Fechar
Publicidade

Domingo, 25 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Embraer tem prejuízo líquido de R$ 1,276 bilhão no 1º trimestre, 6 vezes maior

Arquivo/Agência Brasil Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


01/06/2020 | 07:57


A Embraer reportou um prejuízo líquido de R$ 1,276 bilhão no primeiro trimestre de 2020, mais de seis vezes superior na comparação com o prejuízo de igual período de 2019, de R$ 160,8 milhões no critério atribuível aos acionistas. O prejuízo líquido ajustado, excluído do Imposto de Renda e Contribuição Social diferidos e também do impacto líquido, após imposto dos itens especiais que eventualmente tenham sido contabilizados, no período, foi de R$ 433,6 milhões, alta de 88% em igual comparação. Em igual período de 2019, o prejuízo líquido ajustado foi de R$ 229,9 milhões.

Segundo a empresa, os principais fatores determinantes para o aumento do prejuízo líquido ajustado foram o declínio na receita operacional aliado ao crescimento das perdas cambiais (perda cambial de R$ 116,2 milhões no trimestre versus ganho cambial de R$ 34,2 milhões no primeiro trimestre de 2019 ), dada a apreciação substancial do dólar norte-americano versus o real de 29%.

Já o Ebitda ajustado da empresa no trimestre foi de R$ 319,3 milhões, crescimento de 165% na comparação com os R$ 120,3 milhões reportados em igual período de 2019. A margem Ebitda ajustada subiu de 3,9% para 11,1% também na comparação anual.

O Resultado operacional (EBIT) e a Margem operacional reportados no trimestre foram negativos em R$ 209,1 milhões e -7,3%, respectivamente, comparados aos R$ 53,7 milhões negativos e aos -1,7% reportados no primeiro trimestre de 2019.

No trimestre, a empresa teve impacto também decorrente da covid-19, como R$ 108,6 milhões em variações negativas no valor da participação da Embraer na Republic Airways Holdings e R$ 163,1 milhões em provisões com devedores duvidosos nas contas a receber. A empresa disse que adotou "uma abordagem mais conservadora no contexto da pandemia da covid-19". No primeiro trimestre de 2019, a empresa não havia registrado itens especiais.

Excluindo os itens especiais, o EBIT ajustado e a Margem EBIT ajustada do trimestre foram de R$ 62,6 milhões e 2,2%, respectivamente, em comparação ao EBIT negativo do primeiro trimestre de 2019 de R$ 53,7 milhões e margem EBIT de -1,7%. O crescimento dos dados veio mesmo diante do menor volume de entregas de jatos comerciais devido à melhor rentabilidade nos segmentos de Aviação Executiva e de Defesa & Segurança, com um melhor mix de negócios, explicou a empresa.

Entregas

No trimestre, a Embraer entregou cinco aeronaves comerciais e nove executivas (cinco jatos leves e quatro grandes), totalizando 14 aeronaves. Em igual comparação do ano anterior, a Embraer entregou 11 aeronaves comerciais e 11 executivas (oito jatos leves e três grandes).

A empresa disse que, historicamente, entrega menos no primeiro trimestre de cada ano. Como já informado pela empresa, o trimestre teve impacto negativo do início da divisão de Aviação Comercial na esteira do negócio com a Boeing, que foi cancelado pela companhia norte-americana.

A receita líquida da empresa teve queda de 8% em relação ao primeiro trimestre de 2019 e ficou em R$ 2,874 bilhões, com queda em praticamente todos os negócios da Companhia, à exceção da Aviação Executiva. "Apesar das entregas de jatos executivos terem sido pouco menores no 1T20, em comparação ao 1T19, o mix de entregas foi mais favorável, uma vez que uma quantidade maior de jatos grandes foi entregue nesse período", explicou a empresa.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Embraer tem prejuízo líquido de R$ 1,276 bilhão no 1º trimestre, 6 vezes maior


01/06/2020 | 07:57


A Embraer reportou um prejuízo líquido de R$ 1,276 bilhão no primeiro trimestre de 2020, mais de seis vezes superior na comparação com o prejuízo de igual período de 2019, de R$ 160,8 milhões no critério atribuível aos acionistas. O prejuízo líquido ajustado, excluído do Imposto de Renda e Contribuição Social diferidos e também do impacto líquido, após imposto dos itens especiais que eventualmente tenham sido contabilizados, no período, foi de R$ 433,6 milhões, alta de 88% em igual comparação. Em igual período de 2019, o prejuízo líquido ajustado foi de R$ 229,9 milhões.

Segundo a empresa, os principais fatores determinantes para o aumento do prejuízo líquido ajustado foram o declínio na receita operacional aliado ao crescimento das perdas cambiais (perda cambial de R$ 116,2 milhões no trimestre versus ganho cambial de R$ 34,2 milhões no primeiro trimestre de 2019 ), dada a apreciação substancial do dólar norte-americano versus o real de 29%.

Já o Ebitda ajustado da empresa no trimestre foi de R$ 319,3 milhões, crescimento de 165% na comparação com os R$ 120,3 milhões reportados em igual período de 2019. A margem Ebitda ajustada subiu de 3,9% para 11,1% também na comparação anual.

O Resultado operacional (EBIT) e a Margem operacional reportados no trimestre foram negativos em R$ 209,1 milhões e -7,3%, respectivamente, comparados aos R$ 53,7 milhões negativos e aos -1,7% reportados no primeiro trimestre de 2019.

No trimestre, a empresa teve impacto também decorrente da covid-19, como R$ 108,6 milhões em variações negativas no valor da participação da Embraer na Republic Airways Holdings e R$ 163,1 milhões em provisões com devedores duvidosos nas contas a receber. A empresa disse que adotou "uma abordagem mais conservadora no contexto da pandemia da covid-19". No primeiro trimestre de 2019, a empresa não havia registrado itens especiais.

Excluindo os itens especiais, o EBIT ajustado e a Margem EBIT ajustada do trimestre foram de R$ 62,6 milhões e 2,2%, respectivamente, em comparação ao EBIT negativo do primeiro trimestre de 2019 de R$ 53,7 milhões e margem EBIT de -1,7%. O crescimento dos dados veio mesmo diante do menor volume de entregas de jatos comerciais devido à melhor rentabilidade nos segmentos de Aviação Executiva e de Defesa & Segurança, com um melhor mix de negócios, explicou a empresa.

Entregas

No trimestre, a Embraer entregou cinco aeronaves comerciais e nove executivas (cinco jatos leves e quatro grandes), totalizando 14 aeronaves. Em igual comparação do ano anterior, a Embraer entregou 11 aeronaves comerciais e 11 executivas (oito jatos leves e três grandes).

A empresa disse que, historicamente, entrega menos no primeiro trimestre de cada ano. Como já informado pela empresa, o trimestre teve impacto negativo do início da divisão de Aviação Comercial na esteira do negócio com a Boeing, que foi cancelado pela companhia norte-americana.

A receita líquida da empresa teve queda de 8% em relação ao primeiro trimestre de 2019 e ficou em R$ 2,874 bilhões, com queda em praticamente todos os negócios da Companhia, à exceção da Aviação Executiva. "Apesar das entregas de jatos executivos terem sido pouco menores no 1T20, em comparação ao 1T19, o mix de entregas foi mais favorável, uma vez que uma quantidade maior de jatos grandes foi entregue nesse período", explicou a empresa.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;