Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 9 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Dólar cai em meio a apetite global por risco antes de payroll dos EUA

Arquivo/Agência Brasil Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


05/06/2020 | 09:49


O dólar retoma a queda ante o real, após ter subido na quinta-feira, alinhado à desvalorização frente outras divisas emergentes ligadas a commodities no exterior em meio ao apetite por ativos de risco. No radar dos investidores está o relatório de emprego (payroll) dos EUA em maio.

O otimismo, por enquanto, se apoia na notícia de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados, grupo conhecido como Opep+, concordou em estender o corte na oferta de petróleo até fim de julho, além da reabertura das economias em diversos países, após o choque do novo coronavírus. As bolsas sobem e o petróleo ganha mais de 3% em NY e Londres.

Mais cedo, a alta do IGP-DI de maio acima do teto das projeções do mercado ficou em segundo plano. O Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) acelerou a alta a 1,07% em maio, após avanço de 0,05% em abril, acima do teto de 0,94% das previsões da pesquisa feita pelo Projeções Broadcast. O piso das estimativas era de 0,27%, com mediana de 0,62%.

Já o Índice de Preços ao Consumidor - Classe 1 (IPC-C1) caiu 0,30% em maio, após a alta de 0,04% registrada em abril. O indicador é usado para mensurar o impacto da movimentação de preços entre famílias com renda mensal entre 1 e 2,5 salários mínimos..

Mais tarde, as atenções se voltam também para o diretor de Política Econômica do Banco Central, Fabio Kanczuk, em painel da XP Investimentos às 10 horas, após ele ter indicado esta semana que a Selic poderia ficar abaixo de 2,25%. A expectativa com o fim de semana, com possibilidade de mais atos contra o presidente Jair Bolsonaro no domingo, pode ser um fator limitador do bom humor nesta sexta-feira.

Às 9h27, o dólar à vista caía 1,40%, a R$ 5,0586. O dólar futuro para julho recuava a R$ 5,0635 (-1,21%).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Dólar cai em meio a apetite global por risco antes de payroll dos EUA


05/06/2020 | 09:49


O dólar retoma a queda ante o real, após ter subido na quinta-feira, alinhado à desvalorização frente outras divisas emergentes ligadas a commodities no exterior em meio ao apetite por ativos de risco. No radar dos investidores está o relatório de emprego (payroll) dos EUA em maio.

O otimismo, por enquanto, se apoia na notícia de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados, grupo conhecido como Opep+, concordou em estender o corte na oferta de petróleo até fim de julho, além da reabertura das economias em diversos países, após o choque do novo coronavírus. As bolsas sobem e o petróleo ganha mais de 3% em NY e Londres.

Mais cedo, a alta do IGP-DI de maio acima do teto das projeções do mercado ficou em segundo plano. O Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) acelerou a alta a 1,07% em maio, após avanço de 0,05% em abril, acima do teto de 0,94% das previsões da pesquisa feita pelo Projeções Broadcast. O piso das estimativas era de 0,27%, com mediana de 0,62%.

Já o Índice de Preços ao Consumidor - Classe 1 (IPC-C1) caiu 0,30% em maio, após a alta de 0,04% registrada em abril. O indicador é usado para mensurar o impacto da movimentação de preços entre famílias com renda mensal entre 1 e 2,5 salários mínimos..

Mais tarde, as atenções se voltam também para o diretor de Política Econômica do Banco Central, Fabio Kanczuk, em painel da XP Investimentos às 10 horas, após ele ter indicado esta semana que a Selic poderia ficar abaixo de 2,25%. A expectativa com o fim de semana, com possibilidade de mais atos contra o presidente Jair Bolsonaro no domingo, pode ser um fator limitador do bom humor nesta sexta-feira.

Às 9h27, o dólar à vista caía 1,40%, a R$ 5,0586. O dólar futuro para julho recuava a R$ 5,0635 (-1,21%).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;