Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 10 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Economia dos EUA surpreende e gera 2,5 milhões de empregos em maio



05/06/2020 | 10:50


Os Estados Unidos criaram 2,509 milhões de empregos em maio, sugerindo que a economia americana superou o pior momento da crise provocada pelo coronavírus, segundo dados com ajustes sazonais publicados nesta sexta-feira, 5, pelo Departamento do Trabalho. O resultado surpreendeu analistas consultados pelo Projeções Broadcast, que previam eliminação de 3 milhões a 10 milhões de postos de trabalho, com mediana de 8 milhões.

A taxa de desemprego caiu do maior nível desde a Grande Depressão de 1929, 14,7% em abril, para 13,3% em maio. Neste caso, a projeção era de aumento da taxa a 19%.

Os números de postos de trabalho em abril foram fortemente revisados, de eliminação de 20,687 milhões a corte de 1,373 milhão. Já a taxa de desemprego no mês ficou inalterada.

O salário médio por hora dos trabalhadores caiu 0,97% em maio ante abril, ou US$ 0,29, para US$ 29,75 por hora.

Na comparação anual, houve acréscimo de 6,75%. Analistas esperavam ganhos de 1,5% na comparação mensal e de 9,4% no confronto anual.

Apenas o setor privado dos EUA criou 3,094 milhões de empregos em maio, enquanto o governo cortou 585 mil vagas.

Já a fatia da população dos EUA que participa da força de trabalho subiu de 60,2% em abril para 60,8% em maio.

*Com informações da Dow Jones Newswires



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Economia dos EUA surpreende e gera 2,5 milhões de empregos em maio


05/06/2020 | 10:50


Os Estados Unidos criaram 2,509 milhões de empregos em maio, sugerindo que a economia americana superou o pior momento da crise provocada pelo coronavírus, segundo dados com ajustes sazonais publicados nesta sexta-feira, 5, pelo Departamento do Trabalho. O resultado surpreendeu analistas consultados pelo Projeções Broadcast, que previam eliminação de 3 milhões a 10 milhões de postos de trabalho, com mediana de 8 milhões.

A taxa de desemprego caiu do maior nível desde a Grande Depressão de 1929, 14,7% em abril, para 13,3% em maio. Neste caso, a projeção era de aumento da taxa a 19%.

Os números de postos de trabalho em abril foram fortemente revisados, de eliminação de 20,687 milhões a corte de 1,373 milhão. Já a taxa de desemprego no mês ficou inalterada.

O salário médio por hora dos trabalhadores caiu 0,97% em maio ante abril, ou US$ 0,29, para US$ 29,75 por hora.

Na comparação anual, houve acréscimo de 6,75%. Analistas esperavam ganhos de 1,5% na comparação mensal e de 9,4% no confronto anual.

Apenas o setor privado dos EUA criou 3,094 milhões de empregos em maio, enquanto o governo cortou 585 mil vagas.

Já a fatia da população dos EUA que participa da força de trabalho subiu de 60,2% em abril para 60,8% em maio.

*Com informações da Dow Jones Newswires

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;