúde”, completou.

SANTO CASAMENTEIRO
Santo Antônio é um dos santos mais populares no Brasil e tem a fama de ser casamenteiro. No entanto, não há nada em sua biografia que confirme acontecimentos relacionados ao matrimônio. Padre, antropólogo e professor de teologia na PUC-PR (Pontifícia Universidade Católica do Paraná), campus Londrina, Valdecir Ferreira explica que a devoção a Santo Antonio chega ao País com os imigrantes portugueses e brasileiros. Nascido em Lisboa, Capital de Portugal, morreu em Pádua, na Itália. Por isso, o santo, que nasceu Fernando, é conhecido tanto como Santo Antonio de Pádua quanto Santo Antonio de Lisboa.

Ferreira relata que depois de São Francisco, Antonio era um dos santos mais atentos às necessidades do povo. “Não havia alguém que passasse fome se estivesse perto de Antônio, que tirava dele para dar ao próximo. Essa caridade extrema é de onde vem a tradição de se dar o pão e vão se criando várias simbologias em torno do santo. O ato da caridade, de doação, e para que não falte comida nas casas, por isso guardar o pão junto aos mantimentos”, relatou.
A fama de casamenteiro vem de tradições italianas, mas sem qualquer confirmação. Acredita-se que Santo Antonio tenha ajudado casais pobres a conseguir dinheiro para se casar e até intercedido junto à família de um noivo cuja noiva não tinha recursos para o dote. “Muito mais uma ligação afetiva do que objetiva”, explica Ferreira.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Festa de Santo Antônio adota sistema drive-thru para bênçãos

Tradicional celebração da igreja se adapta aos tempos de pandemia

Aline Melo
Do Diário do Grande ABC

13/06/2020 | 00:01


A Diocese de Santo André, responsável por todas as igrejas católicas do Grande ABC, realiza hoje a Festa de Santo Antonio. Nas quatro paróquias da região dedicadas ao padroeiro dos pobres e conhecido popularmente também como santo casamenteiro, haverá bênçãos, a tradicional venda de bolos e entrega dos pães. Devido à pandemia da Covid-19, neste ano será adotado também o modelo drive-thru, para que as pessoas possam participar sem sair do carro nas paróquias de Santo André . Para quem fizer questão de entrar na igreja, o acesso dos fiéis será controlado para evitar aglomerações.

Estão programadas missas que serão transmitidas pelas páginas do Facebook de cada igreja. O frei Claudio Moraes Messias será o responsável por conduzir a imagem de Santo Antônio pelas ruas do bairro e explicou que a Paróquia Santo Antonio de Santo André (Largo São Francisco, 113, Vila Alpina) vai estar aberta das 8h às 18h. Além da venda de bolos, também haverá a venda do tradicional lanche de pernil. Foram encomendados 512 quilos de bolo, que renderá cerca de 4.000 pedaços. Em Santo André, a imagem sai para bênção nas ruas às 10h e as 15h ocorre o levantamento do mastro. Haverá transmissão de missa 19h30 pelo Facebook (facebook.com/pqstoantonio). Durante o evento haverá arrecadação de alimentos e agasalhos.

O projetista aposentado Osiris Segalla, 79 anos, faz parte da comunidade paroquial da Vila Alpina há mais de 50 anos e lamenta ter que reduzir o tamanho da festa por conta da pandemia. “Ano passado fizemos mais de 30 pernis, este ano serão só seis. É triste, mas é como tem que ser”, afirmou. Para Segalla, devoto de Santo Antonio, a ansiedade é grande para o retorno das missas presenciais. “A gente sente muita falta. Estar aqui é tudo para mim, é Deus e Santo Antonio que me dão saúde”, completou.

SANTO CASAMENTEIRO
Santo Antônio é um dos santos mais populares no Brasil e tem a fama de ser casamenteiro. No entanto, não há nada em sua biografia que confirme acontecimentos relacionados ao matrimônio. Padre, antropólogo e professor de teologia na PUC-PR (Pontifícia Universidade Católica do Paraná), campus Londrina, Valdecir Ferreira explica que a devoção a Santo Antonio chega ao País com os imigrantes portugueses e brasileiros. Nascido em Lisboa, Capital de Portugal, morreu em Pádua, na Itália. Por isso, o santo, que nasceu Fernando, é conhecido tanto como Santo Antonio de Pádua quanto Santo Antonio de Lisboa.

Ferreira relata que depois de São Francisco, Antonio era um dos santos mais atentos às necessidades do povo. “Não havia alguém que passasse fome se estivesse perto de Antônio, que tirava dele para dar ao próximo. Essa caridade extrema é de onde vem a tradição de se dar o pão e vão se criando várias simbologias em torno do santo. O ato da caridade, de doação, e para que não falte comida nas casas, por isso guardar o pão junto aos mantimentos”, relatou.
A fama de casamenteiro vem de tradições italianas, mas sem qualquer confirmação. Acredita-se que Santo Antonio tenha ajudado casais pobres a conseguir dinheiro para se casar e até intercedido junto à família de um noivo cuja noiva não tinha recursos para o dote. “Muito mais uma ligação afetiva do que objetiva”, explica Ferreira.
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;