Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 9 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

China diz ter espaço em políticas fiscal e monetária para mudança na economia



28/05/2020 | 09:57


A China tem espaço em políticas fiscal e monetária para caso de grandes mudanças na economia, disse o primeiro-ministro Li Keqiang nesta Quinta-feira (28). "É essencial manter a economia da China em andamento", disse Li a repórteres após a conclusão do Congresso Nacional do Partido Comunista.

Embora o governo tenha decido não adotar uma meta de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para 2020, Li considera que, caso o país consiga cumprir outras metas, como criação de empregos, a economia local ainda poderá se expandir. Por outro lado, o primeiro-ministro, que disse que as medidas políticas existentes já eram "vigorosas", reiterou que as autoridades não recorrerão a estímulos massivos em meio à crise econômica.

O premiê prometeu apoio ao setor de exportação e pequenas e médias empresas que foram duramente atingidas pelo coronavírus. "A recessão será seguida por um novo boom", disse ele a repórteres. Fonte: Dow Jones Newswires.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

China diz ter espaço em políticas fiscal e monetária para mudança na economia


28/05/2020 | 09:57


A China tem espaço em políticas fiscal e monetária para caso de grandes mudanças na economia, disse o primeiro-ministro Li Keqiang nesta Quinta-feira (28). "É essencial manter a economia da China em andamento", disse Li a repórteres após a conclusão do Congresso Nacional do Partido Comunista.

Embora o governo tenha decido não adotar uma meta de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para 2020, Li considera que, caso o país consiga cumprir outras metas, como criação de empregos, a economia local ainda poderá se expandir. Por outro lado, o primeiro-ministro, que disse que as medidas políticas existentes já eram "vigorosas", reiterou que as autoridades não recorrerão a estímulos massivos em meio à crise econômica.

O premiê prometeu apoio ao setor de exportação e pequenas e médias empresas que foram duramente atingidas pelo coronavírus. "A recessão será seguida por um novo boom", disse ele a repórteres. Fonte: Dow Jones Newswires.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;