Fechar
Publicidade

Domingo, 12 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Djalma Santos no time da Vila?

Uma curiosidade – mais uma – no mundo das figurinhas: o editor deste álbum alemão de 1965/66 resolveu reforçar o timaço do Santos e incluiu Djalma Santos e Roberto Dias entre os cromos santistas


Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

30/05/2020 | 00:01


Bate bola do Memofut

Com bigode e sem bigode 

Este álbum alemão é realmente curioso, e esta página do Santos, impressionante. Além da inclusão do Djalma Santos e do Roberto Dias, Pagão já não estava no Santos há dois anos (foi para o São Paulo em 1963) e Toninho Guerreiro é chamado de Antoninho, ‘apelido’ pelo qual, que eu saiba, ele não era conhecido por aqui e que, por coincidência, seria o nome do técnico do Santos que substituiu o Lula, a partir de 1967.

Este goleiro Silas era o quarto goleiro do Santos, depois de Gilmar, Cláudio e Laércio, e só fez duas partidas pelo Santos em 1965.

Gustavo Carvalho

Como sempre é afirmado no Memofut, é preciso ver as coisas com os óculos da época. Em 1965 a editora alemã não tinha as informações precisas. Lembrem-se que a internet veio bem depois. Sabiam de um jogador Djalma Dias. Fizeram uma composição erroneamente. O Djalma Santos era bicampeão mundial e o Roberto Dias (com S) já havia feito aparições na Seleção. Provavelmente ouviram falar do Antoninho do Santos (técnico) e também do Toninho (Guerreiro). Concluíram que devia ser o mesmo. Quanto ao Pagão, talvez fosse a imagem que tinham e nem sabiam que havia trocado de time.

José Roberto Diniz

Apesar das licenças poéticas, ainda assim é um álbum muito bonito, inclusive pelas imagens escolhidas. Foi possível identificar o Roberto Dias sem bigode. Aliás, que coisa curiosa, Zito sem bigode e Coutinho com um bigode fininho.

Outro detalhe que achei muito curioso é o serrilhado das figurinhas, estilo selo postal.

Por fim, o detalhe da coroa acima do escudo do Santos. Imagino que seria outra licença poética, mas fiquei com a sensação de já ter visto essa composição antes, escudo do Santos + coroa.

Ademir Takara


Nas Ondas da Bandeirantes

Texto: Milton Parron

Neste fim de semana o programa Memória vai focalizar a Rádio Bandeirantes entre a segunda metade da década de 1950 até por volta de 1966.

Pode-se dizer que sua audiência era imbatível, com programas que ficaram marcados na história do rádio paulista: Picape do Pica-Pau, Telefone Pedindo Bis, O Trabuco, Almoço à Brasileira; Patrulha Bandeirantes, Show das Dez, Os Brotos

Comandam, sem falar nos sertanejos, nos jornalísticos e, claro, no esporte. 

Entre os nomes marcantes daquele rádio de gostosa saudade, dois relatarão episódios divertidos, as dificuldades naqueles tempos para se fazer rádio com qualidade de som adequada: Luis Aguiar e Fernando Solera, que foram repórteres e narradores esportivos.

mais tarde Solera foi para a televisão e Luis Aguiar consolidou prestígio ao presidir o Sindicato dos Radialistas, por sinal, um dos mais atuantes dirigentes que aquele sindicato teve até hoje.

EM PAUTA – Rádio Bandeirantes AM (840) e FM (90,9) – O Rádio dos anos 50 e 60. Produção e apresentação: Milton Parron. Hoje, às 23h, amanhã, às 5h. Na internet: www.radiobandeirantes.com.br.


Diário há meio século

Sábado, 30 de maio de 1970; ano 12; edição 1246

Manchete – Três disputam a direção da Faculdade de Medicina do ABC 

Futebol – São Caetano 1, Diadema 0. E a cidade de São Caetano conquista a I Taça João Ramalho, envolvendo seleções dos municípios da região.

A partida decisiva foi disputada no feriado de Corpus Christi (28 de maio) no Estádio Municipal, hoje Bruno Daniel. O gol do título são-caetanense foi assinalado por Lamparina.

Em 30 de maio de...

1920 – Aprovados os cursos de química industrial no Brasil, com duração de três anos. As primeiras escolas serão abertas em São Paulo, Rio de Janeiro, Ouro Preto, Belo Horizonte, Porto Alegre, Niterói e Estados da Bahia e Pernambuco.

- Em 18 de maio tomou posse o novo diretor da Instrução Pública de São Paulo, Antonio Sampaio Doria.

2015 – Em 27 de maio daquele ano a Associação dos Funcionários Públicos de São Bernardo inaugura o Espaço Rita Angela Zincaglia, com os retratos de todos os Memória escrevia: “A Associação preserva a sua memória e as dos servidores que ajudaram a construí-la, ontem, hoje e, certamente, amanhã”.

Hoje

- Dia do Geólogo

- Dia do Decorador


Santos do dia

- Fernando III

- José Marello

Municípios brasileiros

Hoje aniversariam Palestina, São Joaquim da Barra e Valparaíso.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Djalma Santos no time da Vila?

Uma curiosidade – mais uma – no mundo das figurinhas: o editor deste álbum alemão de 1965/66 resolveu reforçar o timaço do Santos e incluiu Djalma Santos e Roberto Dias entre os cromos santistas

Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

30/05/2020 | 00:01


Bate bola do Memofut

Com bigode e sem bigode 

Este álbum alemão é realmente curioso, e esta página do Santos, impressionante. Além da inclusão do Djalma Santos e do Roberto Dias, Pagão já não estava no Santos há dois anos (foi para o São Paulo em 1963) e Toninho Guerreiro é chamado de Antoninho, ‘apelido’ pelo qual, que eu saiba, ele não era conhecido por aqui e que, por coincidência, seria o nome do técnico do Santos que substituiu o Lula, a partir de 1967.

Este goleiro Silas era o quarto goleiro do Santos, depois de Gilmar, Cláudio e Laércio, e só fez duas partidas pelo Santos em 1965.

Gustavo Carvalho

Como sempre é afirmado no Memofut, é preciso ver as coisas com os óculos da época. Em 1965 a editora alemã não tinha as informações precisas. Lembrem-se que a internet veio bem depois. Sabiam de um jogador Djalma Dias. Fizeram uma composição erroneamente. O Djalma Santos era bicampeão mundial e o Roberto Dias (com S) já havia feito aparições na Seleção. Provavelmente ouviram falar do Antoninho do Santos (técnico) e também do Toninho (Guerreiro). Concluíram que devia ser o mesmo. Quanto ao Pagão, talvez fosse a imagem que tinham e nem sabiam que havia trocado de time.

José Roberto Diniz

Apesar das licenças poéticas, ainda assim é um álbum muito bonito, inclusive pelas imagens escolhidas. Foi possível identificar o Roberto Dias sem bigode. Aliás, que coisa curiosa, Zito sem bigode e Coutinho com um bigode fininho.

Outro detalhe que achei muito curioso é o serrilhado das figurinhas, estilo selo postal.

Por fim, o detalhe da coroa acima do escudo do Santos. Imagino que seria outra licença poética, mas fiquei com a sensação de já ter visto essa composição antes, escudo do Santos + coroa.

Ademir Takara


Nas Ondas da Bandeirantes

Texto: Milton Parron

Neste fim de semana o programa Memória vai focalizar a Rádio Bandeirantes entre a segunda metade da década de 1950 até por volta de 1966.

Pode-se dizer que sua audiência era imbatível, com programas que ficaram marcados na história do rádio paulista: Picape do Pica-Pau, Telefone Pedindo Bis, O Trabuco, Almoço à Brasileira; Patrulha Bandeirantes, Show das Dez, Os Brotos

Comandam, sem falar nos sertanejos, nos jornalísticos e, claro, no esporte. 

Entre os nomes marcantes daquele rádio de gostosa saudade, dois relatarão episódios divertidos, as dificuldades naqueles tempos para se fazer rádio com qualidade de som adequada: Luis Aguiar e Fernando Solera, que foram repórteres e narradores esportivos.

mais tarde Solera foi para a televisão e Luis Aguiar consolidou prestígio ao presidir o Sindicato dos Radialistas, por sinal, um dos mais atuantes dirigentes que aquele sindicato teve até hoje.

EM PAUTA – Rádio Bandeirantes AM (840) e FM (90,9) – O Rádio dos anos 50 e 60. Produção e apresentação: Milton Parron. Hoje, às 23h, amanhã, às 5h. Na internet: www.radiobandeirantes.com.br.


Diário há meio século

Sábado, 30 de maio de 1970; ano 12; edição 1246

Manchete – Três disputam a direção da Faculdade de Medicina do ABC 

Futebol – São Caetano 1, Diadema 0. E a cidade de São Caetano conquista a I Taça João Ramalho, envolvendo seleções dos municípios da região.

A partida decisiva foi disputada no feriado de Corpus Christi (28 de maio) no Estádio Municipal, hoje Bruno Daniel. O gol do título são-caetanense foi assinalado por Lamparina.

Em 30 de maio de...

1920 – Aprovados os cursos de química industrial no Brasil, com duração de três anos. As primeiras escolas serão abertas em São Paulo, Rio de Janeiro, Ouro Preto, Belo Horizonte, Porto Alegre, Niterói e Estados da Bahia e Pernambuco.

- Em 18 de maio tomou posse o novo diretor da Instrução Pública de São Paulo, Antonio Sampaio Doria.

2015 – Em 27 de maio daquele ano a Associação dos Funcionários Públicos de São Bernardo inaugura o Espaço Rita Angela Zincaglia, com os retratos de todos os Memória escrevia: “A Associação preserva a sua memória e as dos servidores que ajudaram a construí-la, ontem, hoje e, certamente, amanhã”.

Hoje

- Dia do Geólogo

- Dia do Decorador


Santos do dia

- Fernando III

- José Marello

Municípios brasileiros

Hoje aniversariam Palestina, São Joaquim da Barra e Valparaíso.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;