Fechar
Publicidade

Domingo, 12 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Grande ABC ainda não terá gratuidades no Bom Prato

Celso Luiz/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Benefício anunciado pelo Estado ontem será implantado nas próximas semanas em Santo André e São Bernardo


Aline Melo
Do Diário do Grande ABC

29/05/2020 | 23:47


O anúncio do governo do Estado de São Paulo feito ontem, de que pessoas em situação de rua poderão se alimentar gratuitamente em todos os restaurantes Bom Prato do Estado não tem data para se concretizar na região. Isso porque as prefeituras de Santo André e São Bernardo, que contam com três das 59 unidades espalhadas pelo Estado, precisam aderir ao convênio e cadastrar a população que será beneficiada com a medida.

A iniciativa estabelece a gratuidade das refeições mediante a apresentação de cartão com QR Code e cabe às prefeituras a quantificação, identificação e localização dos beneficiários, bem como a entrega dos cartões de gratuidade e o monitoramento da prestação dos serviços. O investimento do governo de São Paulo é de R$ 2 milhões. Não haverá contrapartida financeira por parte dos municípios.

Atualmente, a região conta com três unidades do Bom Prato, um em Santo André, no Centro, e dois em São Bernardo, no Centro e outro no bairro Assunção, este em estrutura provisória montada para atendimento durante a pandemia. As três unidades servem até 4.800 refeições ao dia, entre café da manhã, das 7h às 9h, almoço, das 10h às 15h, e jantar, das 17h30 às 19h30. A unidade provisória do Assunção serve apenas almoço e em todos os casos, durante a quarentena, as refeições são entregues para viagem.

Ainda não há definição de quantas pessoas serão atendidas nas duas cidades, que têm até o momento 493 pessoas em situação de rua com algum cadastro junto às administrações municipais.

A Prefeitura de Santo André informou que atualmente tem cadastradas no CadÚnico 293 pessoas em situação de rua. Segundo a administração, a expectativa é que as cidades da Região Metropolitana iniciem o serviço gratuito apenas entre a segunda quinzena de junho e a primeira semana de julho. “A Prefeitura de Santo André já enviou ofício para inclusão do município na ação e aguarda retorno do governo do Estado com as orientações”, informou o Paço, em nota.

A Prefeitura de São Bernardo confirmou que o plano de ação do município para a distribuição de refeições gratuitas ao público em situação de rua, por meio do Bom Prato, está em fase de conclusão. A estimativa é que cerca de 200 moradores de rua sejam beneficiados na cidade.

A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social explicou que não haverá aumento na cota diária de refeições, apenas a gratuidade para os usuários portadores do cartão entregue pelas prefeituras. “A gratuidade de uma alimentação de qualidade e balanceada, como a que servimos no Bom Prato, permite ao governo de São Paulo garantir a segurança alimentar desta população, além de assegurar a melhoria em suas defesas frente a esta pandemia”, afirmou a titular da pasta, Célia Parnes.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Grande ABC ainda não terá gratuidades no Bom Prato

Benefício anunciado pelo Estado ontem será implantado nas próximas semanas em Santo André e São Bernardo

Aline Melo
Do Diário do Grande ABC

29/05/2020 | 23:47


O anúncio do governo do Estado de São Paulo feito ontem, de que pessoas em situação de rua poderão se alimentar gratuitamente em todos os restaurantes Bom Prato do Estado não tem data para se concretizar na região. Isso porque as prefeituras de Santo André e São Bernardo, que contam com três das 59 unidades espalhadas pelo Estado, precisam aderir ao convênio e cadastrar a população que será beneficiada com a medida.

A iniciativa estabelece a gratuidade das refeições mediante a apresentação de cartão com QR Code e cabe às prefeituras a quantificação, identificação e localização dos beneficiários, bem como a entrega dos cartões de gratuidade e o monitoramento da prestação dos serviços. O investimento do governo de São Paulo é de R$ 2 milhões. Não haverá contrapartida financeira por parte dos municípios.

Atualmente, a região conta com três unidades do Bom Prato, um em Santo André, no Centro, e dois em São Bernardo, no Centro e outro no bairro Assunção, este em estrutura provisória montada para atendimento durante a pandemia. As três unidades servem até 4.800 refeições ao dia, entre café da manhã, das 7h às 9h, almoço, das 10h às 15h, e jantar, das 17h30 às 19h30. A unidade provisória do Assunção serve apenas almoço e em todos os casos, durante a quarentena, as refeições são entregues para viagem.

Ainda não há definição de quantas pessoas serão atendidas nas duas cidades, que têm até o momento 493 pessoas em situação de rua com algum cadastro junto às administrações municipais.

A Prefeitura de Santo André informou que atualmente tem cadastradas no CadÚnico 293 pessoas em situação de rua. Segundo a administração, a expectativa é que as cidades da Região Metropolitana iniciem o serviço gratuito apenas entre a segunda quinzena de junho e a primeira semana de julho. “A Prefeitura de Santo André já enviou ofício para inclusão do município na ação e aguarda retorno do governo do Estado com as orientações”, informou o Paço, em nota.

A Prefeitura de São Bernardo confirmou que o plano de ação do município para a distribuição de refeições gratuitas ao público em situação de rua, por meio do Bom Prato, está em fase de conclusão. A estimativa é que cerca de 200 moradores de rua sejam beneficiados na cidade.

A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social explicou que não haverá aumento na cota diária de refeições, apenas a gratuidade para os usuários portadores do cartão entregue pelas prefeituras. “A gratuidade de uma alimentação de qualidade e balanceada, como a que servimos no Bom Prato, permite ao governo de São Paulo garantir a segurança alimentar desta população, além de assegurar a melhoria em suas defesas frente a esta pandemia”, afirmou a titular da pasta, Célia Parnes.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;