Fechar
Publicidade

Domingo, 12 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Atlético-MG contrata empresa de auditoria e vai investigar gestões passadas



29/05/2020 | 21:19


O presidente do Atlético Mineiro, Sergio Sette Câmara, revelou nesta sexta-feira que contratou uma auditoria externa para investigar as contas do clube, incluindo as gestões passadas, com a intenção de avaliar as dívidas da equipe. A avaliação da situação do clube será feita pela Kroll, com o dirigente citando que a empresa investigou recentemente a situação do Cruzeiro quando era presidido por Wagner Pires de Sá, apontando uma série de irregularidades.

"Acabei de contratar uma outra auditoria, chamado Kroll, a mesma que levantou uma série de irregularidades no Cruzeiro. E vamos disponibilizar todos os números da minha gestão, mas também vamos dar uma olhadinha no passado para que possam esclarecer porque o Atlético chegou a esse nível de endividamento", afirmou o dirigente em entrevista à rádio Itatiaia.

A declaração de Sette Câmara é um claro ataque a seus antecessores, especialmente a Alexandre Kalil, seu antigo aliado e atual prefeito de Belo Horizonte, com quem entrou rota de colisão nos últimos meses.

A afirmação do dirigente também se dá um dia após o vazamento do balanço financeiro do clube em 2019. Diante do endividamento líquido de R$ 656 milhões, a atual gestão defende se tratar meramente da evolução da dívida anterior, que estaria em R$ 630 milhões caso o balanço auditado de 2017, ano em que foi eleito para suceder Daniel Nepomuceno, fosse atualizado.

"Vale salientar que, se o clube, nos dois últimos anos, não tivesse que pagar compromissos anteriores com impactos significativos no Balanço, teria conseguido amortizar a dívida que nosso balanço apresenta. Os valores, só em 2019, atingiram um montante de R$ 34 milhões, valor que nos impediu de amortizar nossa dívida bancária", diz trecho do documento.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Atlético-MG contrata empresa de auditoria e vai investigar gestões passadas


29/05/2020 | 21:19


O presidente do Atlético Mineiro, Sergio Sette Câmara, revelou nesta sexta-feira que contratou uma auditoria externa para investigar as contas do clube, incluindo as gestões passadas, com a intenção de avaliar as dívidas da equipe. A avaliação da situação do clube será feita pela Kroll, com o dirigente citando que a empresa investigou recentemente a situação do Cruzeiro quando era presidido por Wagner Pires de Sá, apontando uma série de irregularidades.

"Acabei de contratar uma outra auditoria, chamado Kroll, a mesma que levantou uma série de irregularidades no Cruzeiro. E vamos disponibilizar todos os números da minha gestão, mas também vamos dar uma olhadinha no passado para que possam esclarecer porque o Atlético chegou a esse nível de endividamento", afirmou o dirigente em entrevista à rádio Itatiaia.

A declaração de Sette Câmara é um claro ataque a seus antecessores, especialmente a Alexandre Kalil, seu antigo aliado e atual prefeito de Belo Horizonte, com quem entrou rota de colisão nos últimos meses.

A afirmação do dirigente também se dá um dia após o vazamento do balanço financeiro do clube em 2019. Diante do endividamento líquido de R$ 656 milhões, a atual gestão defende se tratar meramente da evolução da dívida anterior, que estaria em R$ 630 milhões caso o balanço auditado de 2017, ano em que foi eleito para suceder Daniel Nepomuceno, fosse atualizado.

"Vale salientar que, se o clube, nos dois últimos anos, não tivesse que pagar compromissos anteriores com impactos significativos no Balanço, teria conseguido amortizar a dívida que nosso balanço apresenta. Os valores, só em 2019, atingiram um montante de R$ 34 milhões, valor que nos impediu de amortizar nossa dívida bancária", diz trecho do documento.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;