Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 15 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

De herói, álcool gel pode se tornar vilão

Produto muito usado para higiene das mãos é altamente inflamável e tem chama transparente


Matheus Moreira
Do Diário do Grande ABC

06/06/2020 | 23:51


O aliado mais presente – ao lado das máscaras de proteção – contra o novo coronavírus, o álcool gel se popularizou desde o início da pandemia e obrigou a Anvisa (Agencia Nacional de Vigilância Sanitária) a liberar a venda do produto em lojas dos mais diversos segmentos, já que antes só podia ser comercializado em locais específicos, como farmácias. O uso equivocado da substância, porém, pode trazer sérios risco para a saúde.

Com o aumento da acessibilidade ao produto, outro problema apareceu: os perigos que o álcool gel 70% pode causar. A situação é até que simples, há um motivo claro para o produto não ser vendido nos comércios mais populares. O álcool gel é extremamente inflamável e pode causar queimaduras graves, já que sua chama é praticamente transparente, ou seja, o usuário pode demorar a ver o perigo.

A medida da Anvisa, que liberou a venda do produto, foi anunciada em março deste ano e tem validade de seis meses, antes disso a comercialização do produto nos mercados não especializados não era autorizada desde 2002 em razão do grande número de acidentes envolvendo queimaduras, principalmente em crianças.

Quando uma pessoa sofre qualquer tipo de queimadura, o atendimento precisa ser imediato, caso contrário pode causar danos irreparáveis. Neste cenário, toda ajuda é bem-vida para evitar acidente deste tipo, de acordo com o médico da SBCM (Sociedade Brasileira de Cirurgia de Mão), João Baptista Gomes “Os pacientes que sofrem queimaduras precisam de atendimento médico adequado e urgente. Deve-se evitar ter este tipo de álcool em casa, mas, se houver, ele e outros produtos devem ser guardados longe do alcance de crianças, pois ao menor contato com algo inflamável, pode causar uma tragédia”, explicou o especialista.

Vale lembrar que o álcool gel nem sempre é a solução mais eficaz para higienização das mãos, como o médico afirma. “Quanto ao uso do álcool gel, a recomendação é que seja utilizado somente quando não houver água e sabão por perto. Em casa, vale a mesma coisa do álcool 70% (líquido) e de outros produtos inflamáveis e tóxicos: devem ser guardados em local seguro, onde as crianças não tenham acesso”, finalizou. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

De herói, álcool gel pode se tornar vilão

Produto muito usado para higiene das mãos é altamente inflamável e tem chama transparente

Matheus Moreira
Do Diário do Grande ABC

06/06/2020 | 23:51


O aliado mais presente – ao lado das máscaras de proteção – contra o novo coronavírus, o álcool gel se popularizou desde o início da pandemia e obrigou a Anvisa (Agencia Nacional de Vigilância Sanitária) a liberar a venda do produto em lojas dos mais diversos segmentos, já que antes só podia ser comercializado em locais específicos, como farmácias. O uso equivocado da substância, porém, pode trazer sérios risco para a saúde.

Com o aumento da acessibilidade ao produto, outro problema apareceu: os perigos que o álcool gel 70% pode causar. A situação é até que simples, há um motivo claro para o produto não ser vendido nos comércios mais populares. O álcool gel é extremamente inflamável e pode causar queimaduras graves, já que sua chama é praticamente transparente, ou seja, o usuário pode demorar a ver o perigo.

A medida da Anvisa, que liberou a venda do produto, foi anunciada em março deste ano e tem validade de seis meses, antes disso a comercialização do produto nos mercados não especializados não era autorizada desde 2002 em razão do grande número de acidentes envolvendo queimaduras, principalmente em crianças.

Quando uma pessoa sofre qualquer tipo de queimadura, o atendimento precisa ser imediato, caso contrário pode causar danos irreparáveis. Neste cenário, toda ajuda é bem-vida para evitar acidente deste tipo, de acordo com o médico da SBCM (Sociedade Brasileira de Cirurgia de Mão), João Baptista Gomes “Os pacientes que sofrem queimaduras precisam de atendimento médico adequado e urgente. Deve-se evitar ter este tipo de álcool em casa, mas, se houver, ele e outros produtos devem ser guardados longe do alcance de crianças, pois ao menor contato com algo inflamável, pode causar uma tragédia”, explicou o especialista.

Vale lembrar que o álcool gel nem sempre é a solução mais eficaz para higienização das mãos, como o médico afirma. “Quanto ao uso do álcool gel, a recomendação é que seja utilizado somente quando não houver água e sabão por perto. Em casa, vale a mesma coisa do álcool 70% (líquido) e de outros produtos inflamáveis e tóxicos: devem ser guardados em local seguro, onde as crianças não tenham acesso”, finalizou. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;