Fechar
Publicidade

Sábado, 19 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Arábia Saudita não compensará falha no cumprimento do acordo de parceiros da Opep

Tania Rego/ Agencia Brasil/FotosPúblicas  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


08/06/2020 | 13:09


A Arábia Saudita cortará sua produção de petróleo no nível prometido, como parte de um acordo a partir de julho, e nada além disso, afirmou nesta segunda-feira o ministro da Energia do país, príncipe Abdulaziz bin Salman. Desde o início de junho, o principal exportador da commodity no mundo tem reduzido sua produção em um adicional de 1 milhão de barris por dia (bpd) acima do nível combinado com a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+).

Em conferência virtual nesta segunda-feira, Salman afirmou que "o corte voluntário serviu a seu propósito". "Estamos seguindo em frente", comentou ainda.

A declaração é parte dos novos esforços sauditas para manter os compromissos da Opep e endurecer com membros que não cumprem o combinado. "Nós não somos diplomatas, nós somos produtores de petróleo e eles são rudes e duros", afirmou.

A Opep+ concordou em abril em reduzir a produção de petróleo em 9,7 milhões de bpd. No sábado, fechou outro acordo, para estender os cortes por mais um mês.

O ministro saudita também disse que o Iraque havia se comprometido a entregar 80% de seus cortes em junho, mas fará mais cortes em julho, agosto e setembro.

Já na Líbia o maior campo de petróleo do país, o Sharara, que produz 300 mil bpd, reabriu no sábado, enquanto o xisto dos EUA tem a produção retomada. O príncipe saudita disse, porém, que o retorno deles era uma notícia bem-vinda, de normalização do quadro econômico. Fonte:



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Arábia Saudita não compensará falha no cumprimento do acordo de parceiros da Opep


08/06/2020 | 13:09


A Arábia Saudita cortará sua produção de petróleo no nível prometido, como parte de um acordo a partir de julho, e nada além disso, afirmou nesta segunda-feira o ministro da Energia do país, príncipe Abdulaziz bin Salman. Desde o início de junho, o principal exportador da commodity no mundo tem reduzido sua produção em um adicional de 1 milhão de barris por dia (bpd) acima do nível combinado com a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+).

Em conferência virtual nesta segunda-feira, Salman afirmou que "o corte voluntário serviu a seu propósito". "Estamos seguindo em frente", comentou ainda.

A declaração é parte dos novos esforços sauditas para manter os compromissos da Opep e endurecer com membros que não cumprem o combinado. "Nós não somos diplomatas, nós somos produtores de petróleo e eles são rudes e duros", afirmou.

A Opep+ concordou em abril em reduzir a produção de petróleo em 9,7 milhões de bpd. No sábado, fechou outro acordo, para estender os cortes por mais um mês.

O ministro saudita também disse que o Iraque havia se comprometido a entregar 80% de seus cortes em junho, mas fará mais cortes em julho, agosto e setembro.

Já na Líbia o maior campo de petróleo do país, o Sharara, que produz 300 mil bpd, reabriu no sábado, enquanto o xisto dos EUA tem a produção retomada. O príncipe saudita disse, porém, que o retorno deles era uma notícia bem-vinda, de normalização do quadro econômico. Fonte:

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;