Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 8 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

A Justiça entre os planos de Doria


Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

28/05/2020 | 23:19


A classe política do Grande ABC ainda tenta digerir os motivos pelos quais o governador João Doria (PSDB) decidiu flexibilizar a quarentena na Capital e manter as restrições à região, a despeito de os indicadores de luta contra a Covid-19 serem melhores no Grande ABC do que em São Paulo. Em algumas prefeituras, circulou comentário sobre Doria jogar a responsabilidade das atitudes de combate ao coronavírus para a Justiça. A tese sustentada por alguns é a seguinte: ao oferecer tratamento desigual aos municípios da Grande São Paulo, o Estado provocaria questionamentos jurídicos de cidades sobre a decisão. A Justiça, se seguir os caminhos adotados até aqui, determinaria o fechamento completo das atividades, inclusive na Capital, uma vez que a curva de infectados pela Covid-19 – e as consequentes mortes – não cai. Assim, Doria teria de cumprir uma decisão judicial de fechamento, atendendo orientações da saúde, com discurso de reabertura gradual do comércio, como pede o setor econômico.

Hospital
O prefeito de Diadema, Lauro Michels (PV), publicou imagens de videoconferência que realizou com técnicos da Secretaria Especial de Assuntos Federativos da Presidência da República para solicitar recursos para construção de outro hospital municipal, desativando o equipamento instalado no bairro Piraporinha desde os anos 1980. “Com essa iniciativa, sairemos do antigo imbróglio e do aluguel que nossa cidade pagou e paga há muitos anos para manter o atual Hospital Municipal, que permanece em prédio do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), fator que impediu e impede que nosso município receba recursos para esta unidade de saúde mais importante da região”, escreveu o verde, que tem estreitado laços com o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nos últimos meses.

Ouvidor – 1
O ouvidor da Câmara de São Bernardo, Kayo Amado (Podemos), entrou em contato com a coluna para garantir que não trata politicamente os assuntos que chegam ao seu departamento, ao comentar nota sobre reclamação formal feita à empresa NR Serviços de Segurança e Vigilância, conhecida como Nobre, que tenta encontrar brechas para continuar prestando serviço à casa mesmo com impedimento contratual.

Ouvidor – 2
“Sou gestor público de formação, pós-graduado e possuo certificação em ouvidoria pela Associação Brasileira de Ouvidores. Cumpro com minhas obrigações, sendo avaliado pelos meus superiores hierárquicos com o devido rigor, sem que haja nada que desabone minha conduta”, disse Kayo Amado, assegurando que seus interesses políticos – foi candidato a prefeito em São Vicente, cidade do Litoral – não conflitam com a atuação na Câmara de São Bernardo. “Eu não misturo as coisas.”

Críticas
Não faltaram notas e posicionamentos de repúdio de vereadores e candidatos a vereador do Grande ABC com a decisão do governo do Estado em deixar fora a região da lista de áreas que podem abrir, mesmo que parcialmente, o comércio. Mas chamou atenção montagem feita pelo parlamentar Professor Minhoca (PSDB), de Santo André. Nas redes sociais, Minhoca, que é correligionário do governador João Doria (PSDB), coloca o chefe do Estado chutando a cabeça do deputado federal Alexandre Frota (PSDB) e dizendo que “Doria deu bola ‘Frota’” no Grande ABC. Também disse estar arrependido de ter votado no governador em 2018.

Posse
Após impasse, a Câmara de Ribeirão Pires confirmou que Anderson Benevides (Avante) assume a vaga de parlamentar de Gê do Aliança (PV), que morreu no começo do mês. Sobrinho do ex-prefeito Saulo Benevides (Avante), Anderson retorna ao Legislativo – ele foi vereador entre 2013 e 2015, quando teve o mandato cassado por infidelidade partidária. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

A Justiça entre os planos de Doria

Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

28/05/2020 | 23:19


A classe política do Grande ABC ainda tenta digerir os motivos pelos quais o governador João Doria (PSDB) decidiu flexibilizar a quarentena na Capital e manter as restrições à região, a despeito de os indicadores de luta contra a Covid-19 serem melhores no Grande ABC do que em São Paulo. Em algumas prefeituras, circulou comentário sobre Doria jogar a responsabilidade das atitudes de combate ao coronavírus para a Justiça. A tese sustentada por alguns é a seguinte: ao oferecer tratamento desigual aos municípios da Grande São Paulo, o Estado provocaria questionamentos jurídicos de cidades sobre a decisão. A Justiça, se seguir os caminhos adotados até aqui, determinaria o fechamento completo das atividades, inclusive na Capital, uma vez que a curva de infectados pela Covid-19 – e as consequentes mortes – não cai. Assim, Doria teria de cumprir uma decisão judicial de fechamento, atendendo orientações da saúde, com discurso de reabertura gradual do comércio, como pede o setor econômico.

Hospital
O prefeito de Diadema, Lauro Michels (PV), publicou imagens de videoconferência que realizou com técnicos da Secretaria Especial de Assuntos Federativos da Presidência da República para solicitar recursos para construção de outro hospital municipal, desativando o equipamento instalado no bairro Piraporinha desde os anos 1980. “Com essa iniciativa, sairemos do antigo imbróglio e do aluguel que nossa cidade pagou e paga há muitos anos para manter o atual Hospital Municipal, que permanece em prédio do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), fator que impediu e impede que nosso município receba recursos para esta unidade de saúde mais importante da região”, escreveu o verde, que tem estreitado laços com o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nos últimos meses.

Ouvidor – 1
O ouvidor da Câmara de São Bernardo, Kayo Amado (Podemos), entrou em contato com a coluna para garantir que não trata politicamente os assuntos que chegam ao seu departamento, ao comentar nota sobre reclamação formal feita à empresa NR Serviços de Segurança e Vigilância, conhecida como Nobre, que tenta encontrar brechas para continuar prestando serviço à casa mesmo com impedimento contratual.

Ouvidor – 2
“Sou gestor público de formação, pós-graduado e possuo certificação em ouvidoria pela Associação Brasileira de Ouvidores. Cumpro com minhas obrigações, sendo avaliado pelos meus superiores hierárquicos com o devido rigor, sem que haja nada que desabone minha conduta”, disse Kayo Amado, assegurando que seus interesses políticos – foi candidato a prefeito em São Vicente, cidade do Litoral – não conflitam com a atuação na Câmara de São Bernardo. “Eu não misturo as coisas.”

Críticas
Não faltaram notas e posicionamentos de repúdio de vereadores e candidatos a vereador do Grande ABC com a decisão do governo do Estado em deixar fora a região da lista de áreas que podem abrir, mesmo que parcialmente, o comércio. Mas chamou atenção montagem feita pelo parlamentar Professor Minhoca (PSDB), de Santo André. Nas redes sociais, Minhoca, que é correligionário do governador João Doria (PSDB), coloca o chefe do Estado chutando a cabeça do deputado federal Alexandre Frota (PSDB) e dizendo que “Doria deu bola ‘Frota’” no Grande ABC. Também disse estar arrependido de ter votado no governador em 2018.

Posse
Após impasse, a Câmara de Ribeirão Pires confirmou que Anderson Benevides (Avante) assume a vaga de parlamentar de Gê do Aliança (PV), que morreu no começo do mês. Sobrinho do ex-prefeito Saulo Benevides (Avante), Anderson retorna ao Legislativo – ele foi vereador entre 2013 e 2015, quando teve o mandato cassado por infidelidade partidária. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;