Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 22 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Tecnologia

tecnologia@dgabc.com.br | 4435-8301

Guia de Compras: qual o melhor iPhone para você?

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Bianca Bellucci
Do 33Giga

21/07/2020 | 10:48


Muito mais do que um smartphone, o iPhone é um objeto de desejo. O elegante design lapidado por Jonathan Ive, a internet ao alcance de todos e o marketing persuasivo de Steve Jobs fizeram com que o celular da Apple se tornasse cobiçado.

É bem provável que a primeira compra dos usuários tenha sido impulsionada por essa fórmula e, depois, o core do telefone passou a ser admirado por eles, como o prático sistema operacional e a maior segurança perante a concorrência.

Para quem não tem um iPhone e quer fazer a primeira compra, é importante ressaltar alguns pontos que permeiam o universo da Apple. Eles podem direcioná-lo para escolher o modelo ideal – e mostrar que nem todo celular vale a pena só porque tem o selo da maçã.

Leia mais:
De frente com Siri: 30 respostas engraçadas da assistente pessoal da Apple
Veja as 10 fotos mais bonitas tiradas com iPhone ao redor do mundo
Easter Eggs: descubra as referências da Apple em filmes da Pixar

Poucas diferenças entre os modelos

A Apple é conhecida por arriscar pouco, seja no design, seja no hardware. Isso significa que, uma vez que você comprar um iPhone, estará apto a usar qualquer smartphone da marca.

As inovações adotadas entre os modelos costumam ser singelas, como um processador mais potente, a adesão de um novo reconhecimento biométrico ou mudanças no tamanho da tela. O 33Giga já mostrou que foram necessários apenas 30 minutos para se acostumar com a troca de um iPhone 6 para um iPhone 11 – celulares lançados com um intervalo de cinco anos.

Essa característica da Apple também faz com que não haja tanta diferença entre os celulares que estão nas prateleiras. Logo, você não precisa comprar o modelo mais caro e mais novo para ter a tão desejada experiência da marca.

Como escolher o melhor iPhone para você

O principal ponto que vai determinar qual é o melhor iPhone para você está no orçamento disponível.

Os modelos novos são indicados para quem está disposto a gastar uma boa grana em um celular. Hoje, a loja oficial da Apple comercializa cinco dispositivos. Os preços variam de R$ 3.699 para o iPhone SE com 64 GB até R$ 9.599 para o iPhone 11 Pro Max de 512 GB.

Vale destacar que os celulares novos também são ideais para quem quer estar antenado às (poucas) mudanças da Apple e procura um celular que vá durar um tempo significativo – em média, três anos – e que ainda poderá ser revendido depois. Isso porque os smartphones da maçã têm pouca desvalorização de mercado.

Por exemplo, o iPhone 7 foi lançado em 2016, com preços a partir de R$ 3.499 para a versão de 32 GB. Embora não seja mais fabricado pela Apple, varejistas continuam vendendo as últimas unidades. Uma rápida pesquisa no Buscapé mostrou que, em média, um aparelho novo sai por R$ 2.100. Já na Trocafone, o modelo usado pode ser encontrado por R$ 1.479 – um reembolso significativo para o antigo usuário.

Aliás, optar por celulares mais antigos e que ainda contam com suporte da Apple – esqueça os modelos do iPhone 6 para trás, que foram abandonados – é a melhor alternativa para quem sonha em ter um telefone da marca, mas não possui um budget gordo.

Como dito anteriormente, os smartphones da Apple apresentam poucas alterações entre um modelo e outro. Então, você não estará perdendo grandes novidades.

O maior impacto em adquirir um celular antigo, seja novo ou usado, está no suporte. Conforme o tempo passa, a Apple e os desenvolvedores de aplicativos tendem a abandonar as atualizações. Isso porque o processador do telefone pode não aguentar a demanda e deixá-lo lento ou inviável para uso. Esse hábito tende a ocorrer seis anos após o lançamento. Então, cheque a data antes de colocar o iPhone no carrinho.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

Na galeria, você aproveita para conferir a evolução do iPhone:



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Guia de Compras: qual o melhor iPhone para você?

Bianca Bellucci
Do 33Giga

21/07/2020 | 10:48


Muito mais do que um smartphone, o iPhone é um objeto de desejo. O elegante design lapidado por Jonathan Ive, a internet ao alcance de todos e o marketing persuasivo de Steve Jobs fizeram com que o celular da Apple se tornasse cobiçado.

É bem provável que a primeira compra dos usuários tenha sido impulsionada por essa fórmula e, depois, o core do telefone passou a ser admirado por eles, como o prático sistema operacional e a maior segurança perante a concorrência.

Para quem não tem um iPhone e quer fazer a primeira compra, é importante ressaltar alguns pontos que permeiam o universo da Apple. Eles podem direcioná-lo para escolher o modelo ideal – e mostrar que nem todo celular vale a pena só porque tem o selo da maçã.

Leia mais:
De frente com Siri: 30 respostas engraçadas da assistente pessoal da Apple
Veja as 10 fotos mais bonitas tiradas com iPhone ao redor do mundo
Easter Eggs: descubra as referências da Apple em filmes da Pixar

Poucas diferenças entre os modelos

A Apple é conhecida por arriscar pouco, seja no design, seja no hardware. Isso significa que, uma vez que você comprar um iPhone, estará apto a usar qualquer smartphone da marca.

As inovações adotadas entre os modelos costumam ser singelas, como um processador mais potente, a adesão de um novo reconhecimento biométrico ou mudanças no tamanho da tela. O 33Giga já mostrou que foram necessários apenas 30 minutos para se acostumar com a troca de um iPhone 6 para um iPhone 11 – celulares lançados com um intervalo de cinco anos.

Essa característica da Apple também faz com que não haja tanta diferença entre os celulares que estão nas prateleiras. Logo, você não precisa comprar o modelo mais caro e mais novo para ter a tão desejada experiência da marca.

Como escolher o melhor iPhone para você

O principal ponto que vai determinar qual é o melhor iPhone para você está no orçamento disponível.

Os modelos novos são indicados para quem está disposto a gastar uma boa grana em um celular. Hoje, a loja oficial da Apple comercializa cinco dispositivos. Os preços variam de R$ 3.699 para o iPhone SE com 64 GB até R$ 9.599 para o iPhone 11 Pro Max de 512 GB.

Vale destacar que os celulares novos também são ideais para quem quer estar antenado às (poucas) mudanças da Apple e procura um celular que vá durar um tempo significativo – em média, três anos – e que ainda poderá ser revendido depois. Isso porque os smartphones da maçã têm pouca desvalorização de mercado.

Por exemplo, o iPhone 7 foi lançado em 2016, com preços a partir de R$ 3.499 para a versão de 32 GB. Embora não seja mais fabricado pela Apple, varejistas continuam vendendo as últimas unidades. Uma rápida pesquisa no Buscapé mostrou que, em média, um aparelho novo sai por R$ 2.100. Já na Trocafone, o modelo usado pode ser encontrado por R$ 1.479 – um reembolso significativo para o antigo usuário.

Aliás, optar por celulares mais antigos e que ainda contam com suporte da Apple – esqueça os modelos do iPhone 6 para trás, que foram abandonados – é a melhor alternativa para quem sonha em ter um telefone da marca, mas não possui um budget gordo.

Como dito anteriormente, os smartphones da Apple apresentam poucas alterações entre um modelo e outro. Então, você não estará perdendo grandes novidades.

O maior impacto em adquirir um celular antigo, seja novo ou usado, está no suporte. Conforme o tempo passa, a Apple e os desenvolvedores de aplicativos tendem a abandonar as atualizações. Isso porque o processador do telefone pode não aguentar a demanda e deixá-lo lento ou inviável para uso. Esse hábito tende a ocorrer seis anos após o lançamento. Então, cheque a data antes de colocar o iPhone no carrinho.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

Na galeria, você aproveita para conferir a evolução do iPhone:

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;