Fechar
Publicidade

Domingo, 12 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Grupo de torcedores corintianos monta tenda solidária em Mauá

Nario Barbosa/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Amigos arrecadam alimentos para doação na Avenida Portugal


Matheus Moreira
Especial para o Diário

02/06/2020 | 22:23


Os efeitos causados pela pandemia na população mais carente têm motivado grupos a se mobilizarem para tentar ajudar aos que mais precisam de apoio. Um exemplo disso é a Família Vai Corinthians, de Mauá, que aproveitou iniciativa que surgiu antes da crise para fazer a diferença na cidade.

A ideia começou quando os amigos resolveram criar uniforme para o time do coração e realizar amistosos com o intuito de arrecadar alimentos para os mais necessitados. Logo de cara, deu certo e o primeiro amistoso beneficente foi um sucesso. Desde então foram mais de 20 jogos e cerca de 2 toneladas de alimentos arrecadados. Após a última apresentação, em 14 de março, devido às regras de isolamento físico impostas pela pandemia, o grupo não atuou mais.

Mesmo com a bola parada, os jogadores/torcedores não deixaram de arrecadar alimentos. Eles decidiram montar uma tenda e coletar os produtos na Avenida Portugal, uma das principais de Mauá, que tem bom fluxo de veículos. “Estava na minha casa com mais dois jogadores e me ocorreu que deveríamos ajudar mesmo sem os jogos, na horas os dois toparam”, conta Alessandro Santos, 46 anos, comerciante e um dos idealizadores do projeto.

Logo, a ação se espalhou na cidade e até quem não é corintiano está participando da campanha solidária e também recebendo os alimentos. Alessandro frisa que o mais importante é ajudar a quem precisa e, em momentos como esse, não existe rivalidade. “Nessas horas não tem clubismo. A gente não pergunta o time que torce. Se a pessoa pede, a gente ajuda.”

Como o projeto ficou conhecido e a Família vai Corinthians não consegue suprir toda a necessidade das pessoas que as procura, a ideia foi priorizar a entrega para os mais necessitados. Para isso, o grupo faz pequena triagem perguntando às pessoas a quantidade de filhos, se têm emprego fixo, entre outras informações apenas para organizar a fila de quem será contemplado primeiro.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Grupo de torcedores corintianos monta tenda solidária em Mauá

Amigos arrecadam alimentos para doação na Avenida Portugal

Matheus Moreira
Especial para o Diário

02/06/2020 | 22:23


Os efeitos causados pela pandemia na população mais carente têm motivado grupos a se mobilizarem para tentar ajudar aos que mais precisam de apoio. Um exemplo disso é a Família Vai Corinthians, de Mauá, que aproveitou iniciativa que surgiu antes da crise para fazer a diferença na cidade.

A ideia começou quando os amigos resolveram criar uniforme para o time do coração e realizar amistosos com o intuito de arrecadar alimentos para os mais necessitados. Logo de cara, deu certo e o primeiro amistoso beneficente foi um sucesso. Desde então foram mais de 20 jogos e cerca de 2 toneladas de alimentos arrecadados. Após a última apresentação, em 14 de março, devido às regras de isolamento físico impostas pela pandemia, o grupo não atuou mais.

Mesmo com a bola parada, os jogadores/torcedores não deixaram de arrecadar alimentos. Eles decidiram montar uma tenda e coletar os produtos na Avenida Portugal, uma das principais de Mauá, que tem bom fluxo de veículos. “Estava na minha casa com mais dois jogadores e me ocorreu que deveríamos ajudar mesmo sem os jogos, na horas os dois toparam”, conta Alessandro Santos, 46 anos, comerciante e um dos idealizadores do projeto.

Logo, a ação se espalhou na cidade e até quem não é corintiano está participando da campanha solidária e também recebendo os alimentos. Alessandro frisa que o mais importante é ajudar a quem precisa e, em momentos como esse, não existe rivalidade. “Nessas horas não tem clubismo. A gente não pergunta o time que torce. Se a pessoa pede, a gente ajuda.”

Como o projeto ficou conhecido e a Família vai Corinthians não consegue suprir toda a necessidade das pessoas que as procura, a ideia foi priorizar a entrega para os mais necessitados. Para isso, o grupo faz pequena triagem perguntando às pessoas a quantidade de filhos, se têm emprego fixo, entre outras informações apenas para organizar a fila de quem será contemplado primeiro.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;