Fechar
Publicidade

Sábado, 8 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Quadrilha do Fiesta rouba casas no Pq. Novo Oratório

Rua teve dois casos; bando da Capital pode ter trocado de carro


Rafael Ribeiro
do Diário do Grande ABC

08/05/2012 | 07:00


Um Fiesta vermelho vem gerando medo entre os moradores da região do Parque Novo Oratório, em Santo André. Seus passageiros formam quadrilha responsável por três roubos e furtos a residências registrados nos últimos 20 dias. Dois deles foram na mesma rua, no Parque Erasmo Assunção.
Ontem, um dos moradores do local foi vítima. O ferramenteiro de 49 anos saiu por volta das 8h30 e ao retornar, quatro horas depois, encontrou a porta da sala arrombada e gavetas de seu quarto vasculhadas. Levaram cerca de R$ 20 mil em bens.

"A gente vinha planejando mudar os horários para sair de casa. Com certeza eles já sabiam de toda a rotina da família", disse o homem. Uma vizinha viu o carro estacionado com dois homens morenos, de cabelo curto, usando roupas sociais. Ao serem flagrados, fugiram. Deixaram para trás sacolas com mais objetos que seriam levados.

O chefe dos investigadores do 5º DP (Parque Novo Oratório) da cidade, onde os casos foram registrados, Armando Ferreira Correia, suspeita que a quadrilha era a mesma que usava um Fox preto em suas ações anteriores. Agiram de outubro de 2011 até o mês passado e acumulam mais de dez ocorrências. São todos moradores do Jardim Elba, bairro da Capital que faz divisa com Santo André. Um deles chegou a ser preso. "Fazemos trabalho preventivo que busca fornecer informações para que a população possa denunciar atitudes suspeitas", disse.

Moradores dizem que não veem pessoas estranhas nas redondezas. Sabem, no entanto, que a praça e o campo de futebol que ficam na rua facilitam a ação dos bandidos, que acompanham a rotina das famílias. "Não tem muito o que fazer. Se o cara quiser mesmo roubar, ele vai entrar de qualquer jeito", disse o pedreiro José Neto, 46. Ele mesmo evitou uma ação há cerca de um mês, ao flagrar uma dupla encapuzada com um pé de cabra tentando abrir o portão da casa ao lado.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Quadrilha do Fiesta rouba casas no Pq. Novo Oratório

Rua teve dois casos; bando da Capital pode ter trocado de carro

Rafael Ribeiro
do Diário do Grande ABC

08/05/2012 | 07:00


Um Fiesta vermelho vem gerando medo entre os moradores da região do Parque Novo Oratório, em Santo André. Seus passageiros formam quadrilha responsável por três roubos e furtos a residências registrados nos últimos 20 dias. Dois deles foram na mesma rua, no Parque Erasmo Assunção.
Ontem, um dos moradores do local foi vítima. O ferramenteiro de 49 anos saiu por volta das 8h30 e ao retornar, quatro horas depois, encontrou a porta da sala arrombada e gavetas de seu quarto vasculhadas. Levaram cerca de R$ 20 mil em bens.

"A gente vinha planejando mudar os horários para sair de casa. Com certeza eles já sabiam de toda a rotina da família", disse o homem. Uma vizinha viu o carro estacionado com dois homens morenos, de cabelo curto, usando roupas sociais. Ao serem flagrados, fugiram. Deixaram para trás sacolas com mais objetos que seriam levados.

O chefe dos investigadores do 5º DP (Parque Novo Oratório) da cidade, onde os casos foram registrados, Armando Ferreira Correia, suspeita que a quadrilha era a mesma que usava um Fox preto em suas ações anteriores. Agiram de outubro de 2011 até o mês passado e acumulam mais de dez ocorrências. São todos moradores do Jardim Elba, bairro da Capital que faz divisa com Santo André. Um deles chegou a ser preso. "Fazemos trabalho preventivo que busca fornecer informações para que a população possa denunciar atitudes suspeitas", disse.

Moradores dizem que não veem pessoas estranhas nas redondezas. Sabem, no entanto, que a praça e o campo de futebol que ficam na rua facilitam a ação dos bandidos, que acompanham a rotina das famílias. "Não tem muito o que fazer. Se o cara quiser mesmo roubar, ele vai entrar de qualquer jeito", disse o pedreiro José Neto, 46. Ele mesmo evitou uma ação há cerca de um mês, ao flagrar uma dupla encapuzada com um pé de cabra tentando abrir o portão da casa ao lado.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;