Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 14 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Europeus relaxam restrições; Argentina tem mais de 1.000 casos pela 1ª vez

Pixabay Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


10/06/2020 | 14:59


A Alemanha anunciou nesta quarta-feira (10) que irá suspender de maneira definitiva as restrições de suas fronteiras com a França, Áustria, Suíça e Dinamarca a partir do próximo dia 15, segunda-feira da semana que vem. O ministro de Assuntos Internos, Horst Seehofer, anunciou ainda que italianos também poderão viajar à Alemanha. Para estrangeiros que vierem da Espanha, o controle do tráfego aéreo será retirado no dia 21 de junho. O Instituto Robert Koch, agência de saúde estatal alemã, confirmou hoje mais 318 infecções e 18 mortes pela covid-19, elevando o total no país para 184.861 casos e 8.729 óbitos ao longo da pandemia.

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, participou da coletiva de imprensa diária do governo britânico sobre a pandemia do novo coronavírus na nação insular e anunciou duas novas regras para relaxar a quarentena na Inglaterra, país que é sede administrativa do governo. A partir da próxima segunda, ingleses adultos que moram sozinhos poderão compartilhar residências com mais um adulto que vive em lar solitário sem a necessidade de respeitar regras de distanciamento social. Além disso, atrações ao ar livre, como zoológicos, poderão voltar a funcionar na Inglaterra sob restrições. A Grã-Bretanha confirmou hoje mais 1.387 casos e 286 óbitos por covid-19. Ao todo, os quatro países que compõem a nação registraram 289.140 infectados e 40.883 mortos desde o início da pandemia, segundo a contagem feita pelo governo de Boris Johnson.

No mesmo dia em que flexibilizou a quarentena na capital Buenos Aires, a Argentina registrou ontem (9), pela primeira vez, mais de 1.000 novos infectados pela covid-19 em apenas 24 horas. O Ministério da Saúde do país confirmou mais 1.141 casos e 24 mortes provocadas pelo novo coronavírus. Ao todo, 24.761 argentinos contraíram o vírus e ao menos 717 morreram por conta da pandemia. Apesar da alta no índice, a taxa diária da Argentina ainda ficou bem atrás das observadas em países vizinhos como Chile e Brasil, que registraram 3.913 e 32.091 novos casos, respectivamente, em suas últimas atualizações.

Outro país que registrou seu maior número de contaminações confirmadas em um dia foi a Arábia Saudita. Com os 3.717 casos adicionados, a contagem total do país árabe foi a 112.288. Com isso, a Arábia Saudita se torna a nação do Golfo Pérsico mais afetada pela pandemia, apesar de ter adotado um dos regimes de quarentena mais restritos em toda a região. O país também registrou 36 novos óbitos causados pela covid-19, para um total confirmado de 819. Hoje foi o quarto dia seguido que os sauditas contabilizaram mais de 3 mil infecções diárias.

O vírus avança também na Indonésia, terceiro país em um dia a confirmar sua maior taxa de infectados diários, com 1.241 novos casos, além de 36 óbitos a mais. Ao todo, o país asiático registrou 34.316 contaminações e 1.959 mortes por covid-19. Já Cingapura, que também está entre as regiões da Ásia mais afetadas durante a pandemia com quase 39 mil casos, decidiu aprovar o uso do medicamento antiviral remdesivir para o tratamento dos doentes por covid-19. A decisão segue o que fizeram Coreia do Sul, Índia e Japão. A droga, como no caso das outras nações que aprovaram a sua utilização, será fabricada e comercializada pela empresa norte-americana Gilead Sciences.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Europeus relaxam restrições; Argentina tem mais de 1.000 casos pela 1ª vez


10/06/2020 | 14:59


A Alemanha anunciou nesta quarta-feira (10) que irá suspender de maneira definitiva as restrições de suas fronteiras com a França, Áustria, Suíça e Dinamarca a partir do próximo dia 15, segunda-feira da semana que vem. O ministro de Assuntos Internos, Horst Seehofer, anunciou ainda que italianos também poderão viajar à Alemanha. Para estrangeiros que vierem da Espanha, o controle do tráfego aéreo será retirado no dia 21 de junho. O Instituto Robert Koch, agência de saúde estatal alemã, confirmou hoje mais 318 infecções e 18 mortes pela covid-19, elevando o total no país para 184.861 casos e 8.729 óbitos ao longo da pandemia.

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, participou da coletiva de imprensa diária do governo britânico sobre a pandemia do novo coronavírus na nação insular e anunciou duas novas regras para relaxar a quarentena na Inglaterra, país que é sede administrativa do governo. A partir da próxima segunda, ingleses adultos que moram sozinhos poderão compartilhar residências com mais um adulto que vive em lar solitário sem a necessidade de respeitar regras de distanciamento social. Além disso, atrações ao ar livre, como zoológicos, poderão voltar a funcionar na Inglaterra sob restrições. A Grã-Bretanha confirmou hoje mais 1.387 casos e 286 óbitos por covid-19. Ao todo, os quatro países que compõem a nação registraram 289.140 infectados e 40.883 mortos desde o início da pandemia, segundo a contagem feita pelo governo de Boris Johnson.

No mesmo dia em que flexibilizou a quarentena na capital Buenos Aires, a Argentina registrou ontem (9), pela primeira vez, mais de 1.000 novos infectados pela covid-19 em apenas 24 horas. O Ministério da Saúde do país confirmou mais 1.141 casos e 24 mortes provocadas pelo novo coronavírus. Ao todo, 24.761 argentinos contraíram o vírus e ao menos 717 morreram por conta da pandemia. Apesar da alta no índice, a taxa diária da Argentina ainda ficou bem atrás das observadas em países vizinhos como Chile e Brasil, que registraram 3.913 e 32.091 novos casos, respectivamente, em suas últimas atualizações.

Outro país que registrou seu maior número de contaminações confirmadas em um dia foi a Arábia Saudita. Com os 3.717 casos adicionados, a contagem total do país árabe foi a 112.288. Com isso, a Arábia Saudita se torna a nação do Golfo Pérsico mais afetada pela pandemia, apesar de ter adotado um dos regimes de quarentena mais restritos em toda a região. O país também registrou 36 novos óbitos causados pela covid-19, para um total confirmado de 819. Hoje foi o quarto dia seguido que os sauditas contabilizaram mais de 3 mil infecções diárias.

O vírus avança também na Indonésia, terceiro país em um dia a confirmar sua maior taxa de infectados diários, com 1.241 novos casos, além de 36 óbitos a mais. Ao todo, o país asiático registrou 34.316 contaminações e 1.959 mortes por covid-19. Já Cingapura, que também está entre as regiões da Ásia mais afetadas durante a pandemia com quase 39 mil casos, decidiu aprovar o uso do medicamento antiviral remdesivir para o tratamento dos doentes por covid-19. A decisão segue o que fizeram Coreia do Sul, Índia e Japão. A droga, como no caso das outras nações que aprovaram a sua utilização, será fabricada e comercializada pela empresa norte-americana Gilead Sciences.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;