Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 15 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Na Bolsa, investidor aproveita agenda fraca de indicadores para embolsar lucros



04/06/2020 | 11:16


A Bolsa brasileira tenta dar uma pausa nesta quinta-feira, 4, com investidores sugerindo que querem aproveitar o dia para realizar lucros, como já está acontecendo com a maioria das bolsas internacionais, após os ganhos recentes. Porém, tanto no Brasil quanto em Nova York, o movimento não é firme. Às 10h56, por exemplo, o Nasdaq subia 0,24%, enquanto os demais índices cediam.

O Ibovespa caía 0,22%, aos 92.799,85 pontos, depois de um sobe-e-desce danado e de alcançar mínima de 92.220,80 pontos e máxima aos 93.191,19 pontos. Até o momento, o Ibovespa acumula alta de 6,12% só nos primeiros dias de junho.

Enquanto a agenda de indicadores interna está esvaziada e os dois dados esperados nos EUA já foram informados, a grande espera do mercado é pelo índice oficial de emprego norte-americano, que será informado amanhã. A estimativa é de que o dado reforce um cenário menos deteriorado do setor após a fase de efeitos mais agudos por conta do isolamento social implementado no país para conter os impactos da pandemia do novo coronavírus.

Apesar de os indicadores divulgados esta manhã nos EUA terem ficado piores que o esperado, conforme as estimativas, o estrategista-chefe do Grupo Laatus, Jefferson Laatus, pondera que os números não vieram tão ruins.

A balança comercial dos EUA em abril teve superávit de US$ 49,41 bilhões, pouco aquém da previsão de analistas, que era de US$ 50 bilhões. Já os pedidos de auxílio-desemprego caíram 249 mil na semana, a 1,877 milhão, ante previsão de 1,8 milhão.

"Esse dado veio um pouco mais elevado, mas melhor que o da semana passada 2,123 milhões. E ontem, a ADP trouxe um resultado também bom e o mercado já estava comemorando. Então, hoje o dia deve ser de realização enquanto espera o payroll dado oficial de emprego dos EUA", avalia, lembrando que os mercados no exterior já começaram o dia realizando.

O minério de ferro, por exemplo, fechou em queda de 1,96%, a U$ 99,24 a tonelada, no porto de Qingdao, na China. Contudo, as ações da Vale ON subiam (0,58%) perto das 11 horas. Já as da Petrobras caíam acima de 1%, na esteira do recuo do petróleo no mercado externo.

Por ora, acrescenta Laatus, nem mesmo a decisão do Banco Central Europeu (BCE), que manteve hoje suas taxas de juros em níveis baixos, e afirmou que continuará pronto para atuar devem mudar o rumo dos negócios. "A expectativa de juro baixo e de que pode adotar novos estímulos são boa notícia, mas isso já era esperado."



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Na Bolsa, investidor aproveita agenda fraca de indicadores para embolsar lucros


04/06/2020 | 11:16


A Bolsa brasileira tenta dar uma pausa nesta quinta-feira, 4, com investidores sugerindo que querem aproveitar o dia para realizar lucros, como já está acontecendo com a maioria das bolsas internacionais, após os ganhos recentes. Porém, tanto no Brasil quanto em Nova York, o movimento não é firme. Às 10h56, por exemplo, o Nasdaq subia 0,24%, enquanto os demais índices cediam.

O Ibovespa caía 0,22%, aos 92.799,85 pontos, depois de um sobe-e-desce danado e de alcançar mínima de 92.220,80 pontos e máxima aos 93.191,19 pontos. Até o momento, o Ibovespa acumula alta de 6,12% só nos primeiros dias de junho.

Enquanto a agenda de indicadores interna está esvaziada e os dois dados esperados nos EUA já foram informados, a grande espera do mercado é pelo índice oficial de emprego norte-americano, que será informado amanhã. A estimativa é de que o dado reforce um cenário menos deteriorado do setor após a fase de efeitos mais agudos por conta do isolamento social implementado no país para conter os impactos da pandemia do novo coronavírus.

Apesar de os indicadores divulgados esta manhã nos EUA terem ficado piores que o esperado, conforme as estimativas, o estrategista-chefe do Grupo Laatus, Jefferson Laatus, pondera que os números não vieram tão ruins.

A balança comercial dos EUA em abril teve superávit de US$ 49,41 bilhões, pouco aquém da previsão de analistas, que era de US$ 50 bilhões. Já os pedidos de auxílio-desemprego caíram 249 mil na semana, a 1,877 milhão, ante previsão de 1,8 milhão.

"Esse dado veio um pouco mais elevado, mas melhor que o da semana passada 2,123 milhões. E ontem, a ADP trouxe um resultado também bom e o mercado já estava comemorando. Então, hoje o dia deve ser de realização enquanto espera o payroll dado oficial de emprego dos EUA", avalia, lembrando que os mercados no exterior já começaram o dia realizando.

O minério de ferro, por exemplo, fechou em queda de 1,96%, a U$ 99,24 a tonelada, no porto de Qingdao, na China. Contudo, as ações da Vale ON subiam (0,58%) perto das 11 horas. Já as da Petrobras caíam acima de 1%, na esteira do recuo do petróleo no mercado externo.

Por ora, acrescenta Laatus, nem mesmo a decisão do Banco Central Europeu (BCE), que manteve hoje suas taxas de juros em níveis baixos, e afirmou que continuará pronto para atuar devem mudar o rumo dos negócios. "A expectativa de juro baixo e de que pode adotar novos estímulos são boa notícia, mas isso já era esperado."

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;